Tufão Xangsane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tufão Xangsane (Milenyo)
Tufão  (AMJ)
Categoria 4  (EFSS)
Typhoon Xangsane 27 sept 2006.jpg
O tufão Xangsane a leste das Filipinas em 27 de Setembro
Formação: 25 de Setembro de 2006
Dissipação: 1º de Outubro de 2006
Vento mais forte (1 min): 125 nós (232 km/h, 144 mph)
Vento mais forte (10 min): 80 nós (148 km/h, 92 mph)
Pressão mais baixa: 950 hPa (mbar) ou 713 mmHg
Danos: $750 milhões de dólares (valores em 2006)
Inflação: $770 milhões de dólares (valores em 2007)
Fatalidades: Nenhuma
Áreas afetadas: Filipinas, China (Hainan), Vietnã, Camboja e Tailândia
Parte da
Temporada de tufões no Pacífico de 2006

O tufão Xangsane (designação internacional: 0615; designação do JTWC: 18W; designação filipina: Milenyo) foi um tufão que causou muitas vítimas e que afetou as Filipinas, Vietnã e Tailândia durante a temporada de tufões no Pacífico de 2006. Xangsane foi o décimo quinto sistema tropical nomeado e o nono tufão reconhecido pela Agência Meteorológica do Japão (AMJ) operacionalmente durante a temporada, embora em análises pós-tempestades Xangsane tenha se tornado o décimo tufão da temporada com a adição do tufão Maria. De acordo com o Joint Typhoon Warning Center, xangsane foi a décima sexta tempestade tropical e o décimo tufão da temporada. De acordo com o JTWC, a intensidade do tufão foi equivalente a um furacão de categoria 4 na escala de furacões de Saffir-Simpson, levando em consideração os ventos máximos sustentados em 1 minuto. O nome Xangsane foi submetido pelo Laos e significa elefante.[1]

Xangsane fez landfall nas Filipinas, atingindo as ilhas setentrionais com chuvas torrenciais e fortes ventos e causando enchentes e deslizamentos de terra generalizados. Após passar sobre Manila e emergir no Mar da China Meridional, o tufão fez um segundo landfall na região central de Vietnã, também causando enchentes e deslizamentos lá e na Tailândia. A tempestade foi a responsável por 279 mortes, a maioria nas Filipinas e no Vietnã e no mínimo $747 milhões de dólares (valores em 2006) em prejuízos.[2] [3] [4]

História meteorológica[editar | editar código-fonte]

O caminho de Xangsane

Em 25 de Setembro, a Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronômicos das Filipinas (PAGASA) classificou uma área de baixa pressão ativa dentro de sua área de responsabilidade como a depressão tropical Milenyo. Tendo antes emitido um alerta de formação de ciclone tropical (AFCT), o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) emitiu seu primeiro aviso sobre a depressão tropical 18W no mesmo dia. Em 26 de Setembro, a Agência Meteorológica do Japão (JMA) designou o sistema como a tempestade tropical Xangsane.

Xangsane intensificou-se rapidamente e, mais tarde, a AMJ classificou a tempestade como uma tempestade tropical severa. Xangsane fez landfall na Ilha Samar como uma tempestade tropical severa, antes de um momento de rápida intensificação ocorrer. Todas as três agências, a AMJ, o JTWC e a PAGASA classificaram a tempestade como um tufão no final de 26 de Setembro e no começo da madrugada de 27 de Setembro.

Xangsane então passou através do arquipélago filipino, provocando destruição e tornando-se o mais intenso tufão a atingir a Região Metropolitana de Manila em onze anos.[5] Assim que Xangsane entrou no Mar da China Meridional como um fraco tufão, o sistema voltou a se intensificar, atingindo seu pico de intensidade secundário pouco antes de fazer landfall perto de Huế em 1º de Outubro. O JTWC parou de emitir avisos regulares sobre o sistema após o landfall, enquanto que a AMJ manteve os avisos sobre a tempestade em terra até o sistema estar sobre a Tailândia como uma depressão tropical. Xangsane degenerou-se numa área de baixa pressão e a AMJ continuava a monitorar o sistema em seus boletins ultramarinos, enquanto que o Sistema Automatizado de Previsão de Ciclones Tropicais da Marinha dos Estados Unidos da América continuava a seguir o sistema remanescente de Xangsane já sobre o Golfo de Bengala.

