Protozoário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaProtozoários
Protist collage.jpg

Classificação científica
Reino: Protista

Protozoários ou Protozoa (do grego proto "primeiro" e zoon "animal") são microorganismos eucarióticos geralmente unicelulares e heterotróficos. Sua classificação é controversa, pois inclui diversos seres semelhantes que não possuem relação evolutiva, sendo assim um grupo polifilético que une diferentes tipos de organismos microscópicos que não se encaixam no reino Metazoa. Segundo Brusca & Brusca, protozoários são os seres eucariontes que não apresentam nível de organização tecidual como as plantas e os animais e não passam pelo processo de formação dos folhetos embrionários que ocorre nesses grupos.[1] Fazem parte do reino Protista, junto com as algas unicelulares crisófitas, euglenófitas e pirrófitas de acordo com suas semelhanças mais evidentes.

Os protozoários são classicamente divididos em quatro grupos de acordo com o seu meio de locomoção. Os ciliados se locomovem na água através do batimento de cílios numerosos e curtos, enquanto os flagelados utilizam o movimento de um único longo flagelo. Os rizópodos utilizam pseudópodos ("falsos pés"), moldando a forma do seu próprio corpo para se locomover. Os protozoários que não possuem organelas locomotoras nem vacúolos contráteis são chamados esporozoários. Porém é preciso lembra que esses grupos não representam a origem evolutiva dos organismos, pois não são grupos monofiléticos.[1]

A disciplina que estuda os protozoários denomina-se protozoologia.

Habitat[editar | editar código-fonte]

A maioria dos protozoários são de vida livre e aquática podendo ser encontrados na água doce, salobra ou água salgada, levam vida livre também em lugares úmidos rastejando pelo solo ou sobre matéria orgânica em decomposição ou agem como parasitas de diversos organismos, podendo gerar doenças conhecidas por protozooses. A reprodução dos protozoários geralmente é assexual acontecendo por divisão múltipla onde o microorganismo apenas se divide em cópias dele mesmo, alguns produzem esporos para se disseminarem pelo ambiente, às vezes alguns também apresentam reprodução sexual havendo nítida troca de material genético entre um micro-organismo e outro.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

A maioria dos protozoários apresenta um corpo composto por uma única célula, que pode ter 10µm nos coanoflagelados ou muitos centímetros em alguns dinoflagelados, foraminíferos ou amebas. Esta estrutura corpórea do protozoário é limitada pela membrana celular. A flexibilidade ou rigidez do corpo e de sua forma são super dependentes do citoesqueleto, que está localizado bem abaixo da membrana celular. Logo, o citoesqueleto e a membrana formam o que chamamos de “película”, que é como uma “parede corporal” destes organismos. Filamentos protéicos como a actina, microtúbulos, vesículas como os alvéolos compõem o citoesqueleto.Os protozoários podem apresentar dois tipos de esqueleto: endo e exoesqueleto. As organelas responsáveis pela locomoção do protozoário podem ser os flagelos, os cílios ou ainda extensões fluidas do próprio corpo (os pseudópodes). Alguns destes organismos dependem da fotossíntese, outros se nutrem absorvendo materiais orgânicos e ainda alguns podem digerir partículas alimentares ou presas no interior de vacúolos. Esse alimento que entra no vacúolo através da fagocitose, entra por uma abertura chamada citóstoma. O vacúolo é transferido para o interior, sendo conduzido ao longo da citofaringe (um trato microtubular).

Quando se fala sobre transporte celular, é valido lembrar que a difusão é essencial para o transporte interno nos protozoários. A respiração da maioria desses organismos é aeróbica, que depende da difusão para a tomada de oxigênio e para a liberação de CO2. Entretanto alguns são anaeróbios obrigatórios, especialmente os que vivem emsimbiose no trato digestivo dos animais. Já as espécies aquáticas associadas à decomposição de matéria orgânica podem ser anaeróbias facultativas (utilizam o oxigênio quando estiver presente, mas também são capazes de respirar em sua ausência).

Muitos protozoários de água doce realizam osmose para remover o excesso de água e também para ajustar a concentração e a proporção dos íons. Esta água adicional provém dos alimentos. A osmorregulação é feita por um sistema de organelas que bombeia água e íons, chamado complexo vacuolar contrátil.

