Domingo Legal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2012).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Domingo Legal
Logotipo do programa.
Informação geral
Formato Programa de auditório
Duração 240 minutos
Criador(es) Homero Salles
Gugu Liberato
Roberto Manzoni
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Roberto Manzoni (geral)
Marcio Esquilo (2011-)
Walter Wanderley (quadros)
Produtor(es) Nelsinho tamberi
Apresentador(es) Gugu Liberato (1993 - 2009)
Celso Portiolli (2009 - presente)
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil SBT
Formato de exibição 1080i HD (2008 - presente)
480i SD (1993 - 2008)
Transmissão original 17 de janeiro de 1993 (21 anos) - presente
N.º de temporadas 20
Celso Portiolli atual apresentador do programa

Domingo Legal é um programa de televisão dominical brasileiro, produzido pelo SBT. Estreou em 17 de janeiro de 1993.

História[editar | editar código-fonte]

1ª Fase (1993 - 1997)[editar | editar código-fonte]

O Domingo Legal estreou no dia 17 de janeiro de 1993, dentro do Programa Silvio Santos. Era mais uma tentativa de Gugu Liberato de se firmar no dia mais importante da televisão brasileira. O loirinho já havia apresentado várias atrações como "Corrida Maluca", "Passa ou Repassa" e "TV Animal". O novo programa estreou em pleno verão, inspirado no modelo de sucesso do "Viva a Noite".

O programa, inicialmente, era uma versão do Viva a Noite, apresentado por Gugu Liberato nas noites de sábado, que foi fenômeno de audiência na década de 1980. O formato da atração era baseado em apresentações musicais e brincadeiras no palco com artistas. Os quadros mais marcantes do programa eram "Táxi do Gugu", "Gugu na Minha Casa", a disputa entre artistas "Eles e Elas", com provas conhecidas como "Prova do Tato", "Prova do Desenho", "Mão no Bicho", entre outras, além da polêmica "Banheira do Gugu".

O programa logo se tornou um dos mais assistidos do SBT e conseguiu rápida identificação do público. Durante o seu primeiro ano, o “Domingo Legal” era gravado, mas a partir do dia 07 de agosto de 1994, o programa passou a ser ao vivo. De 1994 a 1997, o “Domingo Legal” foi exibido do 12h as 16h, com duração de quatro horas.


A atração passou a produzir gincanas externas nas imediações do Teatro Silvio Santos, com a participação do público, e o “Helicóptero do Gugu”, que começou distribuindo prêmios, em vários locais do Brasil. O helicóptero foi útil também para inserir o jornalismo no “Domingo Legal”. Sua principal cobertura foi o acidente fatal do conjunto “Mamonas Assassinas”, em 2 de março de 1996. O programa foi líder de audiência durante toda sua exibição.

2ª Fase (1997 - 2000 )[editar | editar código-fonte]

A partir de 1997, o programa passa para a faixa das 15 horas, sempre ao vivo, tendo como concorrente direto o Domingão do Faustão, o líder do horário na Rede Globo. Começou aí a guerra dos domingos entre Globo e SBT. O “Domingo Legal” foi vitorioso em muitos dias, até 2002. Os concorrentes protagonizaram cenas lamentáveis na busca pelo IBOPE, como o sushi erótico de Faustão, e os “lobisomens” de Gugu.

Com esse pensamento, e investindo principalmente em jornalismo, o apresentador se envolveu numa falsa entrevista com supostos membros de uma facção criminosa de São Paulo. Os “bandidos” fizeram ameaças a algumas personalidades, como Padre Marcelo Rossi, o então vice-prefeito da capital paulista Hélio Bicudo, e apresentadores como José Luiz Datena. O ministério público investigou a entrevista e julgou tratar-se de uma farsa. Gugu e a emissora foram processados e condenados. O programa deixou de ser exibido por um domingo.


