Caratinga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Caratinga
"Cidades das Palmeiras[1] "
Acima, à esquerda, a Pedra Itaúna; ao meio a Catedral de São João Batista; à direita o monumento do Menino Maluquinho, construído em homenagem ao seu criador, Ziraldo. Ao meio, o Santuário de Adoração Perpétua à esquerda e a Praça Cesário Alvim à direita. Abaixo uma vista parcial da cidade.

Acima, à esquerda, a Pedra Itaúna; ao meio a Catedral de São João Batista; à direita o monumento do Menino Maluquinho, construído em homenagem ao seu criador, Ziraldo. Ao meio, o Santuário de Adoração Perpétua à esquerda e a Praça Cesário Alvim à direita. Abaixo uma vista parcial da cidade.
Bandeira de Caratinga
Brasão de Caratinga
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 24 de junho de 1848 (166 anos)
Fundação 6 de fevereiro de 1890
Gentílico caratinguense
Prefeito(a) Marco Antônio Ferraz Junqueira (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Caratinga
Localização de Caratinga em Minas Gerais
Caratinga está localizado em: Brasil
Caratinga
Localização de Caratinga no Brasil
19° 47' 24" S 42° 08' 20" O19° 47' 24" S 42° 08' 20" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Vale do Rio Doce IBGE/2013[2]
Microrregião Caratinga IBGE/2013[2]
Região metropolitana Vale do Aço
Municípios limítrofes Nordeste: Inhapim;
Norte: Inhapim, Imbé de Minas, Piedade de Caratinga, Ubaporanga, Iapu e Ipaba;
Noroeste: Santana do Paraíso;
Oeste: Ipatinga e Timóteo;
Sudoeste: Bom Jesus do Galho, Vargem Alegre e Entre Folhas;
Sul: Raul Soares, Santa Rita de Minas e Santa Bárbara do Leste;
Sudeste: Simonésia;
Leste: Ipanema
Distância até a capital 311 km
Características geográficas
Área 1 250,874 km² [3]
População 89 578 hab. estatísticas IBGE/2013[4]
Densidade 71,61 hab./km²
Altitude 578 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 612 295,984 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 7 218,34 IBGE/2008[6]
Página oficial

Caratinga é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais. Pertence à microrregião homônima, à Mesorregião do Vale do Rio Doce e ao colar metropolitano do Vale do Aço, localizando-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 310 km.[7] Ocupa uma área de 1 250,874 km², sendo que 9,2568 km² estão em perímetro urbano e os 1241,6172 km² restantes constituem a zona rural.[8] Em 2013, sua população foi estimada pelo IBGE em 90 192 habitantes, sendo então o 37º mais populoso de seu estado e o primeiro de sua microrregião.[4]

A sede tem uma temperatura média anual de 21,2 °C e na vegetação do município predomina a mata atlântica. Em relação à frota automobilística, em 2009 foram contabilizados 25 222 veículos.[9] Com uma taxa de urbanização da ordem de 80 %, o município contava em 2009 com 71 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,754, considerando-se assim como médio em relação ao país.[10]

Caratinga foi emancipada no século XIX, tendo, há bastante tempo, o cultivo do café como importante atividade econômica, sendo considerada uma cidade-polo nesse setor da agricultura.[11] Atualmente é formada por cinco distritos, sendo que é subdividida ainda em cerca de 20 bairros e povoados.[12] Conta com diversos atrativos naturais, históricos ou culturais, como a Pedra Itaúna, importante para a prática de esportes radicais, e a Praça Cesário Alvim, cujas obras iniciaram-se na década de 1880. Caratinga é também cidade-natal de vários artistas com destaque nacional, como o cantor Agnaldo Timóteo e o cartunista e artista gráfico Ziraldo.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

"Caratinga" é um sinônimo de cará.[13] É um termo originário do termo tupi aka'ratin'ga, que significa "cará branco".[14] O nome da cidade é uma referência à abundância desse tubérculo comestível na região desde a época em que ela era ocupada pelos índios aimorés.[15]

História[editar | editar código-fonte]

Origens e pioneirismo[editar | editar código-fonte]

Os primeiros colonizadores de origem europeia surgiram na região em 1573, comandados por Fernandes Tourinho. Estes bandeirantes encontraram, na região, índios aimorés que viviam às margens do rio Bugre. No século XIX, Domingos Fernandes Lana, natural de Araponga, na época pertencente ao município de Viçosa, chegou à região acompanhado de amigos, serviçais, escravos e índios catequizados, à procura de poaia (ipecacuanha), planta cuja raiz é utilizada para fazer chás e remédios. A planta era abundante na região e possuía grande valor comercial. Domingos Fernandes permaneceu na região de 1841 até 1847.[15]

Na década de 1840, atraídos pelas notícias da descoberta de novas terras, os irmãos João Caetano do Nascimento, João Antônio de Oliveira e João José da Silva partiram para a região com o interesse de se estabelecerem em definitivo. Os três penetraram na mata e percorreram os vales dos rios Caratinga, Manhuaçu, João Pinto e Cuieté, até o Rio Doce. Abandonaram logo a zona do vale do Cuieté devido ao clima e às febres.[15] Em seguida, se separaram e João Caetano do Nascimento seguiu para a região dos rios Preto e Jacutinga. Durante sua viagem de regresso, procurou atingir as nascentes dos rios Lages e Preto, fixando-se de vez em uma das partes da serra que, mais tarde, ficou conhecida por Serra do Jacutinga.

Então, como posseiro, passou a ter o seu direito sobre vastas sesmarias, trazendo parentes e amigos para participarem da exploração das novas terras. Surgiu, assim, a povoação. Foi então que João Caetano do Nascimento iniciou o trabalho de derrubada e preparação da terra para plantio de cereais, frutas e legumes, além da criação de pequenos animais e aves. Em atribuição a ele, em 24 de junho de 1848, o lugar foi elevado à categoria de paróquia e conselho distrital, subordinada à comarca de Mariana; data que ficou conhecida como dia do aniversário de Caratinga. Posteriormente, pertenceu às cidades de Ponte Nova, Abre Campo e Manhuaçu.[15]

Em 1873, foi construída a primeira igreja católica de Caratinga: a Igreja de São João Batista, hoje tombada pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico. O distrito foi criado pela lei provincial 2 027, de 1º de dezembro de 1873, pertencendo a Manhuaçu. Em 1878, o Rio Bugre passou a se chamar Rio Caratinga. O distrito de Caratinga passou à categoria de município em 6 de fevereiro de 1890 pelo Decreto Estadual Dezesseis, assinado pelo presidente de Minas Gerais, Cesário Alvim.[15]

A lei estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891, confirmou a criação do distrito-sede e, em 24 de junho de 1892, a vila foi elevada a município, com território desmembrado de Manhuaçu.[16] A comarca de Caratinga foi criada pela lei nº 11, de 13 de novembro de 1891, ocorrendo sua instalação a 7 de março de 1892. Suprimida em 24 de julho de 1912, foi restaurada em 1° de dezembro de 1917.[16]

