Santo Antônio de Pádua (Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santo Antônio de Pádua
Padua vista parciallll.png

Bandeira de Santo Antônio de Pádua
Brasão de Santo Antônio de Pádua
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 26 de julho
Fundação 1883 (130–131 anos)
Gentílico paduano
Prefeito(a) Josias Quintal de Oliveira (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santo Antônio de Pádua
Localização de Santo Antônio de Pádua no Rio de Janeiro
Santo Antônio de Pádua está localizado em: Brasil
Santo Antônio de Pádua
Localização de Santo Antônio de Pádua no Brasil
21° 32' 20" S 42° 10' 48" O21° 32' 20" S 42° 10' 48" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Noroeste Fluminense IBGE/2008[1]
Microrregião Santo Antônio de Pádua IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Miracema, São José de Ubá, Cambuci, Aperibé, Itaocara, Cantagalo, Pirapetinga (MG), Recreio (MG) e Palma (MG)
Distância até a capital 265 km
Características geográficas
Área 611,981 km² [2]
População 40 589 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 66,32 hab./km²
Altitude 86 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 (RJ: 50º) – alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 417 949,805 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 929,20 IBGE/2008[5]
Página oficial

Santo Antônio de Pádua é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a 21º32'22" de latitude sul e a 42º10'49" de longitude oeste, com altitude de 86 metros. Sua população recenseada em 2010 era de 40.589 habitantes[3] , e a estimativa de população em 2013 é de 41.035 habitantes.

Possui uma área de 611,981 km², subdividida nos distritos de Santo Antônio de Pádua (sede), Baltasar, Santa Cruz, Campelo, Marangatu, Monte Alegre, Paraoquena, São Pedro de Alcantara e Ibitiguaçu.

Durante 28 anos a cidade teve como prefeito integrantes da Família Padilha,mas, finalmente, em 7 de outubro de 2012,os eleitores Paduanos elegeram Josias Quintal (ex - coronel da PM) e Pastor Otony para comandarem Pádua nos Próximos 4 anos.

Vista parcial da cidade
Vista Parcial da Cidade - Ponte Raul Veiga

História[editar | editar código-fonte]

A cidade de Santo Antônio de Pádua, foi fundada por FREI FLORIDO DE CITTÀ DI CASTELLI (da Cidade de Castelos) no dia 26 de julho de 1833. Acrescentando, ainda, que o consolidador de sua fundação foi Frei Bento Giovanni Benedetta Libilla, Bento de Gênova como assinava e era conhecido.Considerando que o documento mais antigo de que se tem notícia que consta na história de Santo Antônio de Pádua é a escritura, passada em cartório, da doação das terras a Frei Florido de Città di Castelli feita por João Francisco Pinheiro e sua mulher, Maria Luiza, ampliada por João Luíz Marinho, para fazer a divisa “de valão a valão”, entre o valão que corre da Rua Nilo Peçanha, antiga Rua da Chácara e outro, o valão do Botelho que havia na saída para Miracema.

Essas terras foram doadas para Frei Florido aldear, alí, os índios Puris e os catequizasse, em sua missão evangelizadora, convertendo-se ao cristianismo.

O proprietário João Francisco Pinheiro deu liberdade a Frei Florido de escolher o local que desejasse e ele escolheu as terras ao lado da Cachoeira, à margem esquerda do Rio da Pomba, como era, então,  chamado o rio Pomba, e que essas terras mediam cerca de cento e sessenta braças, portanto, 352 metros lineares.Quando estava prestes a ser lavrada a escritura, outro fazendeiro, João Luiz Marinho, que Tinha suas terras limítrofes a essas, deu, a pedido de Frei Flórido, outra igual porção de terra, isto é, mais 160 braças, portanto, totalizando 320 braças eqüivalendo, no cumprimento, ao total de 704 metros lineares de terra margeando o rio e, de largura, as terras eram para Frei Florido fazer, alí, sua moradia e assim a divisa ficar “de valão a valão”, no local onde, em 1850, 17 anos depois, foi construído o sobrado no qual moravam os párocos, os padres da paróquia de Santo Antônio de Pádua, denominado, mais tarde, “Sobrado do Padre Domingos” por ter esse sacerdote morado nele durante 26 anos, denominação essa que perdurou durante longo tempo, prédio que ainda existe, situado à Rua Dr. Ferreira da Luz, nº 455, antiga Rua de Cima, ex-residência da família de José Ferreira.