Preparativos[editar | editar código-fonte]

Filipinas[editar | editar código-fonte]

As províncias das Filipinas em que sinais públicos de tempestades foram içados para preparativos contra a chegada do tufão Milenyo (Xangsane)

Em 27 de Setembro, a PAGASA emitiu um sinal de tempestade nº3, um aviso de ventos entre 100 a 185 km, para áreas do sul de Luzon. Um sinal de tempestade n°2, para ventos entre 60 a 100 km/h, foi içado para a parte setentrional da Ilha Samar e região central de Luzon. Um sinal de tempestade nº1, para ventos entre 30 a 60 km/h foi emitido para a porção noroeste de Luzon, incluindo a Região Metropolitana de Manila, e para a porção setentrional de Visayas, incluindo o restante da Ilha Samar. As aulas nas áreas avisadas foram suspensas e os aeroportos e os portos ficaram fechados. A Philippine Airlines cancelou mais da metade de seus vôos que partiam ou saíam do Aeroporto Internacional Ninoy Aquino em 28 de Setembro, e também vários serviços de trânsito foram suspensos.[6] A Região Metropolitana de Manila e as províncias Tagalog foram avisados sobre a possibilidade de enchentes e ventos fortes.[7]

Quando tornou-se claro que Xangsane poderia se aproximar da Região Metropolitana de Manila, a PAGASA aumentou o aviso para MAnila e para a região central de Luzon para o sinal de tempestade n°3 em 28 de Setembro. Todos os sinais de tempestades foram descontinuados mais tarde.[8]

Vietnã[editar | editar código-fonte]

Antes do landfall final de Xangsane, o governo vietnamita montou um comitê de direção liderado pelo Primeiro-Ministro Nguyen Sinh Hung para fiscalizar as evacuações e os preparativos contra a chegada da tempestade na região central do Vietnã.[9] Autoridades provincianas e locais retiraram mais de 300.000 pessoas de áreas baixas em Ha Tinh e Phu Yen, assim como de áreas montanhosas propícias a deslizamentos de terra. O governo vietnamita também ordenou 2.400 embarcações, incluindo 273 embarcações pesqueiras a retornarem para os portos.[10] A Vietnam Airlines, a empresa aérea nacional, cancelou ou desviou todos os vôos em 30 de Setembro e em 1º de Outubro.[11] Estes esforços foram executados com o objetivo de prevenir a repetição de danos e fatalidades causados pelo tufão Chanchu anteriormente nesta temporada.[12]

Tailândia[editar | editar código-fonte]

Embora Xangsane tenha se enfraquecido consideravelmente sobre terra, os residentes da porção setentrional da Tailândia foram avisados sobre a ameaça de enchentes causadas pela área de baixa pressão remanescente de Xangsane assim que o sistema se aproximava. O Departamento de Prevenção e Mitigação de Desastres alertou seus escritórios provinciais no país para estarem preparados a ventos fortes, enchentes de curta duração e deslizamentos de terra. Residentes em áreas altas também foram alertado sobre possíveis correntes de lama e o exército local foi despachado para ajudar nos preparativos regionais contra a tempestade.[13]

Impactos[editar | editar código-fonte]

Imagem TRMM mostrando a bem definida parede do olho antes de seu primeiro landfall