Desenvolvimento econômico[editar | editar código-fonte]

Vista parcial de Caratinga por volta de 1940
Enchente na cidade em janeiro de 1945

Na década de 1930, a instalação da Estrada de Ferro Leopoldina forçou o crescimento da cidade, como a abertura de ruas, além de facilitar o transporte para outras regiões. Esta ferrovia serviu à cidade até meados de 1950, período em que também houve um grande desenvolvimento do cultivo do café na região.[15] Na década de 1950, houve a necessidade de implantar o escritório do Instituto Brasileiro do Café, sendo este um aliado para que a cidade se tornasse um importante polo da cafeicultura. A rodovia BR-116, conhecida como Rio-Bahia, iniciou sua construção em 1941 e é, hoje, um grande canal de escoamento do café produzido em Caratinga, ligando-a ao sul e ao norte do Brasil.[15]

Entre as décadas de 1960 e 1970, o município começou a perder parte da sua população, que se direcionou em busca de novas oportunidades na atual Região Metropolitana do Vale do Aço, em Ipatinga (Usiminas) e Timóteo (Aperam South America, antiga Acesita), mantendo-se, no entanto, a atividade cafeeira como principal fonte de renda da cidade.[15] Como citado anteriormente, Caratinga também passou por um grande processo político e administrativo que resultou na emancipação de vários de seus distritos (Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, Piedade de Caratinga, Entre Folhas, Imbé de Minas, Ubaporanga, Ipaba e Vargem Alegre). Como resultado, a cidade se tornou um centro regional e os distritos ganharam mais força no que se diz respeito à arrecadação e realização de obras para a população sem depender de aprovação da antiga sede.[15]

Caratinga sofreu diversas perdas territoriais e reformulações administrativas, até que, na década de 1990, passou a se compor dos atuais distritos:[15] Cordeiro de Minas, Dom Lara, Dom Modesto, Patrocínio de Caratinga, Santa Efigênia de Caratinga, Santa Luzia de Caratinga, Santo Antônio do Manhuaçu, São Cândido, São João do Jacutinga e Sapucaia.

História recente[editar | editar código-fonte]

A predominância do espaço rural foi e está sendo substituída pelo urbano, para atender às exigências da expansão urbana, dada pelo aumento das atividades produtivas na cidade (indústria, comércio e serviços) e pelo aumento da demanda habitacional, gerado pela concentração populacional. O limite entre o campo e a cidade está deixando de ser visível e a população do campo vem decrescendo a cada ano.[15] [17]

Recentemente, destacaram-se as fortes enchentes que destruíram o centro comercial de Caratinga, além de provocar milhares de desabrigados em 2003 e novamente em 2004. Somente em 2003, 6 800 pessoas perderam suas casas, 433 imóveis foram destruídos, oitenta ficaram em situação de risco, 120 vias públicas foram interditadas, 38 pontes e estradas vicinais foram destruídas e 446 estabelecimentos comerciais foram atingidos. No mês de janeiro daquele ano, foram acumulados 418,9 mm de chuva.[18]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 1 250,874 km², sendo que 9,2568 km² constituem a zona urbana e os 1241,6172 km² restantes constituem a zona rural.[8] Situa-se a 19º47′24” de latitude sul e 42º08′20” de longitude oeste e está a uma distância de 311 quilômetros a leste da capital mineira, fazendo parte do colar metropolitano do Vale do Aço juntamente com outras 23 cidades (além dos quatro municípios principais) desde janeiro de 2012.[19] Seus municípios limítrofes são Inhapim, a nordeste e norte; Imbé de Minas, Piedade de Caratinga, Ubaporanga, Iapu e Ipaba, a norte; Santana do Paraíso, a noroeste; Ipatinga e Timóteo, a oeste; Bom Jesus do Galho, Vargem Alegre e Entre Folhas, a sudoeste; Raul Soares, Santa Rita de Minas e Santa Bárbara do Leste, a sul; Simonésia, a sudeste; e Ipanema, a leste.[7]

Vista parcial da cidade, com a Pedra Itaúna ao fundo.

O ponto central da cidade tem uma altitude média de 578,1 metros. O ponto culminante do município está na Serra do Rio Preto, onde a altitude chega aos 1 516 metros. Em Caratinga predomina um relevo variando entre montanhoso e plano. A altitude mínima, que é de 330 metros, encontra-se na foz do Córrego Boachá.[7] Uma importante formação rochosa da cidade é a Pedra Itaúna, que é utilizada para a prática de esportes radicais, sendo um dos principais atrativos turísticos municipais.[20]

O município pertence à Bacia do rio Doce, além de ser banhado pelo Rio Caratinga e Ribeirão da Laje.[7] Como a maioria dos municípios mineiros, Caratinga tem relevo montanhoso, sendo rodeada por várias montanhas e rochas. A cidade cresceu para os morros sem um plano diretor direcionado para uma urbanização em consonância com o meio ambiente, características geofísicas que fazem com que o município sofra com deslizamentos de terra durante o período chuvoso. Em alguns pontos a falta de áreas verdes ainda atrapalha o escoamento das águas das chuvas, causando enchentes e inundações.[21]

A vegetação nativa do município pertence ao domínio florestal Atlântico (Mata Atlântica). Dentre as áreas verdes de Caratinga destaca-se a Reserva Feliciano Miguel Abdala, que é considerada como uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (um dos tipos de unidades de conservação previstas no Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC). Está localizada no distrito Santo Antônio do Manhuaçu, sendo que sua área é de 957 hectares, formada por 80% de matas em bom estado de conservação e 20% em estado de regeneração. Em suas matas vivem diversas espécies de animais e plantas, algumas ameaçadas de extinção, como o muriqui-do-norte (mono-carvoeiro).[22]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima caratinguense é caracterizado, segundo o IBGE, como tropical mesotérmico brando semiúmido (tipo Aw segundo Köppen),[23] com estação chuvosa de outubro a abril e outra seca de maio a setembro.[24] [25] A temperatura média anual é de 21,2 ºC, sendo fevereiro o mês mais quente (23,6 ºC) e julho o mais frio (17,8 ºC). Outono e primavera são estações de transição.[26] A precipitação média é de aproximadamente 1 050 milímetros (mm) anuais, sendo junho o mês mais seco (7 mm) e janeiro mais chuvoso 214 mm).[27] O tempo aproximado de insolação é de 2 300 horas anuais,[28] e a umidade do ar é relativamente elevada, com médias entre 75 % e 85 %.[29]