A escritura desse primeiro lote de terra doado e demarcado na mesma hora, foi passada em 26 de julho de 1833 pelo escrivão Domingos Garcia de Melo, de São José de Leonissa da Aldeia da Pedra (Itaocara), trazido, ao local, por Frei Flórido e que o segundo lote teve a escritura passada pelo mesmo escrivão em 28 de setembro do mesmo ano.João Francisco Pinheiro, por ser devoto de São Félix, pediu que Frei Flórido erguesse a capela em louvor a esse santo de sua devoção e assim foi feito pelo Frei, usando mão de obra dos índios Puris, habitantes dessas terras, construindo a capela em um morrote que havia onde hoje  é a Praça Visconde Figueira, morrote esse removido em 1883, como consta em ata lavrada, naquela época, por essa Câmara.João Francisco Pinheiro exigiu de Frei Florido que o lugar se chamasse Arraial da Cachoeira, e que ficasse sob invocação de São Félix, seu Santo de devoção. Assim foi feito e surgiu a localidade que passou, tempos depois a se chamar Arraial de São Félix. Mais tarde em 1841, graças à dedicação de outro capuchino não menos ativo e perseverante, Frei Bento Ângelo de Gênova, surgiu a Capela de Santo Antônio e a localidade passou a se chamada Arraial de Santo Antônio de Pádua. Depois Freguesia de Santo Antônio de Pádua, transferido pela Lei Provincial nº 296, de 1º de junho de 1843 e pela Deliberação de 4 de fevereiro de 1846, a sede do curato da área de Três Irmãos para o local atual. Por ultimo, Cidade de Santo Antônio de Pádua, graças ao Decreto Presidencial nº 2.597, de 2 de janeiro de 1882. Assim surgiu Santo Antônio de Pádua.

A capela, de frágil estrutura, estava desgastada pelos anos, e que, Frei Bento Giovanni Benedetta Libilla, conhecido e chamado de Frei Bento de Gênova, catequista auxiliar de Frei Flórido, por ele preparado para as ordens sacras, recebera do Internúncio, com o consentimento da Regência Imperial, as ordens sacerdotais, portanto, já sacerdote, ergueu, com o auxílio dos fazendeiros Francisco Tomas Leite Ribeiro e seu cunhado Plácido de Barros, a Igreja, denominada Matriz, por já existir a Capela de São Félix, igreja essa, fora das terras de Frei Florido, rente ao Valão da Chácara, em honra a Santo Antônio de Pádua, o patrono do curato, e foi o seu primeiro pároco.

Com o tempo, essa Igreja de Santo Antônio, construída no final da década de 1830 ou princípio da década de 1840, denominada Igreja de Santo Antônio de Pádua, e em 01 de junho de 1843 teve assinada a Lei Nº 296 que elevava à categoria de freguesia (paróquia) com o nome de Santo Antônio de Pádua, e Frei Bento de Gênova foi o seu primeiro cura, sacerdote, devolvendo, assim, o nome certo ao arraial que passaria a vila e teria, mais tarde, em 02 de janeiro de 1882 a sua emancipação, tornando-se município e sendo o 1º distrito, com o nome definitivo de cidade de Santo Antônio de Pádua.

Um outro clérico, Padre Antônio Martins Vieira ergueu, também em honra a Santo Antônio, uma capela muito longe da capela de São Félix, de Frei Flórido, no município de Cambuci, em um local também às margens do Rio Pomba já bem próximo da sua foz no Rio Paraíba do Sul, fundando,  ali, a localidade de Três Irmãos, onde esse padre é até hoje venerado e reconhecido, concluímos que houve, confusão ao ser estabelecido, por alguns, como sendo ele o fundador da nossa cidade de Santo Antônio de Pádua, o que não é correto.

