Miracema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde março de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Município de Miracema
Bandeira de Miracema
Brasão de Miracema
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 3 de maio de 1936 (78 anos)
Gentílico miracemense
Prefeito(a) Juedyr Orsay (PR)
(2013–2016)
Localização
Localização de Miracema
Localização de Miracema no Rio de Janeiro
Miracema está localizado em: Brasil
Miracema
Localização de Miracema no Brasil
21° 24' 43" S 42° 11' 49" O21° 24' 43" S 42° 11' 49" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Noroeste Fluminense IBGE/2008 [1]
Microrregião Santo Antônio de Pádua IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Laje do Muriaé, Itaperuna, São José de Ubá, Santo Antônio de Pádua, Barão de Monte Alto (MG) e Palma (MG)
Distância até a capital 271 km
Características geográficas
Área 303,353 km² [2]
População 26 829 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 88,44 hab./km²
Altitude 137 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,733 (RJ 72º) – alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 208 612,804 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 764,36 IBGE/2008[5]
Página oficial

Miracema é um município localizado na Região Noroeste Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

A colonização do território do município de Miracema é atribuída aos esforços de D. Ermelinda Rodrigues Pereira, primitiva proprietária das terras que constituem o distrito sede.

Capela de Santo Antônio em Miracema. Século XIX.

Segundo a tradição, por volta de 1846, a referida senhora mandou erigir, no local onde atualmente existe a praça que tem seu nome, uma capela dedicada ao culto de Santo Antônio. Era intenção de D. Ermelinda transformar suas propriedades em bens de uma paróquia, que pretendia entregar, mais tarde, a um de seus filhos, de nome Manoel, que concluíra seus estudos em um seminário de Mariana (Minas Gerais). Prosseguindo com seu intento, a referida senhora doou 25 alqueires de terra, dos dois mil que possuía, para a formação da futura freguesia de Santo Antônio, posteriormente, Santo Antônio dos Brotos. Deve-se a mudança de nome ao fato de um dos sólidos esteios da capela construída por D. Ermelinda ter brotado, fato que a crendice popular atribuiu a um milagre, acrescentando ao nome do padroeiro Santo Antônio, a designação de "dos Brotos".

O crescimento da povoação motivou, em 26 de janeiro de 1880, a criação do Distrito Policial de Santo Antônio dos Brotos.

Em 9 de setembro de 1881, foi criado o Distrito de Paz e, em 13 de abril de 1883, atendendo à solicitação da comunidade através da Câmara de Pádua, o governos provincial resolveu mudar a denominação de Santo Antônio dos Brotos para o de Miracema, originária da língua tupi-guarani: ybira (pau, madeira); cema (brotar) e, em se tratando de eufonia da palavra, sugeriu o Dr. Francisco Antunes Ferreira da Luz que se trocasse o Y por M.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Miracema tem como municípios limítrofes:

O município de Miracema situa-se a 21° 24'50" de latitude sul e 42o11'52" de longitude oeste.

Miracema está à margem das Rodovias Estaduais RJ-116 e RJ-200. Através da RJ-116, o Município liga-se à BR 356, que se une à BR-101 em Campos dos Goitacazes e à BR-116 em Muriaé. Em direção ao sul, a RJ-116 liga MIRACEMA a Santo Antônio de Pádua e Itaocara. A rodovia RJ-200 liga o Município de Palma (a partir da divisa) ao Distrito de Paraíso do Tobias.

Com uma área de 396 km² de extensão e altitude média de 137 metros acima do nível do mar (sede).

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo é acidentado em toda sua extensão, destacando-se as seguintes elevações: Pontão de Santo Antônio, Pico do Morro Azul, Pico de Santa Maria, Pico Ricardo Simão, Pico do Gavião e as serras do Sossego, da Cascata, Alto Caboré e a de Flores.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A rede hidrográfica é representada por pequenas correntes fluviais, das quais se destacam: Ribeirão Santo Antônio e Ribeirão Bonito e os córregos Sobreiro; Água Limpa: Serra Nova, Liberdade, Barreirinho, Duas Barras, Pirineus, etc. A bacia lacustre é formada pela Lagoa Preta e muitos açudes.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é tropical, com as estações chuvosas no verão e seca no inverno. A precipitação média anual está em torno de 1.200 mm de chuvas, sendo junho, julho, e agosto os meses mais secos (médias de 22,5 mm/mês) e novembro, dezembro e janeiro, os meses mais chuvosos (média de 266,5 mm/mês). As temperaturas são elevadas. Os meses mais quentes são dezembro, janeiro e fevereiro. Os meses mais frios são também os mais secos – junho, julho e agosto.