Em seu primeiro ano, era gravado, porém, em 7 de agosto de 1994 até hoje, o programa passou a ser ao vivo.A atração passou a produzir gincanas externas nas imediações do Teatro Silvio Santos, com a participação do público, e o “Helicóptero do Gugu”, que começou distribuindo prêmios, em vários locais do Brasil. O helicóptero foi útil também para inserir o jornalismo no “Domingo Legal”. Sua principal cobertura foi o acidente fatal do conjunto “Mamonas Assassinas”, em 2 de março de 1996. O programa foi líder de audiência durante toda sua exibição.


No dia 3 de março de 1996, o programa conseguiu um dos maiores recordes de audiência do SBT, foram 37 pontos de média com picos de 47 pontos, quando fazia a cobertura da morte do grupo Mamonas Assassinas.[1] O horário desta fase era de 12h às 4h da tarde.

As atrações internacionais que estiveram no programa foram Laura Pausini, Shakira, Ricky Martin, Enrique Iglesias, Thalia, Chris Duran, entre outros.


Em fevereiro de 1998, Gugu contratou a dupla ET & Rodolfo para apresentar o quadro "Bom Dia Legal" (que primeiramente, era de Otávio Mesquita), em que os dois usavam um buzina para acordar famosos,[2] o quadro teve um enorme sucesso na época chegando muitas vezes a bater a Rede Globo. Em 2001, o quadro sai do ar devido ao fim da dupla.

A partir de 01º de fevereiro de 1998, o Domingo Legal passa a ser apresentado ao vivo nos estúdios do CDT da Anhanguera com novo cenário e telão.[3]

Em 15 de fevereiro de 1998, o programa apresentado por Gugu alcança média de 24 pontos de audiência, anunciando com exclusividade o sexo (feminino) do bebê da apresentadora Xuxa.[4]

Anos 2000: Audiência, controvérsias e mudanças[editar | editar código-fonte]

Em 2000, o Domingo Legal ficou 30 semanas seguidas e cinco não-consecutivas na frente da Globo, liderando com folga.[5]

Em 30 de abril de 2000, o Domingo Legal realizou o leilão de uma sunga que teria sido usada pelo ator Thiago Lacerda, o ator não gostou do ocorrido e processou o apresentador Gugu, o diretor do programa Roberto Manzoni e o SBT por danos morais,[6] Em 2005, Gugu e o SBT foram condenados pela justiça a pagar uma indenização ao ator Thiago Lacerda,[7] porém em Novembro de 2011 o ator disse ao um jornal carioca que não recebeu a indenização que ganhou na justiça[8] e de acordo com a justiça atualmente o valor da indenização pode passar dos R$ 900 mil.[9]

Em 23 de julho de 2000, o programa marcou 32 pontos, com a visita de Gugu a casa de Carlos Alberto da Nóbrega e também com a presença de Ivete Sangalo no palco do programa, na mesma hora o Domingão do Faustão marcou apenas 14 pontos.[10]

Em julho de 2000, o programa contratou Netinho de Paula e cria o quadro "A Princesa e o Plebeu", em que adolescentes pediam para viver um dia de "princesa" ao lado de Netinho, o quadro ficou no ar até Março de 2001 quando Netinho deixa o SBT e é contratado pela Rede Record para apresentar o Domingo da Gente.[11]

O ex-apresentador do programa, Gugu Liberato (esq.), ao lado do assistente de palco Liminha (dir.).

Em 6 de maio de 2001, o Domingo Legal bateu 37 pontos de audiência com a presença do ator belga Jean Claude Van Damme no programa, foi uma das maiores audiências do programa; na mesma hora, a Globo marcou 27.[12] Uma das cenas marcantes foi justamente a ereção que o ator teve no palco quando dançou com Gretchen.