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Os danos foram generalizados na Região Metropolitana de Manila, região em que o tufão atingiu diretamente. Os fornecimentos de água e eletricidade foram cortados em várias províncias, enquanto que rios transbordados causaram enchentes, deslizamentos de terra e deixou rodovias intransitáveis. Em algumas partes do país, a eletricidade foi cortada por mais de seis dias consecutivos.[14] Muitas árvores e placas de propaganda foram derrubadas por Xangsane, enquanto que Luzon ficou sem o fornecimento de energia em toda a ilha.[5] Fortes ondas e fechamentos de portos deixou no mínimo 3.400 pessoas e quase 270 veículos parados em portos e terminais, principalmente na principal linha de balsa entre a Ilha Samar e a região de Bicol.[15] Autoridades locais e provinciais descreveram Xangsane como o pior tufão que atingiu diretamente Manila em 11 anos, quando o tufão Angela passou sobre a cidade.[5]

O governo das Filipinas estimou que aproximadamente 2 milhões de pessoas em 19 províncias foram afetadas por Xangsane,[16] que destruiu muitas casas e lavouras em sua trajetória sobre as ilhas.[14] Os escritórios locais e regionais da Cruz Vermelha Nacional das Filipinas relatou grandes danos em no mínimo 116 municípios, 12 cidades e um total de 1.295 barangays no país.[17] Chuvas torrenciais de Xangsane foram responsáveis por 197 mortes[2] e $5,9 bilhões de pesos filipinos ($118 milhões de dólares - valores em 2006) em prejuízos, a maior parte em propriedades pessoais e na agricultura.[3]

Xangsane sobre terra no leste da Indochina

Vietnam[editar | editar código-fonte]

Xangsane fez o seu segundo landfall na região central do Vietnã, causando enchentes severas e ventos fortes que causaram perto de $10 trilhões de dongs vietnamitas ($629 milhões de dólares - valores em 2006) em prejuízos e matou 71 pessoas. O piores danos estruturais ocorreram em Da Nang, onde 26 pessoas morreram. As províncias de Quang Nam e Nghe An também foram duramente atingidos, com um total 25 pessoas mortas.[2] A tempestade danificou ou destruiu por volta de 320.000 residências, derrubou milhares de árvores e postes e causou a inundação de importantes ruas.[18]

Foi relatado danos significativos na agricultura, especialmente na província de Quang Binh. Mais do que 3.000 quilômetros quadrados de lavouras, a maior parte de arroz, foram danificadas ou levadas pela enxurrada.[19] Houve também relatos de fortes perdas em granjas e de animais de criação. Quase 13 km² de lavoura e 786 barcos pesqueiros foram perdidos.[20]

Tailândia[editar | editar código-fonte]

Os remanescentes de Xangsane moveram-se sobre a Tailândia em 2 de Outubro e combinaram-se com a umidade de monção sobre a porção setentrional do país, causando chuvas torrenciais e enchentes severas em mais de 35 províncias. As enchentes colapsaram diques e barreiras e inundaram ou danificaram perto de 2.100 km² de lavouras e também de infraestruturas locais.[21] Muitos municípios relataram enchentes cujos níveis de água ultrapassaram 3 metros de altura.[21] O município de Angthong relatou enchentes com níveis de água de 60 cm. O Departamento de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais relatou 14 mortes[22] e vilarejos e várias províncias relataram níveis significativos de poluição da água e doenças causadas pela água poluída e estagnada.[23]

Após a tempestade[editar | editar código-fonte]

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Esta imagem mostra o total de chuva acumulada no sudeste da Ásia entre 25 de Setembro e 2 de Outubro de 2006 estimada em parte dos dados coletados pelo satélite de Missão de Medida de Chuvas Tropicais (TRMM). Símbolos de tempestade marcam a trajetória do tufão. Totais que superam 300 mm são mostrados sobre Samar, na região centro-leste das Filipinas (áreas vermelhas). Uma grande área de precipitação acumulada entre 100 e 200 mm (áreas verdes) segue desde as Filipinas até a costa do Vietnã

