Tangerina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTangerina
Citrus reticulata

Citrus reticulata
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Sapindales
Família: Rutaceae
Género: Citrus
Espécie: C. reticulata
Nome binomial
Citrus reticulata
Blanco

A tangerina (Citrus reticulata), também laranja-mimosa, mandarina, fuxiqueira, poncã[1] , laranja-cravo, mimosa, vergamota, clementina, bergamota ou mexerica[2] , é uma fruta cítrica de cor alaranjada e sabor adocicado. Parece ser uma antiga espécie selvagem [3] , nativa da Ásia (Índia, China e países vizinhos de climas subtropical e tropical úmido).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Tangerina" vem de "laranja tangerina", isto é, "laranja de Tânger[2] ". "Bergamota" e "vergamota" vêm do turco beg armudi, "pera do príncipe", através do italiano bergamotta ou do francês bergamotte[4] . "Mandarina" vem do castelhano mandarina[5] .

Denominação regional[editar | editar código-fonte]

"Bergamota" ou "vergamota" são as denominações dadas à tangerina na Região Sul do Brasil, principalmente no Rio Grande do Sul.

"Mexerica" é um termo mais comum nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, especialmente em Goiás, Minas Gerais e Espírito Santo, onde faz-se distinção da mexerica (Citrus reticulata) da tangerina ou tangerina-verdadeira (Citrus tangerine), como ocorre na língua inglesa, onde a mexerica é uma mandarin orange e a tangerina é uma tangerine. No Rio de Janeiro, usa-se, mais comumente, o termo tangerina.

Em alguns estados da Região Nordeste do Brasil, é conhecida como "laranja-cravo", no estado da Bahia conhecida como tangerina ou mexerica. Em Santa Rita, no estado da Paraíba, é conhecida também como "laranja-crava", sendo isto uma variação utilizada apenas nesta cidade.

Nos estados do Piauí e Maranhão, é conhecida também como "tanja", sendo isto uma abreviação de tangerina.

Em alguns poucos lugares, como em Curitiba e no litoral paranaense (principalmente em Paranaguá), é chamada de "mimosa".

No Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, qualquer qualidade de tangerina é chamada "poncã".

Em Goiás e em São Paulo, a fruta é popularmente conhecida por "mexerica". Já "poncã" é usado para denominar apenas uma das variedades comerciais que tem a casca macia e solta dos gomos.

Cultivo[editar | editar código-fonte]

As variedades mais cultivadas de tangerina são:

  • Mexerica
  • Poncã
  • Dancy
  • Laranja-cravo (ou tangerina-cravo, Laranja-crava)
  • Montenegrina
  • Dekopon
  • GTDH-alfaesterase
  • Citrus nobilis Lour.[6] [7]

Existe também uma cultura híbrida chamada murcott, uma mistura de tangerina e laranja, que é mais apropriada para a produção de sucos, sendo este bastante nutritivo, abundante, saudável e saboroso.

Plantio[editar | editar código-fonte]

Normalmente, é colhida entre os meses de maio a agosto, mas a safra pode ir de abril a setembro.

A árvore é de porte mediano, com espinhos nos galhos, como forma de proteção, com flores brancas e aromáticas, semelhantes à laranjeira.

A casca possui concentrações elevadas de vitaminas A, B1, B2, Niacina, Vitamina C, cálcio e fósforo, podendo ser usada para fazer doces e geleias.

As variedades mais conhecidas são a cravo, monte-negrina, mexerica, poncã e mandarina, sendo mais comerciais as mexericas, para consumo natural e a morgote, para produção de sucos.

Valor nutricional[editar | editar código-fonte]

Tangerina natural sem casca
Valor nutricional por 100 g (3,53 oz)
Energia 200 kJ (50 kcal)
Carboidratos
Carboidratos totais g
Gorduras
Gorduras totais 0.3 g
Proteínas
Proteínas totais g
Água 86 g
Vitaminas
Vitamina C 30 mg (36%)
Minerais
Magnésio 11 mg (3%)
Potássio 210 mg (4%)
Percentuais são relativos ao nível de ingestão diária recomendada para adultos.

O valor nutritivo do suco ou da polpa varia conforme a espécie, mas é sempre boa fonte de vitaminas A e C e sais minerais como potássio, cálcio e fósforo. A vitamina C é essencial para o sistema imunológico. A vitamina A é indispensável para a saúde dos olhos e da pele e aumenta a resistência às infecções. As vitaminas do complexo B fortificam os nervos.

A tangerina é considerada grande fonte de magnésio. O ser humano precisa de magnésio, apresentando maior concentração desse mineral nos ossos e músculos. Ele tem papel importante na síntese das proteínas, na contratilidade muscular e na excitabilidade dos nervos.

Popularmente, a tangerina é conhecida pelo seu efeito diurético, digestivo e aumento na eficiência física. Não existem evidências científicas que indiquem seu uso na hipertensão arterial ou na prevenção da arterioesclerose. É laxativa, pois apresenta grande quantidade de fibras, devendo ser ingerida com o bagaço para melhorar o funcionamento do intestino. Também não existem evidências que recomendem a tangerina como protetor de outras doenças como câncer, diabetes, hipertensão e outras doenças cardiovasculares. O chá das folhas é considerado popularmente como calmante. Conserva-se bem em geladeira por até três semanas.

Principais produtores[editar | editar código-fonte]

Dos frutos cítricos, em relação ao que é produzido mundialmente sua produção corresponde a 16 por cento da produção mundial anual.

Os 10 maiores produtores— 2005
(milhares de toneladas)
 China 11 395
 Espanha 2 125
 Brasil 1 270
Flag of Japan.svg Japão 1 132
 Irã 720
 Tailândia 670
 Egito 665
Paquistão 587
 Itália 585
 Turquia 585
Total mundial 19 734,84
Fonte: (FAO)[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Academia Brasileira de Letras. Disponível em http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23. Acesso em 17 de maio de 2013.
  2. a b FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. pp.1 646,1 647
  3. (em inglês) Nicolosi, E.; Deng, Z.N.; Gentile, A.; La Malfa, S.; Continella, G. & Tribulato, E., 2000, Citrus phylogeny and genetic origin of important species as investigated by molecular markers. Theoretical and Applied Genetics 100(8): 1155-1166. doi:10.1007/s001220051419 (resumo em HTML).
  4. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.250
  5. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. p.1 076
  6. "Tangerinas ou mandarinas", por Luiz Carlos Donadio, Eduardo Sanches Stuchi, Fábio Luiz de Lima Cyrillo. Jaboticabal : Funep, 1998. Boletim Citrícola, 5.
  7. Sciname Finder: Citrus nobilis Lour.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Alimentos  |  Lista de frutas  |  Lista de vegetais