  • Tamanho:
    • A maioria deles é minúscula, medindo de 0,01 mm a 0,05 mm aproximadamente, sendo que algumas exceções podem medir até 0,5 mm como, por exemplo, os foraminíferos.
  • Nutrição:
    • Os autótrofos fazem fotossíntese e se alimentam como se fossem plantas, outros são heterótrofos e se alimentam comendo diversos alimentos principalmente matéria orgânica em decomposição, folhas mortas, animais mortos, fezes etc. Sua forma de nutrição é muito diferenciada, pois podem ser predadores ou filtradores, herbívoros ou carnívoros, parasitas ou mutualistas mas, a principal forma de alimentação deles é a nutrição saprófita. A digestão é intracelular, por meio de vacúolos digestivos, sendo que o alimento é ingerido ou entra na célula por meio de uma "boca", o citóstoma. A célula desses micro-organismos unicelulares é muito especializada, e cada organela tem uma função vital.
  • Locomoção:
    • O sistema locomotor é bem primitivo com o uso de flagelos, cílios, membranas ondulantes, cirros ou pseudópodes. Há um sistema hidrostático, constituído de vacúolos pulsáteis que eliminam o excesso de água que entra na célula por osmose nos protozoários dulcícolas, estabelecendo assim o equilíbrio osmótico. O citoesqueleto também é especializado para manter a forma da célula, emissão de pseudópodes, locomoção, movimentação de vacúolos digestivos, entre outras funções necessárias. Esporozoítas não possuem estruturas locomotoras, são levados pelas correntezas de água, pelo vento mas são levados principalmente através de animais vetores (pulgas, mosquitos, moscas, baratas, carrapatos etc.) que se contaminam com esses protozoários parasitas e os disseminam a outros diversos seres vivos hospedeiros que adoecem quando são atacados por esses parasitas.
  • Sustentação:
    • Algumas espécies possuem endoesqueleto enquanto outras possuem exoesqueleto geralmente são carapaças de diversas formas.
  • Ecologia:
    • Os protozoários servem como indicadores da qualidade do ambiente, sendo que em águas poluídas por resíduos industriais normalmente não aparecem muitos protozoários enquanto que em águas e solos onde exista matéria orgânica em decomposição eles aparecem em abundância fazendo a decomposição de fezes e qualquer matéria orgânica morta e com isso colaborando com a limpeza do meio ambiente, a presença de muitos protozoários indica que aquele ambiente está ecológicamente saudável.

História dos protozoários[editar | editar código-fonte]

  • Antigamente referia-se ao Filo dos Protozoários. Atualmente o termo protozoário tem sido empregado como uma designação coletiva, sem valor taxonômico. Os antigos Subfilos passaram a ser os atuais Filos.
  • Os Protozoários foram classificados por Goldfuss em 1818 como um filo, Filo Protozoa pertencente ao Reino Animal. Goldfuss descreveu os protozoários como sendo micro-organismos unicelulares heterotróficos, semelhantes a animais, o antigo Reino Protozoa (do grego Proto que em português significa primeiro) e (Zoa ouzoo que em português significa animal ou animais) portanto o termo protozoário "em português" significa literalmente "os primeiros animais". Com a nova classificação dos protozoários os antigos Subfilos: Subfilo Plasmodroma e o Subfilo Ciliophora, passaram a ser os atuais Filos dos protozoários que agora estão classificados dentro do Reino Protista. A classificação dos protozoários é feita com base nas estruturas de locomoção que apresentam e devido a muitas semelhanças com as algas unicelulares que antigamente estavam classificadas em "Divisões da Botânica" mas que atualmente também passaram a ser divisões de algas unicelulares incluídas no Reino Protista junto aos filos dos protozoários. Esses micro-organismos apresentam características mistas tanto de animais quanto de vegetais e por isso foram todos eles reunidos e incluídos no Reino Protista. Mantemos o uso dos termos "Filos para protozoários" e "Divisões para algas unicelulares" da mesma forma como estavam classificados antes, na botânica e na zoologia.
    • Thomas Cavalier-Smith propôs o Reino Chromista, uma filosofia científica, entretanto ainda não esclareceu muitas linhas diferentes de protistas cujas relações não são compreendidas por este sistema de classificação que ele sugeriu. Os cladistas consideram os vários clades de Protistas como subgrupos diretos dos Eukaryotes, com a admissão de que não conhecem ainda o suficiente sobre eles para arranjá-los em uma hierarquia. Estes vários clades são listados na árvore evolucionária nessa tabela abaixo, denominada classificação Eukaryota.

