Transport Layer Security

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Protocolos Internet (TCP/IP)
Camada Protocolo
5.Aplicação HTTP, SMTP, FTP, SSH, Telnet, SIP, RDP, IRC, SNMP, NNTP, POP3, IMAP, BitTorrent, DNS, Ping ...
4.Transporte TCP, UDP, RTP, SCTP, DCCP ...
3.Rede IP (IPv4, IPv6) , ARP, RARP, ICMP, IPsec ...
2.Enlace Ethernet, 802.11 WiFi, IEEE 802.1Q, 802.11g, HDLC, Token ring, FDDI, PPP,Switch ,Frame relay,
1.Física Modem, RDIS, RS-232, EIA-422, RS-449, Bluetooth, USB, ...

O Transport Layer Security - TLS (em português: Segurança da Camada de Transporte) e o seu antecessor, Secure Sockets Layer - SSL (em português: Protocolo de Camada de Sockets Segura), são protocolos criptográficos que conferem segurança de comunicação na Internet para serviços como email (SMTP), navegação por páginas (HTTPS) e outros tipos de transferência de dados. Há algumas pequenas diferenças entre o SSL 3.0 e o TLS 1.0, mas o protocolo permanece substancialmente o mesmo. O termo "SSL" usado aqui aplica-se a ambos os protocolos, exceto se disposto em contrário. O protocolo SSL 3.0 também é conhecido como SSL3, e o TLS 1.0 como TLS1 ou ainda SSL3.1.

Descrição[editar | editar código-fonte]

O protocolo SSL provê a confidencialidade(privacidade) e a integridade de dados entre duas aplicações que comuniquem pela Internet. Isso ocorre através da autenticação das partes envolvidas e da cifra dos dados transmitidos entre as partes. Esse protocolo ajuda a prevenir que intermediários entre as duas pontas da comunicação tenham acesso indevido ou falsifiquem os dados transmitidos.

Protocolo TLS

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

O servidor do site que está sendo acessado envia uma chave pública ao browser, usada por esse para enviar uma chamada secreta, criada aleatoriamente. Desta forma, fica estabelecida a trocas de dados criptografados entre dois computadores.

Baseia-se no protocolo TCP da suíte TCP/IP e utiliza-se do conceito introduzido por Diffie-Hellman nos anos 70 (criptografia de chave pública) e Phil Zimmermann (criador do conceito PGP).

História e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A primeira versão foi desenvolvida pela Netscape em 1994. O SSL versão 3.0 foi lançado em 1996, e serviu posteriormente de base para o desenvolvimento do TLS versão 1.0, um protocolo padronizado da IETF originalmente definido pelo RFC 2246. Grandes instituições financeiras como Visa, MasterCard, American Express, dentre outras, aprovaram o SSL para comércio eletrônico seguro na Internet.

O SSL opera de forma modular, possui design extensível, e apresenta compatibilidade entre pares com versões diferentes do mesmo.

O SSL permite autenticação das 2 partes envolvidas na comunicação (cliente e servidor) baseando-se em certificados digitais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]