Alexandre I da Bulgária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alexandre I
Príncipe-Regente da Bulgária
Príncipe da Bulgária
Reinado 29 de abril de 1879
a 7 de setembro de 1886
Sucessor Fernando I
 
Nascimento 5 de abril de 1857
  Verona, Lombardo-Vêneto
Morte 23 de outubro de 1893 (36 anos)
  Graz, Áustria-Hungria
Sepultado em Mausoléu de Battenberg, Sófia, Bulgária
Nome completo  
Alexandre José de Battenberg (Александър Йозеф фон Батенберг)
Esposa Johanna Loisinger
Descendência Asen de Hartenau
Tsvetana de Hartenau
Casa Battenberg
Pai Alexandre de Hesse e Reno
Mãe Julia de Hauke
Religião Luteranismo
Brasão

Alexandre José de Battenberg (Verona, 5 de abril de 1857Graz, 23 de outubro de 1893), foi um príncipe alemão e o primeiro príncipe-regente (knyaz) da Bulgária moderna, tendo reinado como Alexandre I de 1879 a 1886.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância[editar | editar código-fonte]

Alexandre foi o segundo filho do príncipe Alexandre de Hesse e Reno e de sua esposa morganática, a condessa Julia de Hauke. A condessa e seus descendentes ganharam o título de "Príncipes de Battenberg' (derivado de uma antiga residência dos grão-duques de Hesse) e o título Durchlaucht ("Sereníssima Alteza") em 1858. O príncipe Alexandre era sobrinho do czar Alexandre II da Rússia, que se casara com uma irmã do príncipe Alexandre de Hesse-Darmstadt; sua mãe era filha do conde Hans Moritz von Hauke e fora dama de companhia da czaritsa.

Durante toda sua infância e início de sua juventude, Alexandre frequentemente visitava São Petersburgo acompanhando seu tio, o czar, que era muito ligado a ele, durante a campanha búlgara de 1877.

Quando, sob o Tratado de Berlim de 1878, a Bulgária tornou-se um principado autônomo sob a suserania do Império Otomano, o czar recomendou seu sobrinho para o povo búlgaro como um candidato potencial ao recém-criado trono. A Grande Assembleia Nacional o elegeu unanimemente como Príncipe da Bulgária (29 de abril de 1879). À altura de sua eleição ao principado, Alexandre atendia uma comissão como tenente no exército prussiano, em Potsdam.

Príncipe da Bulgária[editar | editar código-fonte]

Antes de ir para a Bulgária, o príncipe Alexandre fez visitas, em nome do czar Alexandre II, em Livadia, para as cortes das grandes potências e do sultão otomano; um navio de guerra russo o levou para Varna, prestando ele juramento à nova constituição em Turnovo (8 de julho de 1879), de onde foi então para Sófia. O povo o recebeu com imenso entusiasmo.

Alexandre em 1879

O novo príncipe reinante não teve nenhum treinamento anterior em governar, e uma série de problemas o confrontou. Alexandre se viu dividido entre seus laços com a Casa Imperial Russa, que o queriam como um representante oficial a serviço do Tsar, e seus deveres para com os políticos russos, que buscavam impor seus pleitos de forma tão violenta que freqüentemente ameaçavam a estabilidade da Bulgária.

Após tentar governar sob essas condições por quase dois anos, o príncipe, com o consentimento de seu primo Alexandre III da Rússia, recém-proclamado Tsar, assumiu o poder absoluto na Bulgária, em 9 de maio de 1881. Uma assembléia extraordinária, formada especialmente em 13 de julho de 1881, votou pela suspensão da constituição búlgara em vigor, considerada ultra-democrática. O golpe monárquico, todavia, mostrou-se fracassado após sete anos de regime absoluto: a manobra enfureceu os políticos liberais, sendo o governo de São Petersburgo obrigado a despachar dois generais para conter a instabilidade - Leonid Nikolayevich Sobolev e Aleksandr Kaulbars - os quais passaram a deter o poder de facto. O príncipe Alexandre, após ter tentado fracassadamente demover os generais, acabou por restaurar a constituição búlgara com a aprovação unânime dos partidos políticos em 18 de setembro de 1883. A partir de então, inicia-se uma ruptura entre a Bulgária e a Rússia, agravada pelas aspirações nacionalistas do partido situacionista.

