Tripanossoma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTripanossoma
Trypanosoma cruzi

Trypanosoma cruzi
Classificação científica
Reino: Protista
Filo: Euglenozoa
Classe: Zoomastigophora
Ordem: Kinetoplsatida
Família: Trypanosomatidae
Género: Trypanosoma
  1. Os tripanossomas (género Trypanosoma, filo Kinetoplastida, reino Protista) fazem parte do grupo dos protozoários e podem infectar insetos e vários mamíferos, incluindo o homem.

Histórico[editar | editar código-fonte]

  • Os tripanossomos parasitas de animais eram conhecidos desde 1841 através do trabalho de Gustav Valentin, professor da Universidade de Berna, que os encontrou em trutas.
  • Em 1843, David Gruby descreveu pela primeira vez um tripanossomo descoberto em sangue de o Trypanosoma sanguinis.
  • Em 1880, Griffith Evans descobriu o Trypanosoma evansi, agente da doença fatal que acometia cavalos e camelos conhecida como "surra".
  • Entre 1895 e 1896, David Bruce verificou que os tripanossomos Trypanosoma brucei eram agentes da doença conhecida como "nagana", uma doença que afeta eqüídeos e outros animais.
  • No início do século XX, é descoberto o Trypanosoma brucei gambiense, causador da tripanossomíase africana ou doença do sono, que acomete a população africana.
  • No Brasil Adolfo Lutz na década de 1890, quando em seus estudos sobre hematozoários observou a ocorrência desses protozoários em ratos e rãs.
  • A doença que acomete cavalos (eqüídeos), conhecida como quebra-bundas ou mal-de-cadeiras tinha como causa um tripanossomo descoberto em 1901 por Miguel Elmassian. Neste mesmo ano, esta espécie é denominada Trypanosoma eqüinum por O. Voges.
  • Em 1908, Carlos Chagas encontra uma nova forma de tripanossomo ao analisar o sangue do sagui Callithrix penicilata, descrevendo-o como Trypanosoma minasense.
  • Outro tripanossomo de macaco sul-americano tinha sido descoberto por Herbert von Berenberg-Gossler enquanto procurava parasitos da malária no macaco amazônico Brachyurus calvus nome popular cacajao. A esta nova espécie, Berenberg-Gossler denominou Trypanosoma prowazeki em homenagem ao protozoologista tcheco Stanilas von Prowazek.
  • Carlos Chagas pesquisava o inseto Triatoma infestans nome popular barbeiro e ao examinar esse inseto, Chagas encontrou numerosos protozoários flagelados. Chagas enviou esses insetos parasitados para serem analisados por Oswaldo Cruz o que o levou a descrevê-la como uma espécie nova, a qual Carlos Chagas denominou Trypanosoma cruzi em homenagem ao seu colega Oswaldo Cruz.
  • Em 17 de dezembro de 1908, logo após a publicação no Brazil-Médico, as novas espécies de tripanossomos descritas por Chagas foram enviadas para o Archiv für Schiffs- and Tropenhygiene, tendo sido publicadas no primeiro número de 1909.
  • Em 1909 o pesquisador alemão Friedrich Kleine publicou o desenvolvimento do Trypanosoma brucei gambiense, o agente da tripanossomíase humana africana na mosca, provando que o parasito estava presente nas moscas glossinas por um período mínimo antes de causar infecção. Kleine mostrou ainda que somente as formas metacíclicas nas glândulas salivares do inseto eram infecciosas.
  • Logo após o trabalho de Kleine, Carlos Chagas vai identificar no mesmo local (Lassance) onde encontrou os percevejos infectados, uma jovem infectada por Trypanosoma cruzi e assim comprovar a patogenicidade do protozoário por ele descoberto no percevejo, em sua busca por parasitas em animais selvagens levou-o eventualmente à descoberta de um outro novo tripanossomo Trypanosoma minasense em uma espécie endêmica de símio sul-americano e patogênica para o homem também..[1]

Diversas espécies de tripanossomas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Protozoários é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.