Seguindo a passagem de Xangsane, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (IRFC) emitiu um pedido emergencial de $5,7 milhões de francos suíços ($4,6 milhões de dólares - valores em 2006) para ajudar a Cruz Vermelha das Filipinas em seus esforços de ajuda. Além disso, o movimento despachou 3.000 trabalhadores e 3 equipes de resposta a desastres para as áreas afetadas para missões de procura e resgate, de avaliação dos danos e para assistenciar as pessoas afetadas pelo tufão. A Cruz Vermelha das Filipinas providenciou mercadorias em conserva, arroz, roupas e materiais de higiene pessoal para mais de 6.300 famílias. Voluntários locais providenciaram assistência para as pessoas nos abrigos.[24] A Cruz Vermelha Espanhola, presente desde 1998 como reserva da Cruz Vermelha das Filipinas também enviou pessoas, equipamentos de logística e sistemas de purificação de água para as áreas mais duramente atingidas, para ajudar nos esforços de alívio e na avaliação dos danos.[14]

Um ônibus foi atingido por uma estrutura de outdoor na AES no baldeamento de Magallanes em Makati

Em Manila, outdoors derrubados pelo vento matou várias pessoas e causou congestionamentos ao longo de uma das principais vias do país, a Avenida Epifanio de los Santos, a principal auto-estrada da metrópole de Manila. Isto levou alguns membros do senado das Filipinas a quererem a remoção e o banimento de outdoors na região de Manila, que foi um assunto principal por algum tempo na área. A senadora Miriam Defensor-Santiago escreveu um apelo para a presidente Gloria macapagal-Arroyo, pedindo a ela a aprovação do "Ato do movimento anti-outdoor de 2006", que baniria os outdoors nas principais avenidas dentro da Região Metropolitana de Manila.[25]

Vietnã[editar | editar código-fonte]

Em 3 de Outubro, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho liberou $100.000 francos suíços ($80.300 dólares - valores em 2006) de seu fundo de ajuda em desastres para a Cruz Vermelha do Vietnã[24] e anunciou um apelo emergencial de $1 milhão de francos suíços ($810.000 dólares - valores em 2006) em ajuda no dia seguinte. O governo vietnamita também liberou $100 bilhões de dongs vietnamitas ($6,2 milhões de dólares - valores em 2006) e 1.500 toneladas de arroz do estoque de alimentos de segurança nacional para ajudar nos esforços de ajuda na região central do Vietnã. A Frente da Pátria do Vietnã também emitiu um apelo para organizações nacionais e internacionais façam doações e ajuda.[20]

Tailândia[editar | editar código-fonte]

O Departamento de Prevenção e Mitigação de Desastres e a Sociedade da Cruz Vermelha Tailandesa retiraram residentes das áreas centrais da Tailândia que foram afetadas por chuvas causadas pelas áreas de instabilidades remanescentes de Xangsane. A Cruz Vermelha também ajudou as vítimas e aos desalojados com alimentos e kits emergenciais. Vários centros de saúde da Cruz Vermelha em 12 províncias despacharam kits de emergência, água potável e kits médicos para no mínimo 16.000 famílias afetadas pelas enchentes.[21]

Devido às mortes e aos danos causados, foi decidido na 39ª reunião do comitê de tufões ESCAP/OMM em Manila, em Dezembro de 2006, que o nome Xangsane, juntamente com quatro outros nomes, seriam retirados da lista oficial de nomes de tufões.[26] Em Dezembro de 2007, o comitê selecionou o nome Leepi para substituir Xangsane na lista de nomes de tufões, começando a valer em 2008.[27]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tufão Xangsane