A revolução de Plovdiv, de 18 de setembro de 1885, que trouxe a união da Rumélia Oriental com a Bulgária, foi desencadeada com o consentimento do príncipe Alexandre que, simultaneamente assumiu o governo dessa ex-província otomana. No ano seguinte Alexandre daria provas de suas habilidades militares e diplomáticas, liderando o exército búlgaro, agora desprovido dos oficiais russos, contra a invasão sérvia, cujo ponto culminante foi a brilhante vitória em Slivnitza e consequente perseguição e apreensão do rei Milão I da Sérvia no entorno de Pirot, em 27 de novembro de 1885. Apesar da intervenção austríaca ter impedido a Sérvia de sofrer as consequências da derrota, o episódio serviu para consolidar o domínio búlgaro sobre a Rumélia Oriental, legitimado após longas negociações com o sultão Abdulamide II, que nomeou o príncipe da Bulgária como governador-geral da província por cinco anos em 5 de abril de 1886.

Esse arranjo, porém, custou a Alexandre muito de sua popularidade na Bulgária, enquanto o descontentamento crescia entre os militares, que se sentiram prejudicados na divisão de recompensas da campanha. Um complô militar se formou, e na noite de 20 de agosto de 1886 os conspiradores sitiaram o príncipe no palácio de Sófia e o forçaram a assinar sua abdicação; levaram-no então para o Danúbio, em Rakhiv, sendo embarcado num iate que se dirigiria a Reni, onde então seria o príncipe entregue as autoridades russas, que permitiram-lhe prosseguir viagem até Lemberg. Contudo, Alexandre logo retornou à Bulgária como resultado da bem-sucedida contra-revolução liderada por Stefan Stambolov, o qual depôs o governo provisório criado pelo partido russo em Sófia. A partir de então, sua possível foi-se tornado instável, em parte devido a um telegrama mal-interpretado endereçado ao Tsar a respeito de seu retorno. A atitude de Otto von Bismarck, que, juntamente aos governos russo e austríaco, proibiu que ele punisse os líderes da conspiração militar, também enfraqueceu a posição de Alexandre. Ele então divulgou um manifesto renunciando ao trono, deixando a Bulgária em 8 de setembro de 1886.

Alexandre se retirou para a vida privada. Poucos anos depois, ele se casou com Johanna Loisinger, uma atriz, assumindo o título de conde de Hartenau em 6 de fevereiro de 1889. O casal teve um filho e uma filha. Alexandre passou os últimos anos de sua vida principalmente em Gratz, onde ele deteve um comando local no exército austríaco, e lá vindo a falecer aos 23 de outubro de 1893. Seu restos, trasladados para Sófia, receberam um funeral público, e foram sepultados em uma mausoléu erguido em sua memória.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  • Drandar, Le Príncipe Alexandre de Battenberg en Bulgarie (Paris, 1884)
  • Koch, Fürst Alexandre von Bulgarien (Darmstadt, 1887)
  • Matveyev, Bulgarien nach dem Berliner Congress (Petersburg, 1887)
  • Bourchier, "Príncipe Alexandre de Battenberg," em Fortnightly Review, janeiro 1894.
Casa de Battenberg
Alexandre de Battenberg
Nascimento: 5 de abril de 1857; Morte: 23 de outubro de 1893
Precedido por
novo título
Larger Achievement of Bulgaria 1880-1887.svg
Príncipe Regente da Bulgária
18791886
Sucedido por
Fernando I
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Alexandre I da Bulgária