Em 2002, o Domingo Legal começa a perder audiência e empata na média anual com o Domingão do Faustão, foram 23 pontos para as duas atrações.[13]

Desde 2003, a atração voltou a investir mais em entretenimento, com musicais e brincadeiras com o público. Muitos artistas nacionais e internacionais passaram pelo palco do programa nestes 20 anos. Destaque para Shakira, Ricky Martín e a chegada hollywoodiana de Thalía, com direito a limousine e tudo. Um dos grandes sucessos recentes do “Domingo Legal” é o quadro “Construindo um Sonho”, que reforma as casas dos telespectadores sorteados. No dia 3 de setembro de 2003, o diretor geral do programa Roberto Manzoni pediu demissão do cargo, pois ele estava insatisfeito com a forte queda de audiência do programa.[14]

Em 7 de setembro de 2003 foi transmitida para todo o Brasil a falsa entrevista com membros da facção criminosa PCC.[15] [16]

No dia 21 de setembro de 2003, o Domingo Legal não foi exibido, devido a uma liminar concedida pela Vara Civil Federal que proibia a exibição do programa, caso o SBT descomprisse com a decisão, teria que pagar uma multa de R$ 100 mil por dia.[17] [18] No lugar do programa, o SBT exibiu reprises do Troféu Imprensa e do Curtindo uma Viagem,[19] porém no dia 28 de Setembro de 2003 o programa voltou a ser exibido, mais com a audiência bem menor que antigamente.[20] [21] [22]

Em 24 de setembro de 2003, Roberto Manzoni volta a direçâo do Domingo Legal, a pedido de Gugu Liberato.[23]

Apos o Caso do PCC, a audiência do programa caiu muito, em 2003 o programa conseguiu 18 pontos de média anual, em 2004 caiu para 15 pontos, em 2005 caiu e novo para 14 pontos e 2006 caiu mais uma vez para somente 12 pontos.[24]

3ª Fase (2006 - 2007)[editar | editar código-fonte]

No dia 02 de abril de 2006, o programa mudou de horário, passando a ser exibido das 17h30 até 21h30. Ainda em 2006, com um cenário completamente reformulado e construído em formato de uma arena, Gugu Liberato passou a comandar seu programa em um clima completamente inédito tanto em seus 25 anos de carreira, como na trajetória do SBT. As novidades passam por todos os quadros, linguagem visual e atrações.

Além dos quadros criados por Gugu Liberato e sua equipe, o Domingo Legal passou a contar com novas provas, onde apresentador, convidados, plateia e telespectadores interagiam e ganhavam prêmios. É o caso do "Labirinto Uga Uga" que desafiava os participantes a percorrer um enorme labirinto pulando de uma plataforma e tentando recolher cubos espalhados pelo percurso. Para complicar a vida dos concorrentes, cinco monstros estavam espalhados pelo grande labirinto, com a missão de detê-los e impedir que faturassem o tão sonhado premio.

Outro quadro de sucesso dessa fase do Domingo Legal, foi o "Devo, não nego. Pago Quando Puder". Um quadro criado para pessoas que estavam enroladas com as dividas e não tinham como paga-las. Gugu fazia um desafio e oferecia uma chance para que a pessoa conseguisse liquidar sua divida. Os participantes eram selecionados através de cartas enviadas à produção.

Entre outros destaques da temporada, estavam os quadros: "Amores Virtuais" que promovia o encontro de pessoas que se conheceram e se identificaram através da internet, mas que não tiveram a oportunidade de se conhecerem pessoalmente, o "Aconteceu Comigo" que reconstituía historias reais de pessoas que conseguiram vencer desafios extremos e comprovar que, muitas vezes, a garra e o instinto de sobrevivência são capazes de superar barreiras que parecem impossíveis. Além do "Dormindo Legal", "Mais uma Chance" e "Verdade ou Mentira?".

Em 12 de julho de 2009, o apresentador Celso Portiolli assumiu o comando do Domingo Legal e deu um novo ritmo ao programa, que se consolidou como um dos mais queridos pelo público brasileiro. O programa sob novo comando, seguiu na íntegra o formato de atrações do tempo de Gugu Liberato. Quadros tradicionais como "Construindo um Sonho", "De Volta pra Minha Terra" e "TOP 10 da Internet" continuaram na atração. Entre as novidades, o quadros "As Aventuras com David Brazil", "Você Não Vale Nada, Mas Eu Gosto de Você", e a volta da "Piscina Maluca".