Maiores acumulados de chuva em 24 horas
registrados em Caratinga por meses
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 94,5 mm 21/01/1962 Julho 41,3 mm 11/07/1965
Fevereiro 90,5 mm 12/02/1998 Agosto 55,5 mm 26/08/1986
Março 100,1 mm 23/03/1991 Setembro 52,2 mm 30/09/2009
Abril 131,5 mm 22/04/1977 Outubro 89,6 mm 30/10/1995
Maio 46,1 mm 23/05/2013 Novembro 119,5 mm 07/11/1999
Junho 47,8 mm 12/06/1993 Dezembro 104,8 mm 26/12/2010
Fonte: Rede de dados do INMET. Período: 1961-1968, 1971-1983,
1986-1987 e 1991-2013.[30]

Nos últimos anos, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 30 °C, especialmente entre julho e setembro. Em julho de 2012, por exemplo, a precipitação de chuva em Caratinga não passou dos 0 mm.[31] Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso também são comuns registros de queimadas em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que contribui com o desmatamento e com o lançamento de poluentes na atmosfera, prejudicando ainda a qualidade do ar.[32]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1968, 1971 a 1983, 1986 a 1987 e 1991 a 2013, a menor temperatura registrada em Caratinga foi de 1,3 °C em 16 de junho de 1975,[33] e a maior atingiu 38,6 °C em 6 de outubro de 2000,[34] porém há registros de 39,8 °C em outra estação meteorológica, pertencente à Reserva Feliciano Miguel Abdala.[35] O maior acumulado de chuva observado em 24 horas foi de 131,5 mm em 22 de abril de 1977.[30] Outros grandes acumulados foram 119,5 mm em 7 de novembro de 1999, 104,8 mm em 26 de dezembro de 2010, 101,5 mm em 5 de novembro de 2007 e 100,1 mm em 23 de março de 1991.[30] Em um mês, o maior volume de chuva registrado foi de 496,1 mm em janeiro de 1962.[36] Conforme o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Caratinga é o 535 º colocado no ranking de ocorrências de descargas elétricas no estado de Minas Gerais, com uma média anual de 3,0513 raios por quilômetro quadrado.[37]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Caratinga Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 35 36,9 35 33,2 32,8 31,1 33,4 34,2 37,1 38,6 37 35,4 38,6
Temperatura máxima média (°C) 28,9 29,7 29,3 27,5 26,2 25,2 24,9 26,3 26,3 27,7 27,6 28 27,3
Temperatura média (°C) 23,2 23,6 23,1 21,4 19,4 18,1 17,8 19,1 20,5 22,1 22,8 22,9 21,2
Temperatura mínima média (°C) 19,1 19,5 18,8 17,1 14,6 12,9 12,3 13,6 15,7 17,8 18,7 19 16,6
Temperatura mínima registrada (°C) 11,4 14 9,7 8,8 4,5 1,3 4,4 5,8 5,4 10,9 12 9,6 1,3
Chuva (mm) 214,3 98,4 108,9 66,1 26,2 7,3 17,8 14,6 37,1 96,2 164,5 195,1 1 046,4
Dias com chuva (≥ 1 mm) 13 8 9 6 3 1 2 1 4 8 11 13 79
Umidade relativa (%) 80,7 78,6 81,1 82,4 83,3 83,1 80,6 76,5 74,1 77,4 80,1 82,2 80
Horas de sol 205,7 215,1 211,6 197,3 203,1 189,8 200 202,2 190,8 161 156 162,4 2 295
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (médias climatológicas de 1961 a 1990;[26] [38] [39] [27] [40] [28] [29] recordes de temperatura de 1961 a 2013).[33] [34]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional de
Caratinga[17]
Ano População
1970 109 772
1980 110 038
1991 125 686
2000 77 789
2006 82 632
2010 85 322

A população do município em 2010, de acordo com o IBGE, era de 85 239 habitantes, sendo o trigésimo quinto município mais populoso do estado, apresentando uma densidade populacional de 68,69 habitantes por km².[10] Segundo o censo de 2000, 49,25% da população são homens (38 286 habitantes) e 50,75% (39 446 habitantes) mulheres, e 80,12% da população (62 280 habitantes) vive na zona urbana e 19,88% (15 452 habitantes) vive na zona rural.[41] Também em 2000, segundo dados do Censo IBGE daquele ano, a população caratinguense era composta por 41 143 brancos (52,89%); 6 027 pretos (7,75%); 29 901 pardos (38,44%); oito amarelos (0,01%); 253 indígenas (0,33%); além dos 456 sem declaração (0,59%).[42]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Caratinga é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Seu valor é de 0,754, sendo o 251° maior de todo estado de Minas Gerais (em 853 municípios); 829° de toda Região Sudeste do Brasil (em 1666) e o 1744° de todo país (entre 5 507).[5] A cidade possui a maioria dos indicadores médios e parecidos com os da média nacional segundo o PNUD.[41]

O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, é de 0,41, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[43] No ano de 2003, a incidência da pobreza, medida pelo IBGE, é de 28,26%, o limite inferior da incidência de pobreza é de 21,21%, o superior é de 35,31% e a incidência da pobreza subjetiva é de 25,27%.[43]

Religião[editar | editar código-fonte]

Tal como a variedade cultural em Caratinga, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica, é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes.[44]

O município de Caratinga está localizado no país mais católico do mundo em números absolutos. A Igreja Católica teve seu estatuto jurídico reconhecido pelo governo federal em outubro de 2009,[45] ainda que o Brasil seja atualmente um estado oficialmente laico.[46] A cidade possui credos protestantes ou reformados, como a Igreja Presbiteriana; e os mais diversos credos evangélicos, se assim podemos dizer, como a Assembleia de Deus, a Igreja Cristã Maranata, as igrejas batistas, a Igreja Adventista do Sétimo Dia e a Igreja Universal do Reino de Deus, entre outras. De acordo com dados do censo de 2000 realizado pelo IBGE, a população de Caratinga está composta por: Católicos (77,96%), evangélicos (17,23%), pessoas sem religião (2,45%), espíritas (0,52%), umbandistas (0,30%) e 0,72% estão divididas entre outras religiões.[44]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

Sede da Prefeitura de Caratinga.

