Rainer Maria Rilke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rainer Maria Rilke
Rilke em 1900, aos 24 anos de idade
Nacionalidade austríaco
Data de nascimento 4 de Dezembro de 1875
Local de nascimento Praga, Império Austro-Húngaro, atual  República Tcheca
Data de falecimento 29 de dezembro de 1926 (51 anos)
Local de falecimento Montreux,  Suíça
Ocupação poeta e novelista
Período de atividade 1894–1925
Influências J. P. Jacobsen, Lou Andreas-Salomé, Georg Trakl, Auguste Rodin, Cézanne, Kierkegaard,Nietzsche
Influenciados Martin Heidegger, William H. Gass, J. D. Salinger, Boris Pasternak, Thomas Pynchon, Erich Maria Remarque, Yukio Mishima[1]
Assinatura Rilke Signature.gif

Rainer Maria Rilke, por vezes também Rainer Maria von Rilke (Praga, Império Austro-Húngaro, atual República Tcheca, 4 de dezembro de 1875Valmont, Suíça, 29 de dezembro de 1926) foi um poeta de língua alemã do século XX. Escreveu também poemas em francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Praga, na Boémia, (actual República Checa), então pertencente ao Império Austro-Húngaro, e mudou seu nome, originalmente René, para Rainer.

Rilke fez seus estudos nas universidades de Praga, Munique e Berlim. Em 1894 fez sua primeira publicação, uma coleção de versos de amor, intitulados Vida e canções (Leben und Lieder). Não exerceu nenhuma profissão, tendo vivido, sempre, à custa de amigas nobres.

Alguns anos depois, em 1899, Rilke viajou para a Rússia a convite de Lou Andreas-Salomé, a escritora e depois psicanalista, filha de um general russo, e que foi sua amante por longos anos. Sua passagem pela Rússia imprimiu uma inspiração religiosa em seus poemas. Rilke passou a enxergar a natureza, dadas as dimensões e exuberância das paisagens russas, como manifestação divina presente em todas as coisas. Sobre este aspecto publicou em 1900 a coleção Histórias do bom Deus.

Em 1901 casou com Clara Westhoff, da qual logo se separou. O século XX trouxe para a poesia de Rilke um afastamento do lirismo e dos simbolistas franceses com os quais ele se identificara. Em 1905, publicou O Livro das Horas de grande repercussão à época. Nesta obra, seus poemas já apresentavam um estilo concreto, bem característico desta sua fase.

Rainer Maria Rilke por Emil Orlik (1917)

Em 1902 foi para Paris, onde trabalhou como secretário do escultor Auguste Rodin entre 1905 a 1906. Rodin exerceu grande influência sobre o poema de Rilke, que se reflete em suas publicações de 1907 a 1908.

Quando estourou a Primeira Guerra Mundial, em 1914, Rilke morava em Munique e lá permaneceu durante todo o conflito. Antes de se mudar para Munique, ele viveu na região do Trieste e publicou, em 1913, a A vida de Maria (Das Merien Leben) e iniciou a redação de Elegias de Duíno (Duineser Elegien), texto que só viria a ser publicado em 1923. Duíno era um castelo na região de Trieste, Itália, onde Rilke morou por dois anos antes da Guerra, a convite da princesa Maria von Thurn und Taxis. Após o conflito na Europa, Rilke mudou-se para a Suíça, a última de suas pátrias de eleição, onde viveu seus últimos anos.

Características literárias[editar | editar código-fonte]

Rilke, por Paula Modersohn-Becker (1906)

Rilke possui uma obra original, marcada pelo tratamento da forma e pelas imagens inesperadas. Celebra a união transcendental do mundo e do homem, numa espécie de "espaço cósmico interior".

Sua poesia provocava a reflexão existencialista e instigava os leitores a se defrontarem com questões próprias do desencantamento da primeira metade do século XX.

Sua obra foi influenciada pelo Expressionismo e influenciou muitos autores e intelectuais de diversas partes do mundo.

Obras principais[editar | editar código-fonte]

  • Leben und Lieder (Vida e Canções) - 1894
  • Geldbaum - 1901
  • Das Buch der Bilder (O Livro das Imagens) - 1902
  • Stundenbuch (O Livro das Horas) - 1905
  • Neue Gedichte (Novos Poemas) - 1907-1908. Neles figuram os Ding-Gedichte (Poemas objetivos), e entre eles o “Archaischer Torso Apollos” (Torso Arcaico de Apolo), traduzido no Brasil por Manuel Bandeira.
  • Das Merien Leben (A Vida de Maria) - 1913
  • Die Aufzeichnungen des Malte Laurids Brigge (Os Cadernos de Malte Laurids Brigge) - 1910
  • Duineser Elegien (Elegias de Duíno) - 1923
  • Sonette an Orpheus (Sonetos a Orfeu) - 1923
  • Briefe an einen jungen Dichter (Cartas a um Jovem Poeta) - 1929 – publicação póstuma.

Referências

  1. Biography of Yukio Mishima (1925–1970). Página visitada em 28 April 2012.
  • Rios Bonfim, Rita (2010), Poemas e Pedras. Poesia em Pedra. Uma abordagem da correspondência entre a poesia e a escultura com base em obras de Rodin e Rilke., Edusp, São Paulo. ISBN 9785831412394

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rainer Maria Rilke
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.