Histórico do Município - IBGE[editar | editar código-fonte]

Freguesia criada com a denominação de Santo Antônio de Pádua, por lei provincial n° 296, de 01-06-1843 e por deliberação estadual de 13-10-1891, bem assim por decretos estaduais nº 1, de 08-05-1892 e nº 1-A de 03-06-1892, no município de São Fidélis.  Elevado à categoria de vila com a denominação de Santo Antônio de Pádua, por lei ou decreto provincial n° 2.597, de 02-01-1882, desmembrado de São Fidélis. Constituído do distrito sede. Instalado em 26-02-1883. Pela deliberação de 13-04-1883 e por decretos estaduais nº 1, de 08-05-1892 e nº 1-A, de 03-06-1892, é criado o de Miracema ex-povoado de Santo Antônio de Brotos e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua.  Elevado à condição de cidade e sede municipal com a denominação de Santo Antônio de Pádua pelo decreto estadual n° 17, de 27-12-1889.  Pela deliberação de 19-09-1891, bem assim por decretos estaduais nº 1, de 08-05-1892 e nº 1-A, de 03-06-1892, são criados os distritos de Aperibé, Ibitiguassu e Santa Cruz de Monte Alegre e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua.  Pela deliberação de 19-09-1891 e deliberação de 13-10-1891, bem assim pelos decretos estaduais nº 1, de 08-05-1892 e nº 1-A, de 03-06-1892, é criado o distrito de Marangatu e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua. Pela lei estadual nº 201, de 06-12-1895, o distrito de Aperibé passou a denominar-se Chave do Faria.  Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município se compunha de 6 distritos: Santo Antônio de Pádua, Chave do Faria, ex-Aperibé, Ibitiguassu, Miracema, Marangatu e Santa Cruz de Monte Alegre.  Pela lei estadual nº 1271, de 10-11-1915, o distrito de Ibitiguassu passou a denominar-se Monte Alegre.  Pela lei estadual nº 1508, de 16-11-1918, o distrito de Santa Cruz de Monte Alegre passou a denominar-se São Pedro de Alcântara.  Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920, o município é constituído de 6 distritos: Santo Antônio de Pádua, Chave do Faria, Marangatu, Miracema, Monte Alegre, ex-Ibitiguassu, e São Pedro de Alcântara, ex-Santa Cruz de Monte Alegre.  Pela lei estadual nº 1728, de 09-11-1921, é criado o distrito de Paraíso de Tobias com terras desmembradas do distrito sede de Santo Antônio de Pádua e Miracema e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua.  Pela lei nº 1794, de 31-12-1923, o distrito de Santa Cruz volta a denominar-se Santa Cruz de Monte Alegre.  Pela lei estadual nº 1879, de 18-11-1924, são criados os distritos de Ibiguaçu e Paraoquena e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua.  Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de Santo Antônio de Pádua é constituído de 9 distritos: Santo Antônio de Pádua, Chave do Faria, Ibitiguaçu, Marangatu, Miracema, Monte Alegre, Paraíso do Tobias, Paraoquena e Santa Cruz de Monte Alegre.  Pelo decreto estadual nº 3401, de 07-11-1935, desmembra do município de Santo Antônio de Pádua os distritos de Miracema e Paraíso do Tobias, para formar o novo município de Miracema.  Em divisões territoriais datadas de 31-Xll-1936 e 31-Xll-1937, o município é constituído de 7 distritos: Santo Antônio de Pádua, Chave do Faria, Ibitiguaçu, Marangatu, Monte Alegre, Paraoquena e Santa Cruz de Monte Alegre.  Pelo decreto-lei estadual nº 392-A, de 31-03-1938, é criado o distrito de Baltazar e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua.  Pelo decreto estadual nº 641, de 15-12-1938, o distrito de Santa Cruz de Monte Alegre passou a denominar-se simplesmente Santa Cruz.  No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 8 distritos: Santo Antônio de Pádua, Baltazar, Chave do Faria, Ibitiguaçu, Marangatu, Monte Alegre, Paraoquena e Santa Cruz ex-Santa Cruz de Monte Alegre.  Pelo decreto-lei estadual nº 1056, de 31-12-1943, o distrito de Chave do Faria passou a denominar-se Aperibé, Santa Cruz a denominar-se Ibitinema e o distrito de Monte Alegre passou a denominar-se Ibitiporã.  No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 8 distritos: Santo Antônio de Pádua, Aperibé ex-Chave do Faria, Baltazar, Ibitiguaçu, Ibitinema ex-Santa Cruz, Ibitiporã ex-Monte Alegre, Marangatu e Paraoquena.  Em divisão territorial datada de 1-Vll-1955, o município é constituído de 8 distritos: Santo Antônio de Pádua, Aperibé, Baltazar, Ibitiguaçu, Ibitinema, Ibitiporã, Marangatu e Paraoquena.  Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-Vll-1960. Pelo decreto legítimo nº 128, de 24-01-1967, homologado pelo decreto legítimo nº 135, de 08-08-1967, o distrito de Ibitinema voltou a denominar-se Santa Cruz e o distrito de Ibitiporã a denominar-se Monte Alegre.  Em divisão territorial datada de 1-1-1979, o município é constituído de 8 distritos: Santo Antônio de Pádua, Aperibé, Baltazar, Ibitiguaçu, Marangatu, Monte Alegre ex-Ibitiporã, Paraoquena e Santa Cruz ex-Ibitinema. Pela lei estadual nº 1985, de 10-04-1992, desmembra do município de Santo Antônio de Pádua o distrito de Aperibé. Elevado à categoria de município. Pela lei nº 2218, 30-06-1993, é criado o distrito de São Pedro de Alcântara e anexado ao município de Santo Antônio de Pádua. Em "Síntese" de 31-Xll-1994, o município é constituído de 8 distritos: Santo Antônio de Pádua, Baltazar, Ibitiguaçu, Marangatu, Monte Alegre, Paraoquena, Santa Cruz e São Pedro de Alacântara. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Bairros
  • Aeroporto
  • Alexis
  • Arraialzinho
  • Beira-Rio
  • Caixa D'água
  • Carvalho
  • Cehab
  • Centro
  • Chácara
  • Cidade Nova
  • Ferreira
  • Fonseca
  • Dezessete
  • Divineia
  • Gabry
  • Gerador
  • Glória
  • Mirante
  • Monte Líbano
  • Parque das Águas
  • São Felix
  • São Luis
  • Tavares
  • Cidade Nova

