Guerra de trincheiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Soldados ingleses lutando em suas trincheiras (1916).

Guerra de trincheiras foi uma guerra ocorrida na segunda fase (1915-1917) da Primeira Guerra Mundial. Recebeu esse nome pois os exércitos da Frente Ocidental se protegiam em extensas linhas de trincheiras que eles mesmo cavavam. Foi também a mais mortífera da guerra.[1]

Táticas de infantaria[editar | editar código-fonte]

No início do século XX a maioria dos chefes militares dava uma grande importância à utilização da infantaria em ataques com baioneta apoiados pela cavalaria e por peças móveis de artilharia. Os oficiais franceses eram grandes adeptos desta táctica e, na 1ª Guerra Mundial, enviaram soldados para o campo de batalha sem equipamento adaptado às trincheiras. Diziam que as precauções defensivas eram desnecessárias se se fizessem ataques maciços e suficientemente rápidos.

Estas tácticas foram postas em causa depois dos exércitos terem sofrido pesadas baixas em ataques contra trincheiras defendidas por metralhadoras. Apesar dos bombardeamentos que se faziam antes dos soldados avançarem, do uso de gás e de lança-chamas, a infantaria fracassou na Frente Ocidental nas batalhas que se travaram em 1915.

Só em Amiens, em 1918, quando o coronel John Fuller conseguiu convencer o general Henri Rawlinson a usar 412 tanques de guerra seguidos por soldados e apoiados por 1000 aviões de combate é que os aliados conseguiram quebrar as defesas dos alemães na Frente Ocidental.

Referências

  1. Dictionary.com Cultural Dictionary. Página visitada em 14 de agosto de 2009.
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.