Protista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde abril de 2010). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaProtista
Ocorrência: Neoproterozoico - Recente
Protist collage.jpg

Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Protista*
Haeckel, 1866
Filos
ver texto

Protista é um grupo diverso de micro-organismos eucariontes unicelulares. Historicamente era tratado como um reino, que incluía a maioria dos organismos unicelulares que não se encaixam em nenhum dos outros dois reinos, Animalia e Plantae.

Possui cerca de 20 mil espécies, sendo um grupo diversificado, heterogêneo, que evoluiu a partir de algas unicelulares.[1] Em alguns casos essa origem torna-se bem clara, como no grupo de flagelados.[1] Há registros fósseis de protozoários com carapaças (foraminíferos), que viveram há mais de 1500 milhões de anos, na Era Proterozoica.[1] Grandes extensões do fundo dos mares apresentam espessas camadas de depósitos de carapaças de certas espécies de radiolários e foraminíferos.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os Protozoários foram classificados por Goldfuss em 1818 como um filo, Protozoa pertencente ao Reino Animal. Goldfuss descreveu os protozoários como sendo micro-organismos unicelulares heterotróficos, semelhantes a animais, o antigo reino Protozoa (do grego Proto que em português significa primeiro) e (Zoa ou zoo que em português significa animal ou animais) portanto o termo protozoário "em português" significa literalmente "os primeiros animais" e devido a isso foram classificados no Filo Protozoa como se fossem "animais microscópicos" e por conseguinte estavam incluídos no Reino Animal.

Antigamente referia-se ao Filo dos Protozoários. Atualmente o termo protozoário tem sido empregado como uma designação coletiva, sem valor taxonômico. Os antigos Subfilos passaram a ser os atuais Filos. Na nova classificação, o antigo filo Protozoa foi eliminado do Reino Animal e, seus antigos subfilos, subfilo Plasmodroma e subfilo Ciliophora, atualmente são classificados como filos Plasmodroma e o Ciliophora pertencentes ao reino Protista. As algas unicelulares, crisófitas, euglenófitas e pirrófitas que antigamente estavam classificadas no Reino Vegetal, saíram do Reino Vegetal e passaram a ser classificadas também como integrantes do Reino Protista junto com os protozoários.

A classificação dos protozoários é feita com base nas estruturas de locomoção que apresentam e devido a muitas semelhanças com as estruturas de locomoção das algas unicelulares, todos esses micro-organismos muito semelhantes e que apresentam características mistas tanto de animais quanto de vegetais, saíram dos Reino Animal e do Reino Vegetal e foram todos eles reunidos no Reino Protista. Para evitar confusões, mantemos o uso dos termos "Filos para protozoários" e "Divisões para algas unicelulares" da mesma forma como estavam classificados antes, na botânica e na zoologia.

As classes de micro-organismos anteriormente classificadas como algas mas que agora se encontram no Reino Protista são todas eucariontes e unicelulares. As únicas algas procariontes são as cianofíceas mas essas agora são classificadas como bactérias do Reino Monera.

As verdadeiras algas, Feófitas (algas pardas), Rodófitas (algas vermelhas) e Clorófitas (algas verdes), que são seres protistas pluricelulares, formados por verdadeiros tecidos vegetais com bilhões de células intimamente ligadas umas às outras, estas não estão contidas no Reino Vegetal e são consideradas como protistas.

Características[editar | editar código-fonte]

Podem ser autótrofos (do grego: "autos", por si mesmo + "trophé", nutrição; literalmente "seres que alimentam a si mesmos"), ou seja, protistas que possuem clorofila e fazem a fotossíntese; no entanto, existem também outros protistas que são heterótrofos, ou seja, incapazes de fazer fotossíntese e que se alimentam de matéria orgânica. Protistas autótrofos, constituem a maior parte do plâncton marinho e dulcícula, são os mais importantes produtores nesses ecossistemas aquáticos.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Os representantes do reino protista se reproduzem através de bipartição, também conhecida como cissiparidade ou divisão binária, num processo de reprodução assexuada.[2] Assim como nas bactérias, a célula cresce, têm seu núcleo dividido em dois, depois o resto da célula se divide, originando duas células geneticamente idênticas. [2]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Os protozoários podem ser classificados de acordo com seu modo de locomoção[2] :

  • Rizópodes (Filo Rhizopoda): locomoção por pseudópodes;
  • Ciliados (Filo Ciliophora): locomoção através de cílios;
  • Flagelados: locomoção através de flagelos;
  • Esporozoários (ou apicomplexos): não têm sistema de locomoção;

Thomas Cavalier-Smith propôs o Reino Chromista, uma filosofia científica, entretanto ainda não esclareceu muitas linhas diferentes de protistas cujas relações não são compreendidas por este sistema de classificação que ele sugeriu. Os cladistas consideram os vários clades de Protistas como subgrupos diretos dos eucariotas, com a admissão de que não conhecem ainda o suficiente sobre eles para arranjá-los em uma hierarquia. Estes vários clades são listados na árvore evolucionária listada abaixo, denominada classificação Eukaryota.

Referências

  1. a b c d Reino Protista So Biologia. Página visitada em 5 jan 2013.
  2. a b c MARTINS, Lucas (19 fev 2007). Reino Protista (Protozoários, Protozoa) InfoEscola. Página visitada em 6 jan 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Zoologia Geral por Tracy I. Storer e Robert L. Usinger; tradução de Cláudio Gilberto Froehlich, Diva Diniz Corrêa e Erika Schlens. Brasil - SP - Companhia Editora Nacional, 2ª edição 1976.
  • Botânica: Introdução à Taxonomia Vegetal por A.B.Joly, Brasil - SP - Companhia Editora Nacional, 3ª edição 1976.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Protista
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Protista