De acordo com a Constituição de 1988, Caratinga está localizada em uma república federativa presidencialista. Foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo.[47] A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[48]

Antes de 1930 os municípios eram dirigidos pelos presidentes das câmaras municipais, também chamados de agentes executivos ou intendentes. Somente após a Revolução de 1930 é que foram separados os poderes municipais em executivo e legislativo.[49] O primeiro líder do poder executivo e prefeito do município foi Jorge Coura Filho, que permaneceu no cargo entre 1931 e 1934. Em vinte e nove mandatos, 22 prefeitos passaram pela prefeitura de Caratinga, além dos agentes executivos.[50] Em 2009, quem venceu as Eleições municipais no Brasil em Caratinga foi João Bosco Pessine Gonçalves, do Partido dos Trabalhadores (PT), sendo eleito com 57,40% dos votos válidos. Por ter menos de 200 mil eleitores, o município não teve segundo turno.[51]

O Poder legislativo é constituído pela câmara, composta por dez vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[52] ) e está composta da seguinte forma:[53] duas cadeiras do Partido dos Trabalhadores (PT); duas cadeiras do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB); duas cadeiras do Partido Social Cristão (PSC); uma cadeira do Partido Socialista Brasileiro (PSB); uma do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB); uma do Democratas (DEM); e uma do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

O município de Caratinga se rege por lei orgânica, criada em 21 de abril de 1990.[54] A cidade também é ainda a sede de uma Comarca.[55] O município possuía em 2010 59 909 eleitores, um aumento de 4,4% em comparação a 2006.[56] [57]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Como já foi citado anteriormente, Caratinga é subdividida em onze distritos, sendo eles a Sede, Cordeiro de Minas, Dom Lara, Dom Modesto, Patrocínio de Caratinga, Santa Efigênia de Caratinga, Santa Luzia de Caratinga, Santo Antônio do Manhuaçu, São Cândido, São João do Jacutinga, Sapucaia.[58] No ano de 2000, possuíam, respectivamente, população de 55 366, 1 927, 1 341, 918, 2 492, 2 561, 2 386, 2 913, 3 268, 1 398 e 3 219 habitantes, segundo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) daquele ano.[59] Durante o século XX, houve a criação, elevação à cidade ou mesmo a extinção de diversos distritos do município, sendo que a última alteração foi feita em 21 de dezembro de 1995, quando da emancipação dos distritos de Piedade de Caratinga e Imbé de Minas.[58]

De acordo com o IBGE, em 2000 havia 12 bairros, sendo que o mais populoso era o Santa Cruz, que contava com 6 454 habitantes. Entretanto existia uma zona sem especificação que contava com 31 851 habitantes.[59] Com o passar do tempo foram criados novos bairros, sendo que atualmente há 21, segundo o portal "Grande Brasil".[12] O mais populoso continua sendo o Santa Cruz, considerado também como uma das regiões mais pobres da cidade.[60]

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto Interno Bruto - PIB - de Caratinga é o maior de sua microrregião,[6] destacando-se na área de prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2008, o PIB do município era de R$ 612 295,984 mil.[6] 49 116 mil são de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes.[6] O PIB per capita é de R$ 7 218,34[6] e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de renda é de 0,689, sendo que o do Brasil é de 0,723.[41]

Setor primário
Produção de cana-de-açúcar, milho e mandioca[61]
Produto Área colhida (Hectares) Produção (Tonelada)
Cana-de-açúcar 195 12 675
Milho 1 500 3 750
Mandioca 200 2 400

A agricultura é o setor menos relevante da economia de Caratinga. De todo o PIB da cidade 41 777 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[6] Segundo o IBGE em 2009 o município possuía um rebanho de 29 478 bovinos, 669 equinos, 1 226 suínos, 50 caprinos, seis asinos, 635 muares, 441 ovinos e 114 174 aves, entre estas 25 696 galinhas e 88 478 galos, frangos e pintinhos.[62] Em 2009 a cidade produziu 10 962 mil litros de leite de 10 440 vacas. Foram produzidos 197 mil dúzias de ovos de galinha e 10 258 quilos de mel-de-abelha.[62] Na lavoura temporária são produzidos principalmente a cana-de-açúcar (12 675 toneladas), o milho (3 750 toneladas) e a mandioca (2 400 toneladas).[63] Em Caratinga também destaca-se o cultivo do café, que sempre foi uma das principais fontes de renda do município, sendo considerado como um polo regional da cafeicultura.[11]

Lojas no centro da cidade.
Setor secundário

A indústria, atualmente, é o segundo setor mais relevante para a economia do município. 74 731 reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[6] A cidade conta com um distrito industrial, criado pela Lei nº 2332 de 5 de setembro de 1996, contando então com área de 120.144,00m² e localizado na região conhecida como Córrego do Calixto, cujo local foi desapropriado para este fim conforme Decretos 328 e 329 de 20 de janeiro de 1988.[64] Atualmente ocorre, na cidade, a implantação de um grande projeto imobiliário que inclui parque tecnológico, distrito industrial, centro comercial e condomínios residenciais para as classes A, B e C. As obras tiveram início em julho de 2010 e deverão ser concluídas até 2028.[65]

Setor terciário

A prestação de serviços rende 446 672 reais ao PIB municipal.[6] O setor terciário atualmente é a maior fonte geradora do PIB caratinguense. De acordo com o IBGE, a cidade possuía, no ano de 2008, 2 484 unidades locais, 2 428 empresas e estabelecimentos comerciais atuantes e 28 297 trabalhadores, sendo 15 937 pessoal ocupado total e 12 360 ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 129 359 reais e o salário médio mensal de todo município era de 1,9 salários mínimos.[66] Grande parte do valor do setor terciário ver do comércio. A cidade conta com diversos núcleos ou centros comerciais, como o Centro Comercial Dalva Nacif, inaugurado em 23 de julho de 2009.[67] Assim como em grande parte do Brasil o maior período de vendas é o Natal.[68]

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Vista de casas sobre os morros da cidade.

O município conta com boa infraestrutura. No ano de 2000, tinha 20 889 domicílios entre apartamentos, casas, e cômodos. Desse total 13 722 eram imóveis próprios, sendo 13 357 próprios já quitados (63,94%), 365 em aquisição (1,75%), 4 197 alugados (20,09%); 2 868 imóveis foram cedidos, sendo 1 118 por empregador (5,35%) e 1 750 cedidos de outra maneira (8,38%). 102 foram ocupados de outra forma (0,49%).[69] O município conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. Em 2000, 72,15% dos domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água;[70] 66,82% das moradias possuíam lixo coletado por serviço de limpeza[71] e 64,06% das residências possuíam rede geral de esgoto ou pluvial.[72]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o município possuía 71 estabelecimentos de saúde entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo 36 deles privados e 35 públicos. Neles a cidade possui 155 leitos para internação, sendo que todos estes estão nos privados.[73] Na cidade existem dois hospitais gerais, sendo um privado e um filantrópicos. Caratinga conta ainda com 1 125 profissionais de saúde. No ano de 2008 foram registrados 1 203 de nascidos vivos, sendo que 6,9% nasceram prematuros, 7,6% foram de partos casarios e 18,0% foram de mães entre 10 e 19 anos (0,7% entre 10 e 14 anos). A taxa bruta de natalidade é de 14,2.[74] O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da longevidade em Caratinga é de 0,751 (o brasileiro é 0,638), com expectativa de vida de 70,07 anos.[41]

Fachada do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora.

