Rio Pardo de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Rio Pardo é de Minas
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 13 de outubro de 1831
Gentílico riopardense [1]
Prefeito(a) Jovelino Pinheiro Costa (Partido Progressista)
(2013–2016)
Localização
Localização de Rio Pardo é de Minas
Localização de Rio Pardo é de Minas em Minas Gerais
Rio Pardo é de Minas está localizado em: Brasil
Rio Pardo é de Minas
Localização de Rio Pardo é de Minas no Brasil
15° 36' 36" S 42° 32' 24" O15° 36' 36" S 42° 32' 24" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Norte de Minas IBGE/2008 [2]
Microrregião Salinas IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Mato Verde, Porteirinha, Serranópolis de Minas, Riacho dos Machados, Grão Mogol, Padre Carvalho, Fruta de Leite, Novorizonte, Salinas, Taiobeiras, Indaiabira, Vargem Grande do Rio Pardo, Montezuma e Santo Antônio do Retiro.
Distância até a capital 732 km
Características geográficas
Área 3 118,672 km² [3]
População 35,000 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 0,01 hab./km²
Altitude 1790 [5] m
Clima semiárido [6]  Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,633 médio PNUD/2000 [7]
PIB R$ 152 350,176 mil IBGE/2008[8]
PIB per capita R$ 5 126,36 IBGE/2008[8]
Página oficial

Rio Pardo de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2010 era de 29.099 habitantes. Está localizado na mesorregião do Norte de Minas e microrregião de Salinas. Compõe com outros municípios da região o Alto Rio Pardo.

Características[editar | editar código-fonte]

Rio Pardo possui atrativos turísticos belíssimos,como por exemplo:parque estadual de serra nova,situado no distrito de mesmo nome no município de rio pardo;cachoeira denominada sete quedas uma verdadeira obra da natureza que encanta a todos que a visitam. Recentemente, foi descoberta uma jazida de ferro e manganês que pode ser comparada ao Quadrilátero Ferrífero. Estas reservas podem mudar o perfil sócio-econômico da própria cidade e das cidades vizinhas, como Porteirinha, Grão-Mogol e Salinas, que também possuem minério em menor quantidade. Outras cidades próximas, como Santo Antônio do Retiro, Montezuma, Taiobeiras e Mato Verde também poderão ser beneficiadas com geração de empregos e renda. Como a produção requer escoamento por mineroduto ou via férrea, é bastante provável que se construa um ramal ferróviário ligando a área produtora no município ao entroncamento com a linha férrea da FCA em Catuti, Monte Azul ou Espinosa, que são as estações ferroviárias mais próximas, e de lá o minério é levado ao porto de Aratu (Salvador); poderá também ser feito o escoamento através de um ramal ferroviário até o porto de Ilhéus, que não é muito viável; ou ainda, construir um mineroduto até um porto na Bahia, que é interessante economicamente, afinal a região possui rios subterrâneos que favorecem esse meio de transporte.

A infra-estrutura no município ainda é bastante precária. Atualmente, a cidade só possui uma rodovia de ligação asfaltada, a rodovia municipal Rio Pardo de Minas - Taiobeiras, que foi inaugurada em 2006. Fora isso, as estradas restantes são vicinais e a maior parte está em ruins ou péssimas condições, o que afeta a produção agrícola do município. A cidade é bastante velha, pois possui mais de 160 anos, porém o potencial histórico não é aproveitado, já que a cidade não foi tombada como patrimônio histórico pelo IPHAN e, consequentemente, os casarões mais antigos vão às ruínas. Dessa forma, não é possível aproveitar o potencial turístico-histórico da cidade, que geraria uma renda favorável.

As terras do atual município de Rio Pardo de Minas estiveram ligadas, durante o século XVIII, à antiga Comarca de Sabará, depois à Comarca de Serro, e posteriormente ao município de Minas Novas. Das suas terras, desmembraram-se os seguintes município:

Apesar do imenso território, as terras, muitas vezes, são improdutivas devido ao relevo com aclives acentuados, grande quantidade de rochas e minerais, além de alta salinidade em parte de terrenos. A energia elétrica ainda é inexistente em comunidades remotas, que se localizam longe da sede urbana e em locais de difícil acesso. Água potável então, é um sonho que parece que nunca vai se realizar, mesmo que o município possua dois grandes rios, o Rio Pardo e o Rio Negro, cujo potencial não é tão grande nessas localidades porque estes rios ainda não contam com grande volume de água, principalmente em épocas de estiagem. Além, de todos esses sonhos há o mais desejado: uma política que valorize essa região tão rica e desperdiçada.

Referências

  1. IBGE Cidades@. O Brasil Município por Municipio. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 19 de agosto de 2009.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. O Estado: Municípios Mineiros. O Estado: Municípios Mineiros. Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Página visitada em 01 de março de 2010.
  6. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. Institute for Veterinary Public Health. Página visitada em 24 de fevereiro de 2010.
  7. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  8. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.