Açucena (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde julho de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Açucena
Bandeira desconhecida
Brasão de Açucena
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 1 de janeiro de 1944 (70 anos)
Fundação 31 de dezembro de 1943[1]
Gentílico açucenense
Lema Administrando com segurança
Prefeito(a) Darcira de Souza Pereira (PT[2] )
(2013–2016)
Localização
Localização de Açucena
Localização de Açucena em Minas Gerais
Açucena está localizado em: Brasil
Açucena
Localização de Açucena no Brasil
19° 04' 22" S 42° 32' 45" O19° 04' 22" S 42° 32' 45" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Vale do Rio Doce IBGE/2013[3]
Microrregião Ipatinga IBGE/2013[3]
Região metropolitana Vale do Aço
Municípios limítrofes São Geraldo da Piedade, Santa Efigênia de Minas, Gonzaga, Guanhães, Braúnas, Joanésia, Mesquita, Belo Oriente, Naque, Periquito e Governador Valadares
Distância até a capital 285 km
Características geográficas
Área 815,422 km² [4]
Distritos Aramirim, Distrito-Sede, Felicina, Gama e Naque-Nanuque[1]
População 10 297 hab. estatísticas IBGE/2013[5]
Densidade 12,63 hab./km²
Altitude 480 m
Clima tropical quente semiúmido Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,610 médio PNUD/2010[6]
PIB R$ 61 775 mil IBGE/2011[7]
PIB per capita R$ 6 066,51 IBGE/2011[8]
Página oficial

Açucena é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Pertence à Mesorregião do Vale do Rio Doce, à Microrregião de Guanhães e ao colar metropolitano do Vale do Aço e sua população estimada em 2013 era de 10 297 habitantes.[5]

História[editar | editar código-fonte]

A área do atual município de Açucena fora desbravada e habitada pela primeira vez a fim de servir como abrigo para marginais vindos de Serro, Conceição do Mato Dentro e Itabira. Os mesmos estabeleceram na localidade as culturas da mandioca, milho e feijão e a pesca. Por volta de 1860, observou-se a celebração da primeira missa do povoado, então conhecido como Travessão, celebrada pelo padre Leonardo Felix Ferreira, vigário da freguesia de Joanésia, à margem do Rio Santo Antônio no local conhecido como praia da Missa, em referência à ocasião.[1]

Dado o desenvolvimento, pela lei estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891, foi criado o distrito de Travessão, pertencente a São Miguel de Guanhães (atual Guanhães), passando a denominar-se Travessão de Guanhães pela lei estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923 e voltando a chamar-se simplesmente Travessão pelo decreto-lei estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938. A emancipação foi decretada pelo decreto-lei estadual nº 1.058, de 31 de dezembro de 1943, instalando-se em 1º de janeiro de 1944 com áreas desmembradas de Guanhães (sede no ex-distrito de Travessão) e Governador Valadares, constituindo-se dos distritos de Açucena, Aramirim, Felicina, Gama, Naque e Pedra Corrida e com a denominação de Açucena.[1]

Pela lei estadual nº 2.764, de 30 de dezembro de 1962, foram criados os distritos de Periquito e São Sebastião do Baixio e pela lei estadual nº 8.285, de 8 de outubro de 1982, foi criado o distrito de Naque-Nanuque. Em 27 de abril de 1992, pela lei estadual nº 10.703, foram desmembrados os distritos de Naque, elevado a município, e Periquito, Pedra Corrida e São Sebastião do Baixio, para constituir o município de Periquito. Restam em Açucena, desde então, os distritos de Aramirim, Felicina, Gama e Naque-Nanuque.[1]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Relevo[editar | editar código-fonte]

  • Altitude:
    • Máxima: 1062 m. Local: Proximidade do Córrego do Marimbondo
    • Mínima: 126 m. Local: Rio Doce
    • Ponto central da cidade: 480 m

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município é banhado por dois rios: Rio Santo Antônio e Rio Corrente. No Rio Santo Antônio encontra duas usinas hidrelétricas, a Usina de Salto Grande e a Usina de Porto Estrela inaugurada em outubro de 2.001, localizada nos municípios de Açucena, Braúnas e Joanésia.