Sempre acompanhado de belas mulheres, o promoter David Brazil trazia matérias especiais e trapalhadas mil, em viagens pelos pontos mais curiosos do território brasileiro e internacional. Com o tempo o promoter passou a dividir o quadro com a ex-BBB Maíra Cardi e a apresentadora Helen Ganzarolli.

Para comemorar 17 anos no ar, Celso Portiolli apresentou um programa especial e cheio de novidades, entre elas novo cenário, logotipo e um site totalmente reformulado. A atração ainda estreou o quadro "Medidas Desesperadas", no qual os telespectadores tinham a chance de pagar suas dívidas se completassem o desafio proposto pela produção. Entre outras novidades, a estreia do "Game Legal" (uma divertida competição entre famosos) e da "TV Sushi" (loucuras da TV Japonesa), além da volta dos quadros "Lendas Urbanas" e "Telegrama Legal".

Um dos grandes destaques desta fase do Domingo Legal, foi a estreia do game "Meu Pai é Melhor Que o seu Pai". Concebido pelo estúdio independente de produção Reveille Productions, o game – do original “My Dad is Better than your Dad”, transmitido pela NBC nos EUA – consistia em provas de coragem, conhecimentos gerais, rapidez, força e conhecimento do próprio filho (a). Eram quatro pais e quatro filhos (as) que disputavam o prêmio de R$ 25 mil. Todos os (as) filhos (as) saiam do programa com um video-game, e a criança vencedora arrematava também um notebook.

Para comemorar os 18 anos do Domingo Legal, em janeiro de 2011, Celso Portiolli relembrou momentos que marcaram a história do programa. Entre as novidades do programa, a estreia de novas provas com artistas (Cama Elástica, Touro Mecânico), o desafio da "Bolada Certa", o novo formato do "Construindo um Sonho", que agora passa a ter todas as suas etapas (surpresa,reforma e entrega) exibidas no mesmo domingo, o quadro "Entrevista Legal" e a competição entre humoristas "Arquibancada do Riso"

Em abril de 2012, o Domingo Legal ganhou um novo cenário, com a predominância da cor lilás. Entre as novidades do programa, episódios inéditos do "Telegrama Legal", a estreia do "Jogo do Amor" (desafio que testa a relação dos casais), do "Bom Dia Legal", "As Aventuras Internacionais de Celso Portiolli", que acompanhado das assistentes de palco Bruna e Diana, encaram as mais incríveis viagens aos lugares mais curiosos e divertidos do mundo em altas aventuras repletas de novidades, emoção e muita adrenalina.

Referências

  1. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1996/3/05/ilustrada/2.html
  2. [1].
  3. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/tvfolha/tv01029805.htm
  4. Folha de São Paulo 16/02/1998.
  5. [2].
  6. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq3009200537.htm
  7. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u53871.shtml
  8. http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-2/artigo/ha-11-anos-thiago-lacerda-espera-receber-indenizacao-de-gugu-liberato/
  9. http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/578434/?noticia=ATOR+THIAGO+LACERDA+GANHA+ACAO+DE+DANOS+MORAIS
  10. Gugu derrota Faustão com 32 pontos de audiência.
  11. SBT grava quadro com Netinho do Negritude Jr. Folha de SP (20 de julho de 2000).
  12. Babado (7 de maio de 2001).
  13. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u29639.shtml
  14. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u36488.shtml
  15. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u36631.shtml
  16. http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u82492.shtml
  17. http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u82479.shtml
  18. http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u82564.shtml
  19. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u37085.shtml
  20. http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI150076-EI306,00-Gugu+de+volta+ao+ar+tenta+evitar+o+caso+PCC.html
  21. http://www.estadao.com.br/arquivo/arteelazer/2003/not20030929p3011.htm
  22. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u37309.shtml
  23. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u37172.shtml
  24. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2301200720.htm

Ligações externas[editar | editar código-fonte]