Agentss

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Agentss
Informação geral
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s) Pós-punk, New Wave, synthpop, synthrock, música eletrônica, música de vanguarda, rock experimental
Período em atividade 19801983
Gravadora(s) WEA
Ex-integrantes Kodiak Bachine
Eduardo Amarante
Miguel Barella
Lyses Pupo
Elias Glik
Thomas Susemihl

Agentss foi uma efêmera banda brasileira de New Wave formada na cidade de São Paulo em 1980, famosa por seu excêntrico visual influenciado por ficção científica e letras cantadas em um dialeto inventado pelo vocalista Kodiak Bachine de nome "elektrotranzlyriks" — uma mistura de palavras em português, francês, alemão, inglês e "idiomas alienígenas".

Apesar de seu tempo de duração tão curto, são considerados o primeiro grupo brasileiro de música eletrônica, e até os dias de hoje é considerada uma banda cult.

História[editar | editar código-fonte]

O músico e poeta brasileiro Kodiak Bachine fundou o Agentss em 1980; anteriormente ele tinha uma banda de rock progressivo denominada Abaddon, que chegaria ao seu fim em 1978. Em 1979, Bachine viajou aos Estados Unidos, onde entrou em contato com a fértil cena New Wave/pós-punk anglófona, e ao retornar ao Brasil decidiu formar uma banda que espelhasse suas influências, tais como Bauhaus, The Cure, The Residents, Television, Gary Numan, Blondie, The B-52s, Talking Heads e, acima de todas, Kraftwerk e Devo.[1]

A primeira formação do Agentss consistia em Bachine nos vocais e no teclado, Eduardo Amarante e Miguel Barella na guitarra, Lyses Pupo no baixo e Elias Glik na bateria; seu primeiro trabalho foi um extended play de mesmo nome lançado às custas da própria banda, que saiu em 1981 e continha duas canções: "Agentss" e "Angra", a última aludindo à Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto em Angra dos Reis. (Pupo e Glik não participaram da gravação do EP, porém.) Seu primeiro show ao vivo aconteceu no mesmo ano.

Em 1983, Lyses Pupo deixou a banda e foi substituído por Thomas Susemihl; com esta nova formação o Agentss lançou seu segundo e último EP, contendo as canções "Professor Digital" e "Cidade Industrial"; foi lançado pela WEA (atual Warner Music Group) e produzido pelo famoso produtor de discos Pena Schmidt. Mais shows por São Paulo viriam em seguida.

Citando "razões filosóficas", Bachine dissolveu a banda em fins de 1983.[2]

Após o fim do Agentss seus ex-membros trabalhariam em inúmeras outras bandas: Thomas Susemihl e Eduardo Amarante formariam outra pioneira banda de New Wave, o Azul 29 (e após o fim desta, Amarante juntou-se à banda New Romantic de pós-punk Zero), enquanto Miguel Barella formou os Voluntários da Pátria; mais tarde entrou para o Akira S e As Garotas Que Erraram.

Bachine começou carreira solo em 1985; seu primeiro álbum (e único lançamento até então), Kom Licença, Vou Rezar..., saiu no mesmo ano.[3]

Lyses Pupo morreu em 2002.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Kodiak Bachine — vocais, teclado (1980-1983)
  • Eduardo Amarante — guitarra (1980-1983)
  • Miguel Barella — guitarra (1980-1983)
  • Lyses Pupo — baixo (1980-1983; falecido em 2002)
  • Elias Glik — bateria (1980-1983)
  • Thomas Susemihl — baixo (1983)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Extended plays[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Incluiu a canção "Agentss".

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]