Distritos[editar | editar código-fonte]

  • Santo Antônio de Pádua (sede)
  • Baltasar
  • Santa Cruz
  • Campelo
  • Marangatu
  • Monte Alegre
  • Paraoquena
  • São Pedro de Alcantara
  • Ibitiguaçu.

Educação[editar | editar código-fonte]

O município possui duas unidades de ensino superior: Universidade Federal Fluminense (UFF) e Faculdade de Santo Antônio de Pádua (FASAP). Duas unidades de ensino técnico: SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e CETEP Pádua. Atualmente está em andamento a construção de um dos novos pólos do IFF no município. Pádua tem o melhor ensino fundamental do estado do Rio de Janeiro, com uma média de 5,9 no IDEB de 2011, superando a média nacional de 5,0 e a meta do Governo que é de 4,6. Quanto ao ensino médio, o IDEB do município é de 5,3, acima da meta projetada para o município e crescendo 10% em relação ao IDEB de 2009. Também em relação ao ensino médio, de cada 100 alunos, 93 foram aprovados, ainda de acordo com o IDEB de 2011. A escola melhor avaliada no município é o Colégio Estadual Almirante Barão de Teffé, com 7,3 no Ensino Fundamental e 6,1 no Ensino Médio. A pior escola, é o Colégio Estadual Rui Guimarães de Almeida com 3,9 no Ensino Médio (O colégio não tem ensino fundamental), ficando 11% abaixo da meta estabelecida pro Colégio, e caindo 7% em relação ao IDEB de 2009.

Economia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o site da Prefeitura Municipal, nos primórdios de sua existência, Santo Antônio de  Pádua, tinha em grande parte de suas terras, as atividades agrícolas predominando.Com o crescimento demográfico da região, as atividades foram se diversificando e hoje o município tem  sua economia distribuída entre campo, indústria e comércio. Arroz e café praticamente desapareceram de seus domínios. Permanecem ainda exploradas as atividades da pecuária leiteira e de corte e o plantio de algumas verduras como o tomate, no distrito de Monte Alegre.

Surgiram novas opções econômicas, principalmente as industriais e hoje a região conta com dezenas de serrarias de pedras e quatro fábricas de papel. Estes dois segmentos geram mais de seis mil empregos diretos e irradiam seus reflexos em várias outras atividades.

As fontes de água mineral que geraram a expressão "Cidade das Águas" para o seu território, atualmente não estão sendo exploradas de forma comercial. Entre elas a água iodetada, única da América do Sul.

O comércio, a área de serviços, a construção civil e pequenas indústrias, ajudam a economia paduana, gerando empregos e mantendo direta e indiretamente grande parte de seu crescimento.

