Terra de Oz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa de Oz

A Terra de Oz é o lugar mágico, criado pelo escritor norte-americano L. Frank Baum, onde se desenrolam as aventuras da menina chamada Dorothy Ventania, do Kansas.

Este ambiente foi introduzido em The Wonderful Wizard of Oz (1900) por L. Frank Baum, um dos muitos mundos de fantasias criados para seus livros. Ele alcançou grande popularidade, maior do que todos os outros países fictícios criados pelo autor, sendo utilizada em outras histórias posteriormente. O território foi descrito e expandido nos livros de Oz.[1]

Geografia de Oz[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Quando a pequena Dorothy Ventania caiu neste estranho lugar, deparou-se com pequenas pessoas, que nunca tinha visto iguais. E, para piorar, ninguém ali sabia onde ficava o Kansas, de onde viera a jovem heroína.

Afastado de qualquer lugar real - ou sério - descobriu que estava numa terra desconhecida por todos, batizada com o estranho nome de... Oz.

A menina caíra no País dos Munchkins, o nome daqueles estranhos seres. E o leitor do primeiro livro da série (O Maravilhoso Mágico de Oz) percorre, junto à garotinha, a "Estrada de tijolos amarelos", rumo ao centro daquela terra ignorada, onde ergue-se majestosa a Cidade das Esmeraldas.

Mais a oeste, está a terra dos Winkies, ao Norte, o País dos Gillikins, e a Sul o País dos Quadlings, onde fica o castelo da Bruxa Glinda, a Boa.

O Governo de Oz[editar | editar código-fonte]

Os 4 países (e a cidade central das Esmeraldas) são cercadas por todos os lados por escaldantes areias desérticas, impossibilitando assim a passagem para fora, bem como a entrada de forasteiros ali.

A partir do segundo livro da série, L. Frank Baum, seu criador, aos poucos adiciona novas paragens e detalhes, bem como revela a estrutura interna do poder e governo de Oz, com a descoberta da verdadeira herdeira do trono da Cidade das Esmeraldas, a Princesa Ozma.[2]

Cada país e localidade possui um governo: O Homem de Lata foi feito imperador do País dos Winkies; a bruxa Glinda, a Boa, governa ao Sul - mas todos estão subordinados ao governo central de Ozma.

Lugares interessantes[editar | editar código-fonte]

Na Terra de Oz alguns estranhos lugares marcam seus países: No País dos Quadlings, por exemplo, temos uma floresta das árvores lutadoras; a Cidade de Porcelana, cercada por um muro que evita a entrada de forasteiros que possam quebrar seus frágeis moradores; O morro dos Cabeça de Martelo, que impedem a passagem de toda e qualquer pessoa.

Na floresta que lá existe uma terrível espécie animal habita: misto de urso com tigre, ameaça aqueles que se aventuram em seu interior.

O Mundo de Oz[editar | editar código-fonte]

A partir do terceiro livro da série, Baum alargou os horizontes de Oz, revelando países e terras que existiam para além da Terra de Oz: surge o Reino de Ev, vizinho do País dos Nomos (Nomes, no original, uma corruptela de "gnomo" - no inglês: gnome), onde aportam Dorothy Gale e a galinha Billina.

No quarto livro, o autor apresenta uma estranha sucessão de mundos subterrâneos: o Reino dos Vegetais, a terra de Voe (com seus perigosos ursos invisíveis), o mundo das "Gárgulas" (seres feitos de madeira).

Em diversas outras obras surgem outros países, como o Reino de Ix, a Nãolândia, a Bobolândia, etc.

Todos estes locais estão situados além dos desertos que cercam Oz - e são por sua vez cercados pelo Oceano Nonéstico - o que torna o mundo de Oz uma espécie de ilha-continente.

Outros autores anexaram novas terras, cidades, ilhas, tornando o simples mapa original (representado na figura acima) apenas um detalhe de um mundo ainda maior.

Referências

  1. James Thurber, "The Wizard of Chitenango", in Fantasists on Fantasy, edited by Robert H. Boyer and Kenneth J. Zahorski, New York, Avon, 1984; pp. 64–5. ISBN 0-380-86553-X.
  2. John Grant and John Clute, The Encyclopedia of Fantasy, New York, St. Martin's Griffin, 1999; "Oz", p. 739. ISBN 0-312-19869-8.