Universidade de Grenoble

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Universidade de Grenoble
Université de Grenoble
Université de Grenoble.jpg
Fundação Humberto II de Viennois
1339-1810
Dissolução 1793-1968
Tipo de instituição Comunidade de Universidades e Estabelecimentos
Localização Grenoble, Rhône-Alpes,  França
Funcionários 6600
Presidente Alain Spalanzani
Total de Estudantes 61000
Campus Grenoble
Afiliações Universidade de Grenoble
Página oficial Université de Grenoble

A Universidade de Grenoble (Francês: Université de Grenoble) constitui-se como uma Comunidade de Universidades e Estabelecimentos, composta por seis instituições autônomas localizadas na região do Rhône-Alpes, na França [1] . Pertencem a este agregado de universidades, na qualidade de membros fundadores, as seguintes instituições:

Estes estabelecimentos anunciaram em outubro de 2013 a intenção de fusão plena das instituições, prevista para ocorrer em junho de 2015. A nova universidade que surgirá receberá o nome de Universidade Grenoble Alpes, e será a segunda maior universidade francesa, perdendo apenas para a Universidade Aix-Marseille em número de alunos. Esta fusão é dada como certa pelas próprias instituições.


História[editar | editar código-fonte]

Tour de l'Isle, sede original da Universidade de Grenoble

A universidade foi fundada em 1339 pelo delfin Humberto II e confirmada por bula papal de Bento XII datada de 12 de maio de 1339[2] [3] para ensinar direito civil e canônico, medicina e as artes liberais.[4] Entretanto, a instituição carecia de recursos e desapareceu, por não ter como sustentar-se, após a morte de Humberto II. Foi restabelecida, em 1542 por Francisco de Bourbon e unificada com a Universidade de Valência em 1565.[5] Os habitantes de Grenoble tentaram, sem êxito, restabelecer a universidade várias vezes nos séculos XVI e XVII. Napoleão II restabeleceu as faculdades de direito, letras e ciências entre 1805-1808. Durante a restauração borbónica, em 1815 a Faculdade de Letras foi suprimida (restabelecida em 1847) e a Faculdade de Direito em 1818 (restabelecida em 1824). A Escola de Farmácia e Medicina foi estabelecida em 1866 e se converteu na quarta faculdade em 1894.[6] Entretanto, nessa época a universidade tinha poucos estudantes e oferecia poucas titulações. O desenvolvimento das ciências na universidade foi favorecido pela transformação de Grenoble de uma cidade isolada nas montanhas em um importante fornecedor de técnicas e equipamentos elétricos na década de 1880.[6] As faculdades foram inauguradas formalmente como a Universidade de Grenoble em 1879 na, então recentemente construída, Place Verdun.[7] O número de estudantes aumentou dos, aproximadamente 340 existentes em 1868, para 3.000 em 1930. O conceito de Établissement public à caractère scientifique, culturel et professionnel (EPCSP) desenvolveu-se à época de Edgar Faure como ministro da educação. Como resultado, a universidade foi dividida em diferentes organizações independentes em 1970 e tornou-se em dos maiores centros universitários da França com aproximadamente 60.000 estudantes em três grandes universidades.

A Divisão em Universidades distintas[editar | editar código-fonte]

Em 1970 foi dividida em várias instituições diferentes:

Influência intelectual[editar | editar código-fonte]

Dada a profusão de estudiosos nos mais diversos ramos do conhecimento, Grenoble também arvora-se de ser o berço de grandes escritores como Henry Beyle (Stendhal) e intelectuais notáveis a exemplo de Jean-Jacques Rousseau e Jean-Luc Godard e do pioneirismo em pesquisas, contando com inúmeros laboratórios, como o CENG , Centro de Estudos Nucleares de Grenoble e outros, como os laboratórios de Hidráulica, de Hidrologia, o (E.S.R.F.) European Synchrotron Radiation Facility, e MINATEC.

Todavia, em em questões mais objetivas, o fato é que as distintas instituições compartilhavam o mesmo campus e outras instalações. A partir de 2010 foi criado um projeto para a unificação das cinco organizações mas que ainda não se concretizou, portanto, a partir de 1970, o nome "Universidade de Grenoble" (Université de Grenoble) não se refere a uma instituição educativa com existência administrativa real.

Professores de renome[editar | editar código-fonte]

Louis Balleydier; Jules Blache; Raoul Blanchard; Jean-François Champollion; Victor Del Litto; Joseph Fourier; Jacques Freyssinet; Jean Gaudemet; Jean Giroud; Jean Kuntzmann; Georges Lavau; Julien Luchaire; Michel Michel, (sociólogo); Louis Néel; Philippe Nozières; Alain Pessin; Bernard Vauquois; Gilles Lipovetsky, filósofo; Charles Petit-Dutaillis, membro da Academia de Inscrições e Belas-Letras.

Estudantes de renome[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Portal A Wikipédia possui os portais:
  • Universidades da França
  • Grenoble