Além das pedras decorativas e de revestimentos, também possui como fontes de renda a pecuária leiteira, a indústria de papéis (COPAPA- CIA. Paduana de Papéis , CIPEL de Pádua Indústria de Papéis Ltda e INPEL - Industria de Papéis ) e o plantio e comércio de frutas. Outra indústrias também importantes para a cidade são a de carvão vegetal e serralherias, entre outras.

PIB: R$554.009.000,00

PIB "per capita": R$13.655,98

Clima[editar | editar código-fonte]

Santo Antônio de Pádua tem um clima tropical, tendo mais pluviosidade no Verão do que no inverno. A temperatura média da cidade é de 22.9ºC , e a pluviosidade média anual é de 1234mm, sendo Dezembro o mês mais chuvoso, com uma média de 242mm, e Julho é o mês mais seco, com apenas 17mm de precipitação. Janeiro é o mês mais quente, com uma temperatura média de 25.9ºC, e Julho tem a menor temperatura, em média, 18.8ºC. Todos os dados estão de acordo com o Climate-Data

Esportes[editar | editar código-fonte]

Pádua tem um clube de futebol chamado Paduano Esporte Clube que foi campeão da 3ºdivisão do estadual do ano de 1987.Foi campeão da 3ºdivisão do estadual do ano de 2012

Pádua tem uma associação de canoagem chamado de APACA-Associação Paduana de canoagem que foi destaque nas competições no ano de 2005. Nos dias 9 e 10 de abril de 2005, aconteceu em Santo Antônio de Pádua/RJ a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Canoagem Descida. A Associação Paduana de Canoagem (APACA) foi o destaque da competição.

Santo Antônio deseja comprar uma das franquias da PFL (Periferic Football League) para levar o futebol americano para a região e se tornar uma potência com o apoio dos municípios que formam a microregião de Santo Antônio de Pádua.

Pádua tem a Associação de Paduana de Voo Livre (APVL), que é responsável pelo sítio de voo da Serra da Prata, no distrito de Boa Nova, onde acontecem voos todos os finais de semana e eventos de parapente e asa delta.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Pádua tem a única fonte de água iodetada das Américas situada no parque das águas, tornando a cidade uma famosa estação hidro-mineral.[6]

  • SESI - Serviço Social da Industria[7]
  • AABB - Associação Atlética Banco do Brasil[8]
  • Campestre Pádua Clube
  • Paduano Esporte Clube

Água e Energia[editar | editar código-fonte]

A cidade de Santo Antônio de Pádua é abastecida eletricamente pela empresa de energia "Ampla", que chega a todo o município e também aos distritos de Pádua, como Paraoquena, Santa Cruz, e Campelo que estão localizados em áreas mais rurais, do que na sede do município. Já no abastecimento de água,a empresa responsável e a "Águas de Santo Antonio" que também abastece todo o município.

Rio Pomba e Enchentes[editar | editar código-fonte]

Ponte Raul Veiga - Enchente 2008

A cidade é abastecida pelo Rio Pomba que corta a cidade ao meio. O Rio Pomba é um dos principais afluentes da margem esquerda do Rio Paraíba do Sul. A cidade já sofreu com diversas enchentes que alagam a maior parte dos bairros, invadindo casas, fábricas, escolas, hospitais, e deixando milhares de pessoas ilhadas. a maior enchente da cidade aconteceu no ano de 2008, quando o Rio pomba subiu mais de 4,5 metros acima do leito normal, derrubou uma pequena ponte do Bairro Cidade Nova, também derrubou um pedaço da chamada "Ponte De Ferro" (ou "passarela"), a cidade teve prejuízo de R$30 milhões. Também houve uma enchente em 2012, com informações de desalojados. De acordo com o G1, mais de 12 mil ficaram desalojados, a cidade teve um prejuízo de R$20 milhões. No início de 2014, o nível do rio chegou a 4,7 metros, com cota de transbordo de 5,0 metros, mas não invadiu as ruas, de acordo com o INEA. Em junho do mesmo ano, foram anunciadas obras de prevenção de cheias, com derrocamento (retirada de pedras) e desassoreamento (retirada de areia, lama), drenagem e urbanização em um longo trecho do Rio Pomba.