Referências

  1. RSMC Tokyo - Typhoon Center. List of names for tropical cyclones adopted by the Typhoon Committee for the western North Pacific Ocean and the South China Sea (em inglês). Japan Meteorological Agency. Página visitada em 2006-10-08.
  2. a b c Xinhua News Agency (6 de Outubro de 2006). Typhoon, flood claim 71 lives in central Vietnam (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-08.
  3. a b Government of the Philippines (4 de Outubro de 2006). NDCC media update effects of Typhoon "Milenyo" (Xangsane) - 04 Oct 2006 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-09.
  4. Viet Bao (1º de Outubro de 2006). 48 người chết vì bão Xangsane - 01 Oct 2006 (em inglês). Viet Bao Viet Nam. Página visitada em 2006-10-19.
  5. a b c Rivera, Blanche (29 de Setembro de 2006). Typhoon batters Metro Manila, Bicol (em inglês). INQ7. Página visitada em 2006-10-08.
  6. NAIA shuts down, flights cancelled (em inglês). Manila Times (29 de Setembro de 2006). Página visitada em 2006-10-10.
  7. Milenyo could hit Metro Manila - PAGASA (em inglês). INQ7 (27 de Setembro de 2006). Página visitada em 2006-10-07.
  8. PAGASA (28 de Setembro de 2006). Severe weather bulletin - number 12 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-07.
  9. Over 180,000 people must evacuate to avoid Xangsane (em inglês). VietNamNet (30 de Setembro de 2006). Página visitada em 2006-11-04.
  10. Xangsane forecast to hit large area (em inglês). VietNamNet (29 de Setembro de 2006). Página visitada em 2006-10-07.
  11. Typhoon prompts Vietnam Airlines to cancel night flights (em inglês). VietNamNet (1º de Outubro de 2006). Página visitada em 2006-11-04.
  12. Agence France-Presse (2 de Outubro de 2006). Vietnam cleans up after deadly typhoon (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-07.
  13. Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (3 de Outubro de 2006). The Philippines, Vietnam and Thailand: Typhoon OCHA Situation Report No. 2 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-07.
  14. a b c Cruz Roja Española (3 de Outubro de 2006). The Red Cross sends emergency equipment to support the victims of Typhoon Xangsane (Spanish) (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-08.
  15. Ivan, Mark et al. (28 de Setembro de 2006). ‘Milenyo’ slams into RP; Metro Manila in its path (em inglês). Manila Times. Página visitada em 2006-10-10.
  16. Agence France-Presse (4 de Outubro de 2006). Philippines still assessing damage from typhoon Xangsane (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-09.
  17. Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (2 de Outubro de 2006). Philippines: Typhoon Xangsane Emergency Appeal No. MDRPH002 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-09.
  18. Reuters (5 de Outubro de 2006). Typhoon Xangsane, flood toll reaches 169 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-08.
  19. Long, Le Thang (Agence France-Presse) (3 de Outubro de 2006). Vietnamese villagers struggle after typhoon (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-08.
  20. a b Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (4 de Outubro de 2006). Viet Nam: Typhoon Xangsane Emergency Appeal No. MDRVN001 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-08.
  21. a b c Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (4 de Outubro de 2006). Thailand: Floods Information Bulletin No. 1 (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-08.
  22. More flood deaths, water borne disease alert (em inglês). MCOT (3 de Outubro de 2006). Página visitada em 2006-10-08.
  23. Angthong inundated (em inglês). Nation Multimedia (3 de Outubro de 2006). Página visitada em 2006-10-09.
  24. a b Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (3 de Outubro de 2006). International Federation launches emergency appeal as the Philippines faces another violent storm (em inglês). ReliefWeb. Página visitada em 2006-10-09.
  25. Ager, Maila (2 de Outubro de 2006). Senator, solon seek permanent billboard ban (em inglês). INQ7. Página visitada em 2006-10-09.
  26. ESCAP/WMO台风委员会第三十九次届会在菲律宾召开
  27. Typhoon Committee adopt new typhoon name (em inglês). China Meteorological Agency (2007). Página visitada em 2007-12-11.
Ciclones tropicais da Temporada de tufões no Pacífico de 2006
15
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



*PAGASA
#JTWC
SN - Sem nome