Selá (expressão bíblica)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Selá (em hebraico: סֶלָה, também transliterada como selāh) é uma palavra usada frequentemente na Bíblia hebraica, geralmente em Salmos, e possui um conceito de difícil tradução. (Ela não pode ser confundida com a palavra hebraica sela‘ (em hebraico: סֶלַע) que significa "rocha".) É uma instrução sobre a leitura do texto, algo como "Medite".

Os Salmos foram cantados acompanhados por instrumentos musicais e há referências a isto em muitos capítulos. Trinta e um dos trinta e nove salmos com o título "Para o músico mor" incluem a palavra "Selá". Selá registra uma pausa na música e tem um propósito similar ao Amém na medida em que ressalta a importância da passagem anterior. Alternativamente, Selá pode significar "para sempre", como se faz em alguns lugares na liturgia (notavelmente da segunda à última benção de Amidá). Outra interpretação afirma que Selá vem da primeira palavra raiz hebraica (calah), que significa "suspender" e por implicação medir (peso). Selá também é o nome de uma cidade do tempo de Davi e Salomão.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Sua etimologia e significado precisos são desconhecidos. Esta palavra ocorre setenta e uma vezes em trinta e nove dos cento e cinquenta salmos de Davi e três vezes em Habacuque 3. É achada no final dos salmos 3, 24 e 46, e na maioria dos casos no final de um verso, com exceções nos salmos 47:4, 55:19, 57:3 e Hab. 3:3, 9 e 13.

Até hoje sua etimologia, mas especialmente seu real significado são incertos para os estudiosos. Os comentaristas apresentam as seguintes sugestões para o seu significado:

a) Um sinal litúrgico (salal = elevar), talvez para que fossem eleva das a voz ou as mãos em atitude de oração.

b) Deriva-se de uma raiz aramaica – sl = prostrar-se. Seria um sinal indicativo para que nesse ponto o adorador se prostrasse.

c) Uma orientação musical dada aos cantores ou à orquestra para "elevar", isto é, cantar ou tocar mais forte, ou um acompanhamento mais alto. Esta explicação é a mais generalizada e mais aceita por todos.

d) O original hebraico selah significa "descanso de um suspender ou erguer", podendo significar o suspender de uma balança para pesar.

e) Na Septuaginta, ou a tradução dos setenta, do hebraico para o grego, selah foi traduzida por diapsalma – diapsalma, que significa intervalo, interlúdio, mudança de tom.

O Dicionário Enciclopédico da Bíblia, Editora Vozes afirma ao estudar esta palavra: "Duvida-se, porém, se os próprios tradutores da versão dos LXX conhecessem bem o sentido de selah".

f) Em outras traduções gregas como a de Áquila, selah foi traduzida por aevi – aéi, sempre; enquanto Teodocião traduz por eivs tevlos – eís télos = no fim; parecendo indicar uma bênção litúrgica semelhante a Amém e Aleluia.

g) Selá é uma pausa para que o nosso pensamento seja elevado a Deus. É um suspiro pausado de alegria, quando alguém que amamos chega inesperadamente a nossa frente ou a nossa casa. Seria uma espécie de interjeição de alegria ou satisfação.

h) Sela é o expressar harmonioso de todas as fibras de um coração que anseasse pelo auxílio de Deus e de repente sentisse a doce serenidade da presença divina, como se conclui do Salmo 67:1.


A palavra é usada 74 vezes, sendo 71 nos Salmos e três vezes no livro de Habacuque – 3:3, 9, 13.

No Salmo 143:6 está: "A ti levanto as mãos; a minha alma anseia por ti, como terra sedenta – Selah". A palavra aqui significa fazer uma pausa e elevar a alma e não simplesmente a voz.

C.H. Spurgeon em seu livro Tesouro de Davi, comentando este versículo afirma:

"Minha alma qual terra sedenta tem sede de ti". Como a terra ressequida e rachada pela seca, abrindo a boca em súplicas silenciosas, o salmista também sentia a alma quebrantada pela saudade. Tinha sede do Senhor. Selá."

Habacuque, o professor hebreu, avaliando as calamidades que vieram sobre seu pais e os subsequentes castigos que adviriam aos caldeus, argumentou com Deus com todo o entusiasmo e impetuosidade de seu espírito, culminando com sua sublime e poética prece, na qual aparece três vezes a palavra "Selá".