Filos de protozoários[editar | editar código-fonte]

    • Filo A. Plasmodroma;
    • Filo B. Ciliophora.

Filo A. Plasmodroma[editar | editar código-fonte]

Classe 1. Masti[editar | editar código-fonte]

Subclasse 1. Phytomastigina[editar | editar código-fonte]
  • Ordem 1: Chrysomonadina
  • Ordem 2. Cryptomonadina
  • Ordem 3. Phytomonadina
  • Ordem 4. Euglenoidina
  • Ordem 5. Chloromonadina
  • Ordem 6. Dinoflagellata
Subclasse 2. Zoomastigina[editar | editar código-fonte]
  • Ordem 1. Choanoflagellina
  • Ordem 2. Rhizomastigina
  • Ordem 3. Protomonadina
  • Ordem 4. Retortamonadina
  • Ordem 5. Diplomonadina
  • Ordem 6. Oxymonadina
  • Ordem 7. Trichomonadina
  • Ordem 8. Hypermastigina

Classe 2. Opalinata (rotociliata)[editar | editar código-fonte]

  • Ordem 1. Opalinida

Classe 3. Sarcodina (Rhizopoda)[editar | editar código-fonte]

Subclasse 1. Rhizopoda[editar | editar código-fonte]
    • Ordem 1: Amoebina
    • Ordem 2: Testacea
    • Ordem 3: Gromiina
    • Ordem 4: Foraminifera
    • Ordem 5: Mycetozoa
    • Ordem 6: Labyrinthulina
Subclasse 2. Piroplasmea[editar | editar código-fonte]
    • Ordem 1: Piroplasmida
  • Subclasse 3 Actinopoda
    • Ordem 1: Radiolaria
    • Ordem 2: Acantharia
    • Ordem 3: Heliozona
    • Ordem 4: Proteomyxa

Classe 4. Sporozoa[editar | editar código-fonte]

Subclasse 1. Telosporidia[editar | editar código-fonte]
  • Ordem 1. Gregarinida
  • Ordem 2. Coccidia
  • Ordem 3. Haemosporidia
Subclasse 2. Acnidosporidia[editar | editar código-fonte]
  • Ordem 1. Haplosporidia
  • Ordem 2. Sarcosporidia
Subclasse 3. Cnidosporidia[editar | editar código-fonte]
  • Ordem 1. Myxosporidia
  • Ordem 2. Actinomyxidia
  • Ordem 3. Microsporidia
  • Ordem 4. Helicosporidia

Filo B. Ciliophora[editar | editar código-fonte]

Balanditium, protozoário ciliado.

Classe Ciliata[editar | editar código-fonte]

Subclasse 1: Holotricha[editar | editar código-fonte]
    • Ordem 1: Gymnostomatida
    • Ordem 2: Trichostomatida
    • Ordem 3: Chonotrichida
    • Ordem 4: Suctorida
    • Ordem 5: Apostomatida
    • Ordem 6: Astomatida
    • Ordem 7: Hymenostomatida
    • Ordem 8: Thigmotrichida
    • Ordem 9: Peritrichida

Subclasse 2: Spirotricha[editar | editar código-fonte]

    • Ordem 1: Heterotrichida
    • Ordem 2: Oligotrichida
    • Ordem 3: Tintinnida
    • Ordem 4: Entodinomorphida
    • Ordem 5: Odontostomatida
    • Ordem 6: Hypotrichida

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "BRUSCA, Richard C. & BRUSCA, Gary J." Invertebrados. Capítulo 5. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2003. ISBN 978-85-277-1258-3.
  • Zoologia Geral por Tracy I. Storer e Robert L. Usinger; tradução de Cláudio Gilberto; Froehlich, Diva Diniz Corrêa e Erika Schlens. Brasil - SP - Companhia Editora Nacional, 2ª edição 1976.
  • Botânica: Introdução à Taxonomia Vegetal por Aylthon Brandão Joly; Brasil - SP - Companhia Editora Nacional, 3ª edição 1976.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Protozoário