Widescreen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Widescreen é um termo em inglês que em português europeu é designado por ecrã panorâmico, e que designa a tela (português brasileiro) ou ecrã (português europeu) de uma televisão, de uma projeção (de cinema ou outro meio) ou monitor que tem um valor maior para a razão entre largura e altura da tela ativa (a que exibe a imagem) do que o clássico formato pitagórico 4:3 (1,3[3] = 1,333...). Isso quer dizer que em cada 1 cm de altura, a imagem tem largura de cerca de 1,33 cm.

Os formatos widescreen mais conhecidos são 1,77:1 (16:9), 2,33:1 (21:9) e 2,66:1 (cinemascope). Este último formato é mais usual em salas de exibição e projeção comercial de cinemas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os filmes feitos para serem passados em widescreen foram criados nos Estados Unidos nos anos 50 que antigamente se chamava "cinemascope", como reação à popularização das transmissões televisivas. Os aparelhos de televisão foram criados com o mesmo padrão de imagem do cinema de então (4:3) e os estúdios para se diferenciar, criaram uma imagem mais próxima da visão humana (por ser mais larga – wide em inglês) através do sistema widescreen, que se popularizou entre os produtores cinematográficos, tornando-se majoritário (há filmes desde os anos 50 que continuam a ser produzidos no padrão anterior por razões de economia) desde então.

Actualmente o formato widescreen 16:9 é o formato que é usado em grande maioria nas produções de conteúdos televisivos. A esmagadora maioria das televisões vendidas actualmente são televisões 16:9, e muitas delas de alta definição.

Vantagens dos formatos widescreen[editar | editar código-fonte]

Uma tela widescreen é a soma da parte azul (antigo formato 4:3), acrescendo as laterais da parte verde. Com o formato 16:9, vê-se uma imagem maior (na verdade, mais larga: razão do "wide") do que com o formato 4:3.

Uma tela widescreen oferece uma imagem alargada em relação ao 4:3. É ideal para se ver filmes tais quais eles foram planejados por seus criadores para esse formato. Muitos aparelhos como DVDs ou descodificadores oferecem o recurso de ajuste do tamanho da tela, seja para se "cortar" as bordas da imagem ou criar duas barras pretas acima e abaixo da imagem nas televisões 4:3.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

As emissões de televisão em ecrã panorâmico surgiram nos anos 90 com recurso aos sistema analógico PALplus. Este sistema é uma extensão do padrão PAL de emissão para permitir as emissões analógicas em formato 16:9 compatíveis com televisores 4:3. Permitia a emissão em 576p25 e a manutenção das 576 linhas de resolução vertical do sinal original em aparelhos equipados com o respetivo descodificador.

Na maioria dos televisores (não compatíveis) a emissão era semelhante a um letterbox normal. No caso de a televisão ser já um modelo 16:9 (mesmo sem descodificador PALPlus), o sistema sinalizava o formato correto e permitia à televisão adaptar o formato, removendo as barras e restituindo uma imagem em proporções corretas e que ocupa todo o ecrã, se bem que com perda de resolução vertical.

Utilização em canais livres[editar | editar código-fonte]

RTP[editar | editar código-fonte]

A RTP iniciou as emissões neste formato em 5/12/1997[1] através do sistema PALplus, utilizando-o para alguns programas e filmes. As emissões da TeleExpo criada especificamente para cobrir a Expo98 também recorreram maioritariamente a este formato.

A partir de meados de 2010 esta estação abandonou progressivamente a utilização do PALPlus (que incluía sinalização para ampliar automaticamente a imagem em ecrãs 16:9) recorrendo ao simples letterbox, ou seja apenas colocando barras pretas em-cima e em-baixo da imagem mantendo-se no entanto o formato de emissão sinalizado com 4:3.

Em 2012 a RTP iniciou oficialmente emissões de teste na RTP 2 em 16:9 anamórfico. A primeira emissão totalmente em 16:9 foi no dia 27 de Abril, às 13h47, com o programa Zig Zag.

A 14 de Maio de 2012 começa a difusão integral no formato 16:9 do canal RTP 2.

A 8 de Junho de 2012 a RTP 1 surpreendeu ao emitir, sem ser previamente anunciado, a sessão de abertura e o jogo inaugural do Euro 2012 em 16:9. No mesmo dia, transmite um pequeno programa [2] a explicar os formatos panorâmicos.

A RTP Informação começou a emitir em 16:9 com a Volta à França. No dia 7 de julho de 2012, a RTP Informação emitiu o programa "Inovar é Fazer" em 16:9.

No dia 14 de janeiro de 2013, a RTP1 começou a emitir em 16:9 integral, aquando do começo de uma grelha de programação reformulada. De fora ficaram os programas de informação da RTP por não haver reportagens suficientes em 16:9 de forma a estes emitirem no novo formato.

SIC[editar | editar código-fonte]

Este canal nunca emitiu em ecrã panorâmico, mas vários canais da SIC já transmitem em 16:9, sendo que:

- a SIC Mulher e a SIC Radical começaram a transmitir em 07/10/2013;

- a SIC K passou a transmitir no referido formato no dia do seu 4° aniversário, a 18/12/2013;

- em data a divulgar, será a vez dos restantes canais transmitir em 16:9.

De acordo com a SIC, as suas emissões começarão a ser em formato 16:9, <<num tempo não muito longínquo>>

TVI[editar | editar código-fonte]

A TVI foi pioneira na sua utilização logo em 1994, mas abandonou o sistema após pouco tempo. Actualmente, a posição do canal é de que a emissão em 16:9 SD não faz sentido... [3]

Utilização em canais pagos[editar | editar código-fonte]

Ao contrário dos canais livres, muitos canais pagos já oferecem uma emissão em ecrã panorâmico, totalmente adaptada aos televisores disponíveis atualmente. Assim sendo, os espetadores têm à sua disposição os seguintes canais em 16:9 (a titulo de exemplo e tendo como critério as emissões em língua portuguesa):

Na Europa[editar | editar código-fonte]

No resto da Europa, a grande maioria dos canais nacionais europeus são emitidos em 16:9.
Pelo menos na TDT inglesa (Freeview), na TDT francesa e na TDT suíça todos os canais são emitidos em 16:9, quer canais nacionais, quer canais locais.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. e que designa a ☃☃ de uma telev
  2. ão, de uma projeção (de cinema ou outro meio) ou monitor que tem um valor maior para a razão entre largura e
  3. tura da tela ativa (a que exibe a imagem) do que o clássico formato pitagórico 4

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Tecnologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.