Zingiberaceae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaZingiberaceae
Zingiber macradenium

Zingiber macradenium
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Ordem: Zingiberales
Família: Zingiberaceae
Martynov
Gêneros
48, ver texto
Classificação Filogenética (APG)

A família Zingiberaceae é a maior da ordem Zingiberales, contem 53 gêneros e mais de 1.200 espécies nativas de regiões tropicais, especialmente no sul e sudeste da Ásia, na África tropical e até a América do Sul e Central. Principalmente nas floresta primária, suas especies crescem em hábitats sombreados ou semi-sombreados. Muitas espécies da família têm valor econômico fornecendo alimentos, perfumes, condimentos de propriedades aromáticas, corantes, fibras e papel. Zingiber officinale Rosc., vulgarmente conhecido como gengibre, é utilizado para fins medicinais e como condimento. No aspecto ornamental destacam-se os gêneros Zingiber, Alpinia, Nicolaia, Hedychium e Kaempferia pela beleza da folhagem e da inflorescência.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Zingiberaceae: O nome da família tem a sua origem no gênero Zingiber Moinho

Zingiber: O nome genérico é derivado da latinização de Hindu nome vernáculo "Zengibel" ou "zingibel".

Morfologia[editar | editar código-fonte]

Pequenas a grandes ervas aromáticas, com células secretoras contendo óleos aromáticos, diversos terpenos e compostos fenil-propanóides. Pelos simples. Folhas alternas, dísticas, simples, inteiras, geralmente pecioladas, com lâmina bem desenvolvida, venação peninérvea, base invaginante, e uma lígula; pecíolos com canais de ar, estes separados em segmentos por meio de diafragmas compostos por células estreladas; estípulas ausentes. Inflorescências indeterminadas, mas compostas por unidades determinadas nas axilas de brácteas geralmente conspícuas. Flores bissexuais, bilaterais, em geral durando apenas 1 dia. Sépalas 3, conatas, imbricadas. Pétalas 3, conatas, frequentemente com um lóbulo maior do que os outros, imbricadas. Estames 1, canaliculado, abraçando o estilete; estaminódios, geralmente 4 ( 2 maiores, conatos e formando um labelo, 2 menores, estes livres ou conatos com os 2 estaminódios maiores); grãos de pólen monossulcados ou sem abertura, exina muito reduzida. Carpelos 3, conatos; ovário ínfero, geralmente com placentação axial; estilete contido em um sulco entre os sacos polínicos da antera; 1 estigma em formato funil. Óvulos numerosos. Nectários 2, posicionados no ápice do ovário. Fruto cápsula seca ou carnosa, ou baga; sementes geralmente ariladas; presença de endosperma e perisperma.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Pantropical com espécies originarias da Índia, Tailândia, Indonésia, Ásia tropical, Malásia e Ilhas do Pacifico.

Caracteres evolutivos[editar | editar código-fonte]

Redução do androceu a um único estame funcional, presença de estaminódios conspícuos, sementes com mais perisperma que andosperma, ausência de rafídeos nos tecidos vegetais e nas folhas que não se rasgam facilmente. Um único estame funcional envolvendo parte do estilete, presença de lígula no ápice da bainha das folhas, sépalas conatas, estaminódios fusionados e redução de 2 a 3 estigmas.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Flores com uma diversidade de cores e formas, polinizadas por abelhas, mariposas, borboletas e aves. A maioria das espécies apresentam polinização cruzada, também podendo ocorrer autopolinização e reprodução vegetativa. Aves são os principais agentes dispersores. Suas cápsulas carnosas são geralmente coloridas, contrastando com suas sementes ariladas.

História[editar | editar código-fonte]

Zingiberaceae são datados de 79 milhões de anos, divergência dentro [Alpinioideae + Zingiberoideae] para 26 milhões de anos. Renealmia é o único gênero de Zingiberaceae na América do Sul, e parece ter migrado da África para a América nos últimos 16 milhões de anos. Aframomum é o seu táxon irmã, e há diversificação pode ter começado 34,3-25,2 milhões de anos, embora algumas outras estimativas são muito mais jovens.

Importância Econômica[editar | editar código-fonte]

Muitas espécies da família têm óleos aromáticos que são usados para perfumaria, no tempero para fins medicinais. Os rizomas de algumas espécies de Curcuma são utilizadas como fonte de alimento, uma vez que esses rizomas são fontes de amido. O gengibre (Zingiber officinale Roscoe - Zingiberaceae) é uma planta cujo rizoma é amplamente comercializado em função da sua característica alimentar e industrial, especialmente como matéria-prima para fabricação de bebidas, perfumes e produtos de confeitaria como pães, bolos, biscoitos e geleias, e popular medicinal (excitante estomacal e carminativo).

Conservação[editar | editar código-fonte]

A maior ameaça da sobrevivência de todos os organismos existentes, sejam eles plantas ou animais, é a destruição ambiental. Como a maior parte das Zingiberales vivem em florestas, estão sempre sujeitas ao desmatamento, colocando em risco a extinção das espécies que possuem sensibilidades maiores a mudanças no ambiente e as espécies com populações pequenas. “Ilhas de floresta” são ilhas de plantas que vão ficando isoladas devido a destruição de florestas. Essas ilhas são pequenas e não mantém um numero suficiente de indivíduos de cada espécie. Quando a população de uma espécie fica muito pequena, aumentam as chances de ela desaparecer, seja por doenças, Herbivoria ou qualquer outro acidente, por exemplo, incêndios. Não se sabe ainda quantas espécies de Zingiberales podem estar ameaçadas de extinção, simplesmente por que mal conhecemos a distribuição de cada espécie.

Importância Ecológica[editar | editar código-fonte]

Zingiberaceae é considerada a maior família de monocotiledôneas polinizadas por vertebrados.

Potencial Ornamental[editar | editar código-fonte]

Da floricultura tropical os gengibres, pertencem à família Zingiberaceae, que têm alto potencial de uso ornamental, tanto para paisagismo, como flor e folhagem de corte e envasadas.

Alpinia purpurata, popularmente conhecida como Alpinia. Essa planta produz o ano inteiro, podendo ser utilizada em arranjos florais, buques, paisagismo e em eventos devido sua cor e forte impacto visual. Conhecida por alguns como rosa das flores tropicais.

Gêneros[editar | editar código-fonte]

Segundo a classificação filogenética Angiosperm Phylogeny Website esta família contém os seguintes géneros:[1]

Referências

  1. Stevens, P. F. (2001 onwards). Angiosperm Phylogeny Website. Version 12, July 2012 [and more or less continuously updated since]. http://www.mobot.org/MOBOT/research/APweb/

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALBUQUERQUE, Elaine Santiago Brilhante de and NEVES, Léa de Jesus. Anatomia foliar de Alpinia zerumbet (Pers.) Burtt & Smith (Zingiberaceae). Acta Bot. Bras. [online]. 2004, vol.18, n.1, pp. 109–121. ISSN 0102-3306.[1].
  • Explicación Etimológica de las Plantas de La Selva [2]
  • Guia de zingiberales dos sítios PPBio na Amazônia Ocidental brasileira = Guide to the zingiberales of PPBio sites in brazilian western Amazonia / Flávia R. C. Cost. (et al.) --- Manaus : Áttema Design Editorial, 2011. 284 p.: il. color. ISBN 978-85-99387-10-8
  • CEAP Design [3]
  • Oliveira J. B.; Leite M. S. A Ordem Zingiberales nos Herbários do Estado de Pernambuco.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Zingiberaceae
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Zingiberaceae
Wikispecies-logo.svg
A Wikispecies possui a família: Zingiberaceae