Solo[editar | editar código-fonte]

Os solos do município são do tipo latossolo alaranjado, podzólico vermelho – amarelo, hidromórficos e associação latossolo alaranjado podzólico.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Na vegetação predominam plantas rasteiras. As áreas de matas (Mata Atlântica) estão reduzidas a 9% da área do município.

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O Município de Miracema é composto por três distritos:

Economia[editar | editar código-fonte]

Miracema, desde os seus primórdios até o fim do século XIX, contou com intensa vida econômica e social, verificando-se enorme surto progressista, época em que suas lavouras de café, arroz, milho e feijão abarrotavam os mercados, aos quais chegavam em lombos de burros, via São Fidélis, e a partir de 1883, pela Estrada de Ferro Santo Antônio de Pádua – Ramal Miracema.

Com sua emancipação político-administrativa, Miracema recuperou-se da derrocada do café e foi iniciada a cultura do algodão para abastecer a fábrica de tecidos São Martino e, concomitantemente, desenvolveu a cultura da cana-de-açúcar em ação conjunta com a Usina Santa Rosa. Foi crescendo a cultura do arroz irrigado, juntamente com a pecuária leiteira, que é a principal atividade rural do município. As culturas de milho, feijão e café são considerados de subsistência.

Entre 1830 e 1930 a região exportou, em café, valores superiores aos da exportação de ouro e diamantes de Minas Gerais. Graças ao preço do café na Europa, Miracema liderou a região em um processo de enriquecimento.

Para a fabulosa produção cafeeira do período foi necessária uma enorme quantidade de mão-de-obra escrava.

Na década de 1930, o poder político do estado de São Paulo obrigou Getúlio Vargas a diminuir os cafezais do Rio de Janeiro, destruindo todas as lavouras existentes em Miracema. O café fornecia 80% dos recursos do município.

Nas décadas de 60 e 70 seus canaviais submergiram na onda verde da cultura tecnificada ocorrendo uma diminuição sensível da renda do município.

Por último o arroz, que ainda segurava a economia, foi suplantado pela eficiência e tecnologia dos estados do Sul do Brasil na década de 1980.

Prefeitos do Município[editar | editar código-fonte]

  1. Mário Pinheiro Motta - 04/05/1936 a 02/08/1936
  2. Marcelino de Barros Tostes - 03/08/1936 a 10/10/1937
  3. Nicolau Bruno - 11/10/1937 a 27/11/1937
  4. Altivo Mendes Linhares - 28/11/1937 a 11/11/1945
  5. Cibele Caldas Câmara Castro - 12/11/1945 a 21/11/1945
  6. José Sena e Silva - 22/11/1945 a 18/02/1946
  7. Melchíades Cardoso - 19/02/1946 a 03/10/1946
  8. José Naegle - 24/10/1946 a 03/12/1946
  9. Homero de Araújo Padilha - 04/12/1946 a 06/03/1947
  10. Melchíades Cardoso - 07/03/1947 a 10/10/1947
  11. Altivo Mendes Linhares - 11/10/1947 a 30/10/1947
  12. Plínio Bastos de Barros - 31/10/1947 a 11/12/1954
  13. Odilon Barroso Botelho - 12/12/1954 a 22/12/1954
  14. Plínio Bastos de Barros - 23/12/1954 a 30/01/1955
  15. Moacyr Junqueira - 31/10/1955 a 30/01/1959
  16. Altivo Mendes Linhares - 31/01/1959 a 30/01/1963
  17. Jamil Cardoso - 31/01/1963 a 30/01/1967
  18. José de Carvalho - 31/01/1967 a 29/10/1970
  19. Salim Bou-Issa - 31/01/1970 a 30/11/1971
  20. Nilo Rodrigues Lomba - 31/01/1971 a 31/01/1973
  21. Olavo Monteiro de Barros - 31/01/1973 a 31/01/1977
  22. Salim Bou-Issa - 01/02/1977 a 31/03/1983
  23. Ivany Samel - 01/04/1983 a 31/12/1988 -
  24. Jairo Barroso Tostes - 01/01/1989 a 31/12/1992
  25. Ivany Samel - 01/01/1993 a 31/12/1996
  26. Gutemberg Medeiros Damasceno - 01/01/1997 a 31/12/2000
  27. Gutemberg Medeiros Damasceno - 01/01/2001 a 31/12/2004
  28. Carlos Roberto de Freitas Medeiros - 01/01/2005 a 31/12/2008
  29. Ivany Samel - 01/01/2009 a 31/12/2012
  30. Juedyr Orsay - 01/01/2013 a 31/12/2016

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]