Caratinga é uma cidade pólo na área da saúde, que absorve a demanda hospitalar de outros 14 municípios, uma população média de 200 mil habitantes. Um dos principais hospitais do município e ainda da região é o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora de Caratinga, localizado no centro da cidade.[75] É um hospital geral, com especialidades em áreas como imunologia, cardiologia e fisioterapia, que ainda conta com maternidade com 150 leitos.[76] [77]

Educação[editar | editar código-fonte]

O município conta com escolas em todas as suas regiões. A população da zona rural tem fácil acesso a escolas em bairros urbanos próximos em razão da alta taxa de urbanização. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) médio entre as escolas públicas de Caratinga era, no ano de 2009, de 4,85; valor acima ao das escolas municipais e estaduais de todo o Brasil, que é de 4,0%.[78] O município contava, em 2009, com aproximadamente 19 326 matrículas, 1 180 docentes e 111 escolas nas redes públicas e particulares.[79] O valor do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da educação era de 0,822 (classificado como elevado), enquanto o do Brasil é 0,849.[41]

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e do Ministério da Educação (MEC), o índice de analfabetismo no ano de 2000 entre pessoas de 18 a 24 anos de idade era de 4,380%,[80] enquanto que a taxa de alfabetização adulta naquele ano era de 86,13% (a do Brasil era de 84%[81] ).[41] A taxa bruta de frequência à escola naquele ano era de 74,410%,[82] sendo que no país esse índice era de 81,89%.[83] 3 683 habitantes possuíam menos de 1 ano de estudo ou não contava com instrução alguma.[84] Em 2010, dez alunos frequentavam o sistema de educação especial e 430 crianças estudavam em creches, sendo que 177 alunos de creches possuíam aulas em tempo integral.[85]

Educação de Caratinga em números[79]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 2 043 109 31
Ensino fundamental 14 130 779 60
Ensino médio 3 143 292 20

Segurança pública e criminalidade[editar | editar código-fonte]

Como na maioria dos municípios médios e grandes brasileiros, a criminalidade ainda é um problema em Caratinga. Em 2008, a taxa de homicídios no município foi de 17,7 para cada 100 mil habitantes, ficando no 77° lugar a nível estadual e no 1025° lugar a nível nacional.[86] O índice de suicídios naquele ano para cada 100 mil habitantes foi de 3,5, sendo 220° a nível estadual e o 1597° a nível nacional.[87] Já em relação à taxa de óbitos por acidentes de transito, o índice foi de 13,0 para cada 100 mil habitantes, ficando no 198° a nível estadual e no 1752° lugar a nível nacional.[88]

Segundo dados da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), Caratinga possui uma das menores taxas de criminalidade de sua região. A cidade também é beneficiada com diversos planos assistenciais nas áreas de vulnerabilidade e risco social, como o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e o Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS).[89]

Serviços e comunicações[editar | editar código-fonte]

Torres de comunicação sobre a Pedra Itaúna, durante uma tempestade.

O serviço de abastecimento de água, assim como em toda a região, é feito pela Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), mesma responsável pela coleta de esgoto. No município, assim como em quase todo o estado de Minas Gerais, o serviço de abastecimento de energia elétrica é feito pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). No ano de 2003 existiam 26 554 consumidores e foram consumidos 60 408 648 KWh de energia.[7]

Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, também é feito por várias operadoras. O código de área (DDD) de Caratinga é o 033.[90] O Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 35300-001 a 35309-999.[91] No dia 10 de novembro de 2008 a região de Caratinga passou a ser servida pela portabilidade, assim como as outras cidades de DDD 33. A portabilidade é um serviço que possibilita a troca da operadora sem a necessidade de se trocar o número do aparelho.[92]

O município conta ainda com jornais em circulação. No ano de 2004 havia três no total. Em 2001 existia três emissoras de rádio, de acordo com a Associação Mineira de Rádio e TV e a Telecomunicações de Minas Gerais S.A.[7] Porém esse número aumentou ao longo dos anos. São exemplos de emissoras da cidade a Rádio Cidade 89.1 FM, no ar desde setembro de 1988,[93] e a Rádio Sociedade Caratinga.[94]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Transito lento em rua no Centro da cidade.

Por não possuir rios em abundância, o município não possui muita tradição no transporte hidroviário. Caratinga também era servida pela Estrada de Ferro Leopoldina, primeira ferrovia do atual estado de Minas Gerais. A estação foi inaugurada em 12 de fevereiro de 1931 e funcionou até meados da década de 80, quando a cidade deixou de ser atendida pela linha férrea.[95] O município possui fácil acesso à BR-116, a Rio-Bahia (corta Caratinga no sentido Norte-Sul, sendo que no perímetro urbano recebe o nome de Avenida João Caetano do Nascimento); à MG-328 (uma das menores estradas de Minas Gerais, iniciando na BR-116 e encerrando na MG-329); à MG-329 (estrada rodoviária estadual passando pelo município Caratinga, com acesso para Bom Jesus do Galho e cortando as cidades de Raul Soares, São Pedro dos Ferros, Rio Casca e encerrando-se em Ponte Nova); e à MG-425 (outra importante estrada rodoviária estadual, que liga Caratinga as cidades de Entre Folhas, Vargem Alegre e encerrando na BR-458).[7] [96] Caratinga também possui um pequeno aeroporto, que possui pista asfaltada e sinalizada de 1 080 metros de comprimento e 23 de largura, mas que na verdade está dentro do território de Ubaporanga.[7]

A frota municipal no ano de 2009 era de 25 222 veículos, sendo 13 237 automóveis, 1 043 caminhões, 69 caminhões trator, 1 775 caminhonetes, 60 micro-ônibus, 7 654 motocicletas, 603 motonetas, 779 ônibus e dois tratores de roda.[9] As avenidas duplicadas e pavimentadas e diversos semáforos facilitam o trânsito da cidade, mas o crescimento no número de veículos nos últimos dez anos está gerando um tráfego cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município. Além disso, tem se tornado difícil encontrar vagas para estacionar no centro comercial da cidade, o que vem gerando alguns prejuízos ao comércio.[97]

O Sistema Municipal de Transporte e Trânsito de Caratinga, criado pela Lei nº 2667 de 29 de dezembro de 2001, regulamenta e regulariza o sistema de transporte público, gerencia o trânsito e, através de seus Agentes de Trânsito, aplica autuações aos motoristas que cometem infrações de trânsito.[98] Já a responsável pelo transporte público coletivo é a Viação Riodoce.[99] O município também conta com um terminal rodoviário, que é um dos principais da região.[100]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Monumento do Menino Maluquinho, construído em homenagem ao criador do personagem, Ziraldo.

