Wilhelm Dilthey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wilhelm Dilthey
Filosofia do século XIX
Dilthey1-4.jpg
Nome completo Wilhelm Dilthey
Escola/Tradição: Hermenêutica
Data de nascimento: 19 de Novembro de 1833
Local: Wiesbaden-Biebrich, Confederação Alemã
Data de falecimento 1 de outubro de 1911 (77 anos)
Local: Seis am Schlern, Áustria-Hungria
Principais interesses: Verstehen, Teoria da literatura, Crítica literária, História intelectual, Ciências humanas, Círculo hermenêutico, Geistesgeschichte, Facticidade
Influenciado por: Immanuel Kant, Friedrich Schleiermacher, romantismo, Georg Wilhelm Friedrich Hegel, John Stuart Mill
Influências: Mikhail Bakhtin, R. G. Collingwood, Max Scheler, Karl Jaspers, Martin Heidegger, Georg Misch, José Ortega y Gasset, Hans-Georg Gadamer, Jürgen Habermas, Rudolf Steiner, Ludwig von Mises

Wilhelm Dilthey (Wiesbaden, 19 de novembro de 1833 — Siusi allo Sciliar, 1 de outubro de 1911) foi um filósofo hermenêutico, psicólogo, historiador, sociólogo e pedagogo alemão. Dilthey lecionou filosofia na Universidade de Berlim. Considerado um empirista, o que contrastava com o idealismo dominante na Alemanha em sua época, mas sua concepção do empirismo e da experiência difere da concepção britânica de empirismo.

Seus principais conceitos procuram fundamentar as "ciências do espírito" como forma de conhecimento humano, em oposição às ciências da razão. Para tal dialoga e aprofunda o pensamento de Kant, John Locke, Auguste Comte, Stuart Mill, Berkeley, Rudolf Hermann Lotze, entre outros (Prefácio de Maria Amaral em Filosofia e Educação, 2010, pg. 13 a 30).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a frequentar a Universidade de Berlim em 1863. Diplomado com 24 anos, tornou-se professor da Universidade de Basileia. Durante esse período, sob influência do clima positivista que dominava a filosofia alemã, estudou a ótica de Helmholtz e a psicofísica de Fechner.

Seus gostos e sua curiosidade desenvolveram-se com rapidez: dirigiu-se para as pesquisas psicológicas e para estudos históricos e literários. Após lecionar nas universidades de Kiel e Bratislava, ocupou, em 1882, a cátedra de Lotze na Universidade de Berlim. Viveu nesse cidade até sua morte.

Em 1867 Dilthey havia publicado Vida de Schleiermacher e, em 1883, apareceu o primeiro volume de sua Introdução ao Estudo das Ciências Humanas. Nesse obra, o filósofo procurou assegurar uma independência de método às ciências do homem ou ciências do espírito. Essa distinção entre ciências da natureza e ciências do espírito teria enormes repercussões, causando polêmicas e discussões que perduram até hoje no pensamento filosófico.

Filosofia[editar | editar código-fonte]

As ciências do espírito teriam como objeto o homem e o comportamento humano; para Dilthey é possível, diante do mundo humano, adotar uma atitude de "compreensão pelo interior", ao passo que, diante do mundo da natureza, essa via de compreensão estaria completamente fechada. Os meios necessários à compreensão do mundo histórico-social podem ser, dessa maneira, tirados da própria experiência psicológica, e a psicologia, deste ponto de vista, é a primeira e mais elementar das ciências do espírito. A experiência imediata e vivida na qualidade de realidade unitária (Erlebnis - Vivência; Experiência) seria o meio a permitir a apreensão da realidade histórica e humana sob suas formas concreta e viva.

Em seus ensaios intitulados Estudos sobre os Fundamentos da Ciências do Espírito e Teoria das Concepções do Mundo, Dilthey submete a uma análise rigorosa o conceito de Erlebnis. Em A Essência da Filosofia, obra de (1907), Dilthey chega a afirmar a falência da filosofia como metafísica. Dilthey propõe uma filosofia histórica e relativa e que analise os comportamentos humanos e a esclarecer as estruturas do mundo no qual vive o homem contrapondo-se a uma metafísica que se pretende colocar como imagem compreensiva da realidade e a reduzir todos os aspetos da realidade a um único princípio absoluto.

Nicola Abbagnano, em sua História da Filosofia, descreve que, para Dilthey, a historicidade é essencial ou constitutiva do homem e, em geral, do mundo humano. Em segundo lugar, na concepção de Dilthey, o mundo histórico é constituído por indivíduos que, enquanto "unidades psicofísicas vivas", são os elementos fundamentais da sociedade: é por isso que o objetivo das ciências do espírito é "o de reunir o singular e o individual na realidade histórico-social, de observar como as concordâncias (sociais) agem na formação do singular". Por isso, no domínio das ciências do espírito, a historiografia tem um carácter individualizante e tende a ver o universal no particular (vol. doze. pgs 214-215).

A Filosofia se torna uma das estruturas que constituem uma civilização e o trabalho do historiador seria precisamente captar as relações que, em uma sociedade, ligam as diferentes manifestações do mundo cultural. É sobre este postulado que se apoiam as principais obras históricas de Dilthey, como A Análise do Homem, A História da Juventude de Hegel e Estudo sobre a História do Espírito Alemão.

A hermenêutica de Wilhelm Dilthey[editar | editar código-fonte]

Wilhelm Dilthey sempre aspirou a uma interpretação objetiva e universalmente válida dos textos, esta pretensão seria descartada pelas principais correntes hermenêuticas que se inspiravam nos estudos de Hans-Georg Gadamer.

Dilthey foi influenciado pelos trabalhos de Friedrich Schleiermacher. Ambos formam parte do Romantismo Alemão. A escola hermenêutica romântica enfatiza o intérprete como um ser “vivo” situado em seu contexto histórico e com sua capacidade de compreensão e penetração no contexto cultural e histórico do texto abordado, com o uso da interpretação e do entendimento. Evita o dualismo cartesiano ou o conhecimento “teórico” prévio, procurando combinar a psicologia individual e a descrição e a analise histórico social para conseguir um maior conhecimento dos textos e autores em seus respetivos conceitos.

O processo de interpretação estabelecido por Friedrich Schleiermacher envolve o que Dilthey chamou de “circulo hermenêutico”, o movimento recorrente entre o implícito e o explicito, o particular e o geral. A “hermenêutica geral” proposta por Schleiermacher foi uma combinação da hermenêutica usada para interpretar as escrituras sagradas, como as epístolas paulinas, e a hermenêutica utilizada pelos clássicos gregos (Platão). Dilthey entendeu sua importância para as ciências humanas em contraste com a abordagem de causa e efeito proposta pelo conhecimento nas ciências naturais.

Em Verdade e Método ( 1960), Hans-Georg Gadamer, por sua vez influenciado por Heidegger, critica abordagem de Dilthey como sendo abertamente estética e subjetiva, assim como positivista. De acordo com Gadamer, a hermenêutica proposta por Dilthey não esta preocupada o suficiente com o evento ontológico da verdade e apenas considera as implicações de como o intérprete e sua interpretação não estão fora da tradição mas ocupam uma particular posição dentro dela, ou seja, tem um horizonte limitado no tempo.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Psicologia da Compreensão. Portugal: Edições 70, 2012.
  • Ideias Sobre uma Psicologia Descritiva e Analitica. Viaverita, 2011.
  • Introdução às Ciências Humanas. SP: Forense, 2010.
  • Filosofia e Educação. SP: Edusp, 2010.
  • A Construção do Mundo Histórico nas Ciências Humanas. SP: Unesp, 2010.
  • Sistema da Ética. SP: Ícone, 1994.
  • Tipos de Concepção do Mundo (.
  • Essência da Filosofia. Portugal, Presença, 1984.
  • História da Filosofia. Livraria Exposição do Livro, 1950.
  • Leibniz e sua Época. Armênio Amado, 1947.
  • Poética. Editorial Losada, 1945.
Obras principais
  • Über die Einbildungskraft der Dichter, 1878 (em: Zeitschrift für Völkerpsychologie und Sprachwissenschaft)
  • Einleitung in die Geisteswissenschaften, 1883 (edição de 1922 digitalizada)
  • Die Entstehung der Hermeneutik, 1900
  • Das Erlebnis und die Dichtung, 1906; Cap. Goethe und die dichterische Phantasie
  • Der Aufbau der geschichtlichen Welt in den Geisteswissenschaften, 1910
  • Die Typen der Weltanschauung und ihre Ausbildung in den Metaphysischen Systemen, 1919
  • Die Geistige Welt Einleitung in die Philosophie des Lebens. Erste Hälfte: Abhandlungen zur Grundlegung der Geisteswissenschaften, G. Misch (ed.) (digitalizado)
  • Jugendgeschichte Hegels und andere Abhandlungen zur Geschichte des deutschen Idealismus (digitalizado)
  • Pädagogik. Geschichte und Grundlinie des Systems (digitalizado)
  • Studien zur Geschichte des deutschen Geistes. Leibniz und sein Zeitalter, Friedrich der Grosse und die deutsche Aufklärung, das achtzehnte Jahrhundert und die geschichtliche Welt (digitalizado)
  • Vom Anfang des geschichtlichen Bewusstseins. Jugendaufsätze und Erinnerungen (digitalizado)
  • Zur preussischen Geschichte. Schleiermachers politische Gesinnung und Wirksamkeit (digitalizado)
Correspondência
  • Briefwechsel zwischen Wilhelm Dilthey und dem Grafen Paul Yorck von Wartenburg 1877–1897 (Correspondência entre Wilhelm Dilthey e o Conde Paul Yorck von Wartenburg 1877–1897), Reprint, Hildesheim 1995
Espanhol
  • Introducción a las ciencias del espíritu. Obras Completas I. México: Fondo de Cultura Económica, 1944.
  • Hombre y mundo en los siglos XVI y XVII. Obras Completas II. México: Fondo de Cultura Económica, 1944.
  • Hegel y el idealismo. Obras Completas V. México: Fondo de Cultura Económica, 1944.
  • El mundo histórico. Obras Completas VII. México: Fondo de Cultura Económica,1944.
  • De Leibniz a Goethe. Obras Completas III. México: Fondo de Cultura Económica, 1945.
  • Vida y poesía. Obras Completas IV. México: Fondo de Cultura Económica, 1945.
  • Psicología y teoría del conocimiento. Obras Completas VI. México: Fondo de Cultura Económica, 1945.
  • Teoría de la concepción del mundo. Obras Completas VIII. México: Fondo de Cultura Económica, 1945.
  • Historia de la Filosofía, tradução, prólogo e bibliografia, Eugenio Ímaz, Fondo de Cultura Económica, México 1951.
  • Introducción a las ciencias del espíritu: ensayo de una fundamentación del estudio de la sociedad y de la historia, versão espanhola de Julián Marías; prólogo de José Ortega y Gasset, Revista de Occidente, Madrid 1956.
  • Literatura y fantasía. Obras Completas IX. México: Fondo de Cultura Económica, 1963.
  • La gran música de Bach, tradução Jesús Aguirre, introdução de Federico Sopeña, Taurus, Madrid, 1963.
  • Crítica de la razón histórica, antologia compilada e introduzida por Hans-Ulrich Lessing, tradução e introdução da edición espanhola de Carlos Moya-Espí, Península, Barcelona 1986.
  • Teoría de las concepciones del mundo, tradução e introdução de Julián Marías, Revista de Occidente, Barcelona 1944.
Inglês
  • 1957, Dilthey's Philosophy of Existence, W. Kluback and M. Weinbaum (trans.), New York: Bookman Associates.
  • 1954, Essence of Philosophy, S.A. Emery and W.T. Emery (trans.), Chapel Hill: University of North Carolina Press.
  • 1977, Descriptive Psychology and Historical Understanding, R.M. Zaner and K.L. Heiges (trans.), with an introduction by R.A. Makkreel, The Hague: Martinus Nijhof.
  • 1985–2002, Selected Works, R.A. Makkreel and F. Rodi (eds.), Princeton, NJ: Princeton University Press.
  • Vol. 1, Introduction to the Human Sciences.
  • Vol. 2, Understanding the Human World.
  • Vol. 3, The Formation of the Historical World in the Human Sciences.
  • Vol. 4, Hermeneutics and the Study of History.
  • Vol. 5, Poetry and Experience.

Literatura secundária[editar | editar código-fonte]

Completas (alemão)[editar | editar código-fonte]

  1. Volume: Einleitung in die Geisteswissenschaften. Versuch einer Grundlegung für das Studium der Gesellschaft und Geschichte
  2. Volume: Weltanschauung und Analyse des Menschen seit Renaissance und Reformation
  3. Volume: Studien zur Geschichte des deutschen Geistes. Leibniz und sein Zeitalter. Friedrich der Große und die deutsche Aufklärung. Das achtzehnte Jahrhundert und die geschichtliche Welt
  4. Volume: Die Jugendgeschichte Hegels und andere Abhandlungen zur Geschichte des Deutschen Idealismus
  5. Volume: Die geistige Welt. Einleitung in die Philosophie des Lebens. Erste Hälfte: Abhandlung zur Grundlegung der Geisteswissenschaften
  6. Volume: Die geistige Welt. Einleitung in die Philosophie des Lebens. Zweite Hälfte: Abhandlung zur Poetik, Ethik und Pädagogik
  7. Volume: Der Aufbau der geschichtlichen Welt in den Geisteswissenschaften
  8. Volume: Weltanschauungslehre. Abhandlungen zur Philosophie der Philosophie
  9. Volume: Pädagogik. Geschichte und Grundlinien des Systems
  10. Volume: System der Ethik
  11. Volume: Vom Aufgang des geschichtlichen Bewußtseins
  12. Volume: Zur preussischen Geschichte. Schleiermachers politische Gesinnung und Wirksamkeit. Die Reorganisation des preussischen Staates. Das allgemeine Landrecht
  13. Volume: Leben Schleiermachers. Volume I
  14. Volume: Leben Schleiermachers. Volume II
  15. Volume: Zur Geistesgeschichte des 19. Jahrhunderts. Portraits und biographische Skizzen. Quellenstudien und Literaturberichte zur Theologie und Philosophie im 19. Jahrhundert
  16. Volume: Zur Geistesgeschichte des 19. Jahrhunderts. Aufsätze und Rezensionen aus Zeitungen und Zeitschriften 1859–1874
  17. Volume: Zur Geistesgeschichte des 19. Jahrhunderts. Aus »Westermanns Monatsheften«: Literaturbriefe, Berichte zur Kunstgeschichte, Verstreute Rezensionen 1867–1884
  18. Volume: Die Wissenschaft vom Menschen, der Gesellschaft und der Geschichte. Vorarbeiten zur Einleitung in die Geisteswissenschaften (1865-1880)
  19. Volume: Grundlegung der Wissenschaft vom Menschen, der Gesellschaft und der Geschichte. Ausarbeitungen und Entwürfe zum zweiten Band der Einleitung in die Geisteswissenschaften (ca. 1870–1895)
  20. Volume: Logik und System der philosophischen Wissenschaften. Vorlesungen zur erkenntnistheoretischen Logik und Methodologie (1864-1903)
  21. Volume: Psychologie als Erfahrungswissenschaft
  22. Volume: Psychologie als Erfahrungswissenschaft
  23. Volume: Allgemeine Geschichte der Philosophie
  24. Volume: Logik und Wert
  25. Volume: Dichter als Seher der Menschheit
  26. Volume: Das Erlebnis und die Dichtung

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]