Guerreiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Guerreiro tapuia do século XVII (Brasil)

Um guerreiro é uma pessoa habitualmente envolvida em guerra e/ou com habilidades para engajar-se em combate. Em sociedades tribais, os guerreiros frequentemente formam uma casta ou classe própria. No feudalismo, os vassalos formavam essencialmente uma classe militar ou guerreira, mesmo que em combate real, camponeses também fossem chamados para lutar. Em algumas sociedades, a beligerância pode ocupar um lugar tão central que todo o povo (ou, mais frequentemente, a população masculina) pode ser considerada composta de guerreiros (por exemplo os Maori ou as tribos germânicas).

Classificação[editar | editar código-fonte]

Guerreiros profissionais são pessoas pagas para se engajar em campanhas militares e recaem em uma das categorias abaixo:

  • Soldados: quando lutam em prol do seu próprio estado;
  • Mercenários: quando oferecem seus serviços comercialmente e sem qualquer relação com sua nacionalidade.

A classificação de alguém envolvido em actos de violência pode ser uma questão de perspectiva, e pode haver discordância se uma determinada pessoa é um hooligan, um gangster, um terrorista, um rebelde, um combatente da liberdade, um mercenário ou um soldado.

Em 1937 Georges Dumézil fez uma famosa especulação de que a sociedade proto-indo-europeia era composta por uma classe sacerdotal, uma classe guerreira e uma classe de comuns ou camponeses. Na psicologia junguiana, o guerreiro é frequentemente visto como um arquétipo chave de masculinidade.

Código do guerreiro[editar | editar código-fonte]

Em muitas sociedades nas quais existe uma classe guerreira especializada, códigos específicos de comportamento são instituídos para assegurar que esta classe não seja perigosa para o restante da sociedade. Códigos de guerreiros têm frequentemente características comuns e usualmente valorizam a lealdade, coragem e honra. Exemplos incluem os códigos do bushido e da cavalaria.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • MOORE, Robert e GILLETTE, Douglass. King, Warrior, Magican, Lover: Rediscovering the Archetypes of the Mature Masculine. San Francisco: Harper, 1990.