A responsável pelo setor cultural de Caratinga é a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Juventude, que tem como objetivo planejar e executar a política cultural do município por meio da elaboração de programas, projetos e atividades que visem ao desenvolvimento cultural. Está vinculada ao Gabinete do Prefeito, integra a administração pública indireta do município e possui autonomia administrativa e financeira, assegurada, especialmente, por dotações orçamentárias, patrimônio próprio, aplicação de suas receitas e assinatura de contratos e convênios com outras instituições.[101] O Fundo Municipal de Cultura (FMC), criado em 25 de março de 2009, é o mecanismo direto de financiamento de projetos culturais do município.[102]

Artes e artesanato[editar | editar código-fonte]

No cenário teatral de Caratinga, destacam-se os serviços disponibilizados pelos órgãos municipais. Nas escolas, por exemplo, são realizados diversos trabalhos educativos envolvendo dança, teatro e música. São alguns exemplos: o projeto “Cineclubismo e Educação”, que exibe filmes brasileiros para alunos das escolas públicas de Caratinga; os projetos “Hip Hop no Coreto” e “Magia Árabe”, que envolvem a dança; e o “Capoeira Itinerante”, que oferece oficinas de capoeira para crianças carentes de comunidades pobres.[102] Envolvendo o público em geral, também destaca-se a realização do Festival Cultural de Caratinga, com apresentações teatrais, musicais e literárias.[103] Também é notável a criação da Academia Caratinguense de Letras, em 18 de novembro de 1983. Reúne os nomes que se destacam na área da cultura e letras do município.[1]

O artesanato também é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural caratinguense. Em várias partes do município é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Alguns grupos, como a Associação de Convivência Sabedoria e Experiência,[102] reúnem diversos artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais. Normalmente essas peças são vendidas em feiras, exposições ou lojas de artesanato.[104]

Caratinga é ainda cidade-natal de diversos artistas que se destacaram regional ou nacionalmente na área cultural, como a poetisa Marilene Godinho,[105] o cantor Agnaldo Timóteo,[106] o escritor e publicitário Maxs Portes,[107] a jornalista Miriam Leitão,[108] o escritor e jornalista Ruy Castro,[109] o pintor, cartunista e escritor Zélio Alves Pinto[110] e o cartunista e artista gráfico Ziraldo.[111]

Turismo e eventos[editar | editar código-fonte]

Vista da Praça Cesário Alvim e da Catedral de São João Batista.
Vista do Santuário de Adoração Perpétua.

Caratinga ainda conta com diversos pontos turísticos, como: a Praça Cesário Alvim, cujas obras tiveram início em 1880, sendo que em 1930 foi construída, ao lado da praça, a Catedral de São João Batista, e seu coreto, feito em 1980, foi planejado por Oscar Niemeyer;[112] a Pedra Itaúna, já citada anteriormente, tombada pelo patrimônio histórico por seu valor paisagístico, sendo utilizada para a prática de esportes radicais;[113] o Santuário de Adoração Perpétua, utilizado para preces e adorações de fieis Católicos;[114] a Reserva Feliciano Miguel Abdala, já citada anteriormente, destacando-se pelo turismo ecológico;[115] o Palácio Episcopal, que, inaugurado em 28 de abril de 1944, que serve como residência dos Bispos da Diocese de Caratinga;[116] a Escola Estadual Princesa Isabel, criada em 24 de agosto de 1909, destaca-se pelo sua arquitetura, fazendo parte do Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Praça Cesário Alvim;[117] além da Lagoa Silvana, área de recreação localizada próxima a Ipatinga, que oferece trilhas, praias, restaurantes e parques.[118]

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Caratinga, juntamente ou não com empresas locais, investe no segmento de festas e eventos. Essas festas, muitas vezes atraem pessoas de outras cidades, exigindo uma melhor infraestrutura no município e estimulando a profissionalização do setor, o que é benéfico não só aos turistas, mas também a toda população da cidade. As atividades ocorrem durante o ano inteiro. Há: a Festa da Folia de Reis, em janeiro;[102] O Carnaval de Caratinga, em fevereiro;[119] o Pedra Itaúna Open de Voo Livre, competição de voo livre do município, em julho;[120] o Festival Folclórico, em agosto;[121] a Feira da Paz e da Solidariedade, em setembro;[122] a Semana da Consciência Negra, em novembro;[123] e as comemorações do Natal, em dezembro.[124]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Assim como em grande parte do Brasil, o esporte mais popular em Caratinga é o futebol. Na cidade há diversos clubes, como o Esporte Clube Caratinga, fundado em 23 de agosto de 1917 por Euclides Etiene Arreguy, ex-prefeito do município.[125] Também há o América Futebol Clube, fundado em 28 de novembro de 1959 por Alfeu de Oliveira Chaves.[126] Os principais estádios de futebol são o Estádio Doutor Euclides Etienne Arreguy, também chamado de Doutor Maninho, com capacidade de aproximadamente 7 mil pessoas, sendo a casa do Esporte Clube Caratinga;[125] e o Estádio Feliciano Miguel Abdala, criado em 1963, que é a casa do América.[126]

Em Caratinga há também a organização anual de vários outros eventos esportivos, envolvendo outras modalidades esportivas. São exemplos deles: as Olimpíadas Escolares, que é a principal competição estudantil do município, envolvendo alunos de todas as escolas (municipais, estaduais e particulares) da cidade e distritos pertencentes a Caratinga em competições de diferentes esportes;[127] e o Pedra Itaúna Open de Voo Livre, evento voltado aos esportistas do parapente que reúne pilotos de todo o país e o exterior. A Pedra Itaúna tem uma geografia considerada como privilegiada para a decolagem com o parapente, fazendo de Caratinga um importante polo para a prática da modalidade.[128]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Caratinga há quatro feriados municipais, oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são: o Corpus Christi, que sempre é realizado na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade; o aniversário da emancipação da cidade, dia 24 de junho; o dia da Assunção de Nossa Senhora, em 15 de agosto; e o dia de Nossa Senhora da Conceição, em 8 de dezembro.[129] De acordo com a lei federal n.º 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluso neste a Sexta-Feira Santa.[130] [131]