  • Ribeirões Principais:
    • Ribeirão Travessão
    • Ribeirão Açucena
    • Ribeirão Bom Sucesso
    • Ribeirão Pompeu
    • Ribeirão Belo Monte
    • Ribeirão Saião
    • Ribeirão São Felix
    • Ribeirão Pinguela
  • Bacia: Bacia Rio Doce

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Temperatura:
    • Média anual: 24,5 C
    • Média máxima anual: 29,6 C
    • Média mínima anual: 18,2 C
  • Índice médio pluviométrico anual: 1113,8 mm

Política e administração[editar | editar código-fonte]

Prefeitos antecessores[editar | editar código-fonte]

- Foi substituídos alguns meses por Antônio Ferreira dos Santos.

  • 2. Edson de Assis Morais 1º Mandato: 19511954
  • 3. Cyro Siman 19551958 - Não venceu o mandato, renunciando antes de seu vencimento. O Vice-Prefeito da época José de Magalhães Barbosa (José Barbosa), não querendo assumir o cargo foi ocupado pelo então Presidente da Câmara Edson de Miranda, que nele permanecendo em 1957 – 1958.
  • 4. Edson de Assis Morais 2º Mandato: 19591962
  • 5. Edelson de Miranda 19631966
  • 6. Dr. Edson de Assis Morais 3º Mandato: 19671970
  • 7. Jose Menezes de Morais 19711972
  • 8. Siman José 1º Mandato: 19731976
  • 9. Jose Assunção Alves 19771980 - Entretanto não venceu o mandato, tendo sido pela Câmara Municipal cassado por denúncias procedentes em agosto de 1979.
  • 10. Antônio Martins da Costa 19791982
  • 11. Siman José 2º Mandato: 19831988
  • 12. Geraldo Martins Godoy 19891992
  • 13. Valzer Geraldo Duarte 19931996
  • 14. Siman José 3º Mandato: 19972000
  • 15. Francisco de Assis 20012004
  • 16. Ademir José Siman 2005 - 2012
  • 17. Darcira Souza Pereira 2013 atual

Economia[editar | editar código-fonte]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Por apresentar grande área, com pouca exploração, o município de Açucena possui grande criação de gado. Há extensas fazendas e a pecuária é uma das principais riquezas do município. Há ainda criação de suínos, equinos, muares e ovinos.

Indústria[editar | editar código-fonte]

Açucena, não é um município industrializado, contudo existe a industrialização do leite e da madeira.

Riquezas naturais[editar | editar código-fonte]

  • As riquezas do município de Açucena constituem-se das seguintes:
    • Mineral: O salitre e Caulim, ambos não explorados.
    • Vegetal: Grandes reservas de matas com plantas medicinais e madeira para a indústria e carvão. Também há enormes plantações de eucalipto explorado pela CENIBRA. Em decorrência de sua exploração, é grande o número de caminhões que trafegam diariamente pela rodovia MG 758 transportando eucalipto para fabrica de celulose.O Solo da cidade, em geral é fértil. Mas possui algumas áreas arenosas.
    • Animal: Além da criação de bovinos, existem criações de abelhas,, suínos, equinos, ovinos e peixes.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

Açucena é servida por linhas. de ônibus para ,Timóteo, Coronel Fabriciano, Ipatinga, Guanhães e Montes Claros.

  • Principais rodovias que servem ao município:

Ferroviário[editar | editar código-fonte]

Açucena é servida pela Estrada de Ferro Vitória a Minas, recebendo inclusive trens de passageiros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). Açucena - Histórico. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 14 de julho de 2014. Cópia arquivada em 14 de julho de 2014.
  2. Eleições 2012 (7 de outubro de 2012). Candidatos a Prefeito Açucena/MG. Página visitada em 14 de julho de 2014. Cópia arquivada em 14 de julho de 2014.
  3. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 14 de julho de 2014.
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). Área territorial oficial. Página visitada em 14 de julho de 2014. Cópia arquivada em 14 de julho de 2014.
  5. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2013. Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  6. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking IDH-M Municípios 2010. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 14 de julho de 2014. Cópia arquivada em 14 de julho de 2014.
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.