Amazon Air

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Amazon Air
IATA -
ICAO MZN
Indicativo de chamada AMAZON
Fundada em 2015 (7 anos)
Principais centros
de operações
Frota 73
Pessoas importantes Sarah Rhoads (Vice Presidente)
Sítio oficial amazon.com/airplanes

A Amazon Air, anteriormente conhecida como Amazon Prime Air, é uma companhia aérea de carga que opera exclusivamente para o transporte de encomendas da Amazon. Em 2017, ela mudou seu nome de Amazon Prime Air para Amazon Air para se diferenciar de seu serviço de entrega de drones de mesmo nome. No entanto, o logotipo da Prime Air permanece na aeronave.[1] Até janeiro de 2021, as aeronaves da companhia aérea eram produto de leasing de outras companhias, mas desde então ela procura possuir diretamente algumas aeronaves.[2] Mesmo nos seus aviões próprios, a companhia aérea ainda dependerá de terceiros para os arrendamentos de tripulação, manutenção e seguro (do inglês, CMI - crew, maintenance and insurance).[3]

História[editar | editar código-fonte]

No final de 2015, a Amazon começou a fazer testes de carga a partir de Wilmington, Ohio, sob o codinome de Projeto Aerosmith. Em dezembro de 2015, a Amazon anunciou que iniciaria sua própria companhia aérea de carga para expandir sua capacidade.[4]

Em março de 2016, a Amazon adquiriu opções de compra de até 19,9 por cento das ações do Grupo de Serviços de Transporte Aéreo (ATSG) e iniciou as operações programadas com 20 aeronaves Boeing 767.[5]

Em 31 de janeiro de 2017, a Amazon anunciou que a Amazon Air faria do Aeroporto Internacional de Cincinnati/Northern Kentucky (KCVG) seu principal hub[6] e iniciou as operações em 30 de abril de 2017. A Amazon recebeu US$ 40 milhões em incentivos fiscais e planeja iniciar a construção de um complexo de 370 hectares, com um prédio de 28 hectares para triagem e estacionamento para mais de 100 aeronaves de carga;[7] o projeto está estimado em US$ 1,5 bilhão.[8]

Em dezembro de 2017, a empresa, que inicialmente recebeu o nome de Amazon Prime Air, anunciou sua mudança de marca para Amazon Air