Pontes[editar | editar código-fonte]

Pádua possui 5 principais pontes de ligamento, que ligam um lado ao outro da cidade que é cortada pelo Rio Pomba. As duas principais pontes (onde é permitida a passagens de veículos de pequeno e grande porte) são as chamadas Ponte do Nando, que foi construída no Governo do Prefeito Nando Padilha, e a chamada Ponte da Rodoviária, Ponte Paulino Padilha. Pádua possui duas pontes de pedestres, uma é a conhecida Pontinha de Ferro, onde era permitida a passagem de ciclistas, que já é proibida. Esta fora destruída durante a enchente de 2008, mas felizmente foi reconstruída. Outra é a Ponte Nova, pois é a mais recente da cidade, construída no Governo de José Renato Padilha. Não podemos esquecer da Ponte Raul Veiga, que é a mais antiga da cidade, com quase 100 anos, e nunca foi derrubada por nenhuma enchente, nem as maiores como a de 1979, 2008 e 2012.

Produção de Leite e Derivados[editar | editar código-fonte]

Pádua possui a "Nata Indústria de laticínios Pádua Ltda." que foi fundada em 2010 no distrito de Monte Alegre com o objetivo de incentivar os produtores rurais da região na produção de leite.Inicialmente a principal meta da empresa era captar e processar esse leite fornecido pelos produtores rurais, transformando-o em leite pasteurizado ​tipo C para comercialização.A grande aceitação do leite na região incentivou os seus sócios Nilson Nunes, Luciano Diniz , Henrique Esteves e Fernando Pinheiro a lançarem novos produtos NATA no mercado.  Assim começaram a fabricação de queijo minas frescal,manteiga, iogurte de 900gr. e 180gr., bebida láctea de 900ml e 250ml, requeijão cremoso, queijo mussarela, bebida láctea sem sabor, e recentemente requeijão em barra e doce de leite. 

Religião[editar | editar código-fonte]

Com 40.589 habitantes, Santo Antônio de Pádua tem maioria Católica e um número expressivo de Evangélicos, de acordo com o IBGE.

Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua

População - 40.589

Budismo - 0 pessoas

Candomblé - 36 pessoas

Católica Apostólica Brasileira - 492 pessoas

Católica Apostólica Romana - 22521 pessoas (Mais de 55%)

Católica Ortodoxa - 88 pessoas

Espírita - 423 pessoas (Pouco mais de 1%)

Evangélicas (incluindo evangélicos de missão e de origem pentecostal) - 13309 pessoas (Mais de 32,5%)

Não sabe - 29 pessoas

Outras cristãs - 167 pessoas

Sem religião - 3362 pessoas (Pouco mais de 8%)

Testemunhas de Jeová - 113 pessoas

Outros - 49 pessoas


Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - IDHM[editar | editar código-fonte]

Dados do IBGE :

IDHM 1991 - 0,493

IDHM 2000 - 0,611

IDHM 2010 - 0,718

Considerações: O IDH do município ainda é considerado médio, mas em 19 anos, cresceu mais de 45%, algo bem expressivo.

Comparado aos municípios próximos, Pádua fica na frente de Aperibé, Itaocara, Laje do Muriaé, Miracema e São Fidélis.

Exposições Agropecuárias e Industriais (EXPO PÁDUA)[editar | editar código-fonte]

A chamada "Exposição Agropecuária e Industrial de Santo Antônio de Pádua" é a maior festa anual da cidade, realizada desde 1979 no Parque de Exposição da Cidade com Shows Musicais, Parque de Diversões, Rodeio, barracas de comidas e bebidas, e atrai público de todas as cidades vizinhas. A ultima exposição realizada foi no ano de 2014 com shows de Fernandinho, Sambô, Paula Fernandes, Thiaguinho e Chitãozinho & Xororó, batendo um recorde de público, de acordo com informações não oficiais. A edição 2014 da Expo também teve internet livre via Wi-Fi, e transmissão ao vivo pela internet.

Projeto Pádua Livre[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2013, logo após a posse do novo prefeito e vice-prefeito da cidade, foi aberto o projeto Pádua Livre. Este é um projeto que permite aos habitantes da cidades, o acesso as condições financeiras de Pádua. O Portal Transparência é uma página no site da Prefeitura Municipal, onde é exibido folhas de pagamentos de funcionários e demonstrativos financeiros. O ultimo levantamento financeiro realizado, mostra uma disponibilidade de caixa de R$3,8 milhões, e dívidas de R$34,5 milhões.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. COSEAC. Página visitada em 24/9/2011.
  7. http://www.firjan.org.br/notas/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=12805&sid=29
  8. http://www.santoantoniodepadua.aabb.com.br

Ligações externas[editar | editar código-fonte]