Panorama de morros habitados na cidade, com a Pedra Itaúna à esquerda.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Portal Diário (16 de março de 2011). Mais dois acadêmicos tomam posse. Visitado em 6 de maio de 2011.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Visitado em 9 de fevereiro de 2014.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2013. Visitado em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  5. a b Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  6. a b c d e f g h i Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  7. a b c d e f g h Cidades.Net. Caratinga - MG. Visitado em 24 de abril de 2011.
  8. a b Embrapa Monitoramento por Satélite. Minas Gerais. Visitado em 24 de abril de 2011.
  9. a b Cidades@ - IBGE (2009). Frota 2009. Visitado em 1º de maio de 2011.
  10. a b Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População. Visitado em 11 de junho de 2014. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014.
  11. a b Revista Cafeicultura (28 de julho de 2009). Caratinga lança projeto de Centro de Excelência do Café e inaugura Estação Digital. Visitado em 27 de abril de 2011.
  12. a b Grande Brasil. Município de Caratinga, estado de Minas Gerais (MG). Visitado em 24 de abril de 2011.
  13. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p. 346
  14. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p. 349
  15. a b c d e f g h i j k Prefeitura (1º de julho de 2010). História do município. Visitado em 23 de abril de 2011.
  16. a b Cidades@ - IBGE. Histórico. Visitado em 23 de abril de 2011.
  17. a b Confederação Nacional dos Municípios (CNM) (2008). Demografia - População Total. Visitado em 23 de abril de 2011.
  18. Nathália Silverio Chaves da Silveira (Outubro de 2010). Enchentes urbanas na cidade de Caratinga-MG Ebah. Visitado em 23 de abril de 2011.
  19. Jornal Vale do Aço (6 de janeiro de 2012). Criada a Agência Metropolitana do Vale do Aço. Visitado em 1º de março de 2014. Cópia arquivada em 1º de março de 2014.
  20. Prefeitura (21 de julho de 2010). Pedra Itaúna. Visitado em 24 de abril de 2011.
  21. Joaquim Felício (20 de janeiro de 2011). Coluna do Joafe - Leitura Dinâmica - 20 - 01 Portal Diário. Visitado em 24 de abril de 2011.
  22. Karen Strier. Estação Biológica de Caratinga Preserve Muriqui. Visitado em 24 de abril de 2011.
  23. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. World Map of the Köppen-Geiger climate classification Institute for Veterinary Public Health. Visitado em 24 de abril de 2011. Cópia arquivada em 24 de abril de 2011.
  24. Portal Brasil (6 de janeiro de 2010). Clima. Visitado em 14 de abril de 2014. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011.
  25. Biblioteca IBGE. Brasil - Climas. Visitado em 14 de abril de 2014. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011.
  26. a b Temperatura Média Compensada (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  27. a b Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  28. a b Insolação Total (horas) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  29. a b Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  30. a b c Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Caratinga Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 20 de junho de 2014.
  31. Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). Chuvas - Médias Diárias – 07/2012 Agência Nacional de Águas (ANA). Visitado em 14 de abril de 2014. Cópia arquivada em 14 de abril de 2014.
  32. Super Canal (16 de julho de 2010). IEF chama atenção para prática de queimadas em Caratinga. Visitado em 24 de abril de 2011. Cópia arquivada em 24 de abril de 2011.
  33. a b Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Caratinga Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 20 de junho de 2014.
  34. a b Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (ºC) - Caratinga Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 20 de junho de 2014.
  35. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). RPPN Feliciano Miguel Abdala (e Estação Biológica de Caratinga – EBC). Visitado em 14 de novembro de 2011. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2011.
  36. Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação Total (mm) - Caratinga Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 21 de junho de 2014.
  37. Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) (2010). Ranking de Descargas Atmosféricas de Minas Gerais Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Visitado em 14 de abril de 2014.
  38. Temperatura Máxima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  39. Temperatura Mínima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  40. Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 20 de junho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  41. a b c d e f Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (26 de abril de 2005). Caratinga (MG). Visitado em 24 de abril de 2011.
  42. Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2000). População de Gravataí por raça e cor. Visitado em 6 de maio de 2011.
  43. a b IBGE. Indicadores sociais dos municípios brasileiros. Visitado em 24 de abril de 2011.
  44. a b Religião. Visitado em 24 de abril de 2011.
  45. Cristiane Agostine (8 de outubro de 2009). Senado aprova acordo com o Vaticano (em Português) O Globo. Visitado em 24 de abril de 2011.
  46. Fernando Fonseca de Queiroz (Outubro de 2005). Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos Jus Navigandi. Visitado em 24 de abril de 2011.
  47. Organization of American States (OAS). The Brazilian Legal System (em Inglês). Visitado em 25 de abril de 2011.
  48. Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno JusVi. Visitado em 25 de abril de 2011.
  49. Câmara Municipal de Bragança Paulista. Câmara Municipal de Bragança Paulista. Visitado em 25 de abril de 2011.
  50. Caratinga.net. Fotos dos ex-prefeitos de Caratinga. Visitado em 25 de abril de 2011.
  51. Terra (6 de outubro de 2008). Apuração 1º turno. Visitado em 25 de abril de 2011.
  52. DJI. Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29. Visitado em 25 de abril de 2011.
  53. Terra (6 de outubro de 2008). Apuração 1º turno (Vereadores). Visitado em 25 de abril de 2011.
  54. Leis Municipais. Lei Orgânica de Caratinga. Visitado em 25 de abril de 2011.
  55. Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Lista de Comarcas do Estado de Minas Gerais. Visitado em 25 de abril de 2011.
  56. Portal Diário (7 de agosto de 2010). Sondagem regional aponta tendência para as eleições. Visitado em 25 de abril de 2011.
  57. Armando Reis (22 de setembro de 2010). Eleitores comparecem ao cartório para troca de zonas eleitorais Caratinga Notícias. Visitado em 25 de abril de 2011.
  58. a b Biblioteca IBGE (2007). Histórico. Visitado em 6 de maio de 2011.
  59. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (27 de setembro de 2001). Censo Demografico 2000 - Microrregiões, distritos, subdistritos e bairros. Visitado em 6 de maio de 2011.
  60. TV Super Canal. Vereador Ronilson monta escritório no bairro Santa Cruz para atender reivindicações dos moradores. Visitado em 26 de novembro de 2010.
  61. Cidades@ - IBGE (2007). Produção Agrícola Municipal - Cereais, Leguminosas e Oleaginosas. Visitado em 27 de abril de 2011.
  62. a b Cidades@ - IBGE (2008). Pecuária 2009. Visitado em 27 de abril de 2011.
  63. Cidades@ - IBGE (2008). Lavoura Temporária 2009. Visitado em 27 de abril de 2011.
  64. Dário da Anunaição Grossi (5 de setembro de 1996). Lei nº 2332 de 05 de setembro de 1996 de Caratinga JusBrasil. Visitado em 27 de abril de 2011.
  65. Imprensa Oficial do Governo do Estado de Minas Gerais (15 de abril de 2010). Caratinga receberá megaempreendimento. Visitado em 27 de abril de 2011.
  66. Cidades@ - IBGE (2008). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Visitado em 27 de abril de 2011.
  67. TV Super Canal (24 de julho de 2009). Caratinga conta com novo espaço comercial. Visitado em 27 de abril de 2011.
  68. TV Super Canal (8 de dezembro de 2009). Comércio de Caratinga abre no feriado. Visitado em 27 de abril de 2011.
  69. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Infra-Estrutura - Domicílios Particulares Permanentes e Moradores. Visitado em 28 de abril de 2011.
  70. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Infra-Estrutura - Abastecimento de Água. Visitado em 28 de abril de 2011.
  71. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Infra-Estrutura - Destino do Lixo. Visitado em 28 de abril de 2011.
  72. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Infra-Estrutura - Esgotamento Sanitário. Visitado em 28 de abril de 2011.
  73. Cidades@ - IBGE (2009). Serviços de Saúde 2009. Visitado em 13 de abril de 2011.
  74. DATASUS (10 de abril de 2010). Caderno de Informações de Saúde - Informações Gerais (xls). Visitado em 28 de abril de 2011.
  75. DATASUS (8 de abril de 2011). Identificação. Visitado em 28 de abril de 2011.
  76. Prefeitura (2 de março de 2010). Maternidade é inaugurada em Caratinga. Visitado em 28 de abril de 2011.
  77. Hospital Nossa Senhora Auxiliadora de Caratinga. Especialidades médicas. Visitado em 28 de abril de 2011.
  78. Governo Federal. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) - Resultados e Metas. Visitado em 28 de abril de 2011.
  79. a b Cidades@ - IBGE (2009). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009 (em Português). Visitado em 28 de abril de 2011.
  80. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Analfabetismo. Visitado em 28 de abril de 2011.
  81. Educacional (3 de dezembro de 2003). Afinal, quantos analfabetos existem no Brasil?. Visitado em 28 de abril de 2011.
  82. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Educação - Freqüência Escolar. Visitado em 28 de abril de 2011.
  83. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do Amazonas (2000). Taxa bruta de freqüência à escola da 7ª Sub-Região do Rio Negro - Solimões. Visitado em 28 de abril de 2011.
  84. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2000). Educação - Anos de Estudo. Visitado em 28 de abril de 2011.
  85. Confederação Nacional de Municípios (CNM) (2010). FUNDEB. Visitado em 28 de abril de 2011.
  86. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de homicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Visitado em 3 de maio de 2011.
  87. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Visitado em 3 de maio de.
  88. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Visitado em 3 de maio de 2011.
  89. Prefeitura (17 de setembro de 2010). Reunião discute segurança pública em Caratinga. Visitado em 3 de maio de 2011.
  90. Guiatel. Minas Gerais. Visitado em 30 de abril de 2011.
  91. Correios. CEP de cidades brasileiras. Visitado em 30 de abril de 2011.
  92. Willian Chaves (10 de novembro de 2008). Portabilidade chega às cidades de DDD 33. Visitado em 30 de abril de 2011.
  93. Rádio Cidade. A Rádio Cidade. Visitado em 30 de abril de 2011.
  94. Rádios.com. Relação de rádios AM do Brasil. Visitado em 30 de abril de 2011.
  95. Estações Ferroviárias do Brasil (21 de fevereiro de 2009). Histórico da linha. Visitado em 1º de maio de 2011.
  96. Google Maps (acessado em 1º de maio de 2011)
  97. A Semana Agora (15 de agosto de 2010). Aberrações no trânsito continuam. Visitado em 1º de maio de 2011.
  98. JusBrasil (29 de dezembro de 2001). Lei nº 2667 de 29 de dezembro de 2001 de Caratinga. Visitado em 1º de maio de 2011.
  99. Portal Diário (30 de julho de 2010). Nova frota de ônibus urbanos. Visitado em 1º de maio de 2011.
  100. Geolocation (1º de dezembro de 2009). Rodoviária de Caratinga. Visitado em 1º de maio de 2011.
  101. Prefeitura. Secretaria Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Juventude. Visitado em 2 de maio de 2011.
  102. a b c d Prefeitura (13 de setembro de 2010). Título não preenchido, favor adicionar. Visitado em 2 de maio de 2011.
  103. Prefeitura (19 de julho de 2010). 1º Festival Cultural de Caratinga. Visitado em 2 de maio de 2011.
  104. Prefeitura (9 de março de 2010). Feira de Artesanato movimenta calçadão da Rua Miguel de Castro. Visitado em 2 de maio de 2011.
  105. TV Super Canal (27 de maio de 2010). Marilene Godinho lançará livro neste próximo sábado. Visitado em 2 de maio de 2011.
  106. Prefeitura (4 de março de 2010). Agnaldo Timóteo Pereira-Cantor. Visitado em 2 de maio de 2011.
  107. Prefeitura (11 de agosto de 2010). Maxs Portes - Escritor. Visitado em 2 de maio de 2011.
  108. Prefeitura (4 de março de 2010). Miriam Leitão - Jornalista. Visitado em 2 de maio de 2011.
  109. Prefeitura (4 de março de 2010). Ruy Castro - Jornalista. Visitado em 2 de maio de 2011.
  110. Editora FTD. Zélio. Visitado em 2 de maio de 2011.
  111. Prefeitura (2 de agosto de 2010). Ziraldo. Visitado em 2 de maio de 2011.
  112. Prefeitura (21 de julho de 2010). Praça Cesário Alvim Prefeitura. Visitado em 2 de maio de 2011.
  113. Prefeitura (21 de julho de 2010). Pedra Itaúna. Visitado em 2 de maio de 2011.
  114. Prefeitura (21 de julho de 2010). Santuário de Adoração Perpétua. Visitado em 2 de maio de 2011.
  115. Prefeitura (21 de julho de 2010). RPPN - Feliciano Miguel Abdala. Visitado em 2 de maio de 2011.
  116. Prefeitura (21 de julho de 2010). Palácio Episcopal. Visitado em 2 de maio de 2011.
  117. Prefeitura (21 de julho de 2010). Título não preenchido, favor adicionar. Visitado em 2 de maio de 2011.
  118. Prefeitura (21 de julho de 2010). Lagoa Silvana. Visitado em 2 de maio de 2011.
  119. Prefeitura (9 de março de 2011). O carnaval de Caratinga veio pra ficar. Visitado em 2 de maio de 2011.
  120. Prefeitura (14 de julho de 2010). Pedra Itaúna Open de Voo Livre. Visitado em 2 de maio de 2011.
  121. Prefeitura (9 de agosto de 2010). II Festival Folclórico. Visitado em 2 de maio de 2011.
  122. Prefeitura (10 de setembro de 2010). II Feira da Paz e da Solidariedade. Visitado em 2 de maio de 2011.
  123. Prefeitura (16 de novembro de 2010). Semana da Consciência Negra. Visitado em 2 de maio de 2011.
  124. Prefeitura (29 de novembro de 2010). Natal do Coração. Visitado em 2 de maio de 2011.
  125. a b TV Super Canal (5 de julho de 2010). Esporte Clube Caratinga homenageia sócio benemérito. Visitado em 3 de maio de 2011.
  126. a b América Futebol Clube. História do Clube. Visitado em 3 de maio de 2011.
  127. Prefeitura (26 de março de 2010). Esporte -Olimpíadas Escolares. Visitado em 3 de maio de 2011.
  128. Prefeitura (20 de julho de 2010). Pedra Itaúna Open de Voo Livre. Visitado em 3 de maio de 2011.
  129. Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) (2011). Calendário do Judiciário. Visitado em 3 de maio de 2011.
  130. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual (em português) Guia Trabalhista. Visitado em 3 de maio de 2011.
  131. Presidência da República. Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995. Visitado em 3 de maio de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Categoria no Commons
Mapas
Cultural