Wojtek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wojtek e um soldado polonês

Wojtek[1] (19421963) foi um filhote de urso-siríaco adotado pelos soldados da 22ª Companhia de Suprimentos de Artilharia do Segundo Corpo do Exercito Polonês.[2] Seu nome é uma antiga denominação eslava derivada de duas palavras: "woj" (proveniente de "wojownik", guerreiro, e "wojna", guerra) e "ciech" (alegria). O nome portanto tem dois significados, "aquele que se diverte com a guerra" ou "guerreiro sorridente".[3]

Wojtek participou da Batalha de Monte Cassino, ajudando a descarregar caminhões de munição e suprimentos durante o combate. Permaneceu com as tropas até a desmobilização em 1947, quando foi doado ao Zoológico de Edimburgo, na Escócia.[4]

Vida[editar | editar código-fonte]

Wojtek com munição de artilharia, símbolo pintado nos veículos da 22ª Cia. de Suprimentos de Artilharia

Em 1942, próximo à cidade de Hamadan, no Irã, um garoto local encontrou um filhote de urso abandonado. Levou-o consigo, vendendo-o ao Exército Polonês estacionado nas proximidades em troca de algumas latas de carne. Desde o princípio o animal foi uma atração para os soldados e civis, tornando-se a partir de então o mascote não-oficial de todas as unidades estacionadas na região. Com isso, ele foi oficialmente integrado ao Exército da Polônia, passando a ser listado entre os soldados da 22ª Companhia de Suprimentos de Artilharia do Segundo Corpo do Exército Polonês. Junto à tropa, ele passou pelo Iraque, Síria, Palestina e Egito, antes de finalmente seguir para o sul da Itália.[2] [5]

Por ter menos de um ano de idade, o filhote inicialmente enfrentava dificuldades de engolir, sendo alimentado com leite condensado, colocado em uma garrafa vazia de vodka. Posteriormente, ele passou a ser alimentado com frutas, melaço, marmelada e mel, além de ser frequentemente presenteado com cerveja, que acabou tornando-se sua bebida favorita. Ele também gostava de fumar e comer cigarros, costumava brincar de luta e foi ensinado a saudar quando cumprimentado. Como um dos "soldados" oficialmente engajados à companhia, ele vivia com os outros homens em tendas ou em uma caixa de madeira feita sob medida e transportada em caminhões.[4]

De acordo com diversos testemunhos, Wojtek ajudou seus tratadores durante a Batalha de Monte Cassino ao transportar munição para a frente de batalha—sem jamais derrubar uma caixa. Em reconhecimento à popularidade do animal, o Quartel-General autorizou que uma efígie de um urso segurando um projétil de artilharia fosse adotada como emblema oficial da 22ª Companhia (então renomeada para 22ª Companhia de Transportes).[4] [6]

Com o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, o urso foi transportado para Berwickshire, Escócia, juntamente com elementos do Segundo Corpo. Estacionado com as tropas na vila de Hutton, próximo a Duns, Wojtek logo tornou-se uma sensação entre a imprensa e moradores locais, sendo inclusive admitido como membro na Associação Polaco-Escocesa da região. Após a desmobilização em 15 de novembro de 1947, o urso foi doado ao Zoológico de Edimburgo. Ele passou ali o resto de seus dias, visitado com frequência por jornalistas e ex-soldados poloneses, alguns dos quais lhe forneciam cigarros.[7]

Wojtek morreu em dezembro de 1963, aos 22 anos de idade. Na época de sua morte ele pesava aproximadamente 250 quilos e media em torno de 1,80 m.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Anders, Wladyslaw. An Army in Exile, the Story of the Second Polish Corps. Londres: Macmillan, 1949.
  • Kleczkowski, Stefan. Poland's first 100,000: Story of the Rebirth of the Polish Army, Navy and Air Aorce After the September Campaign. Londres, Nova York: Hutchinson, 1945.
  • Morgan, Geoffrey; Wiesław A Lasocki. Soldier Bear. Londres, Collins, 1970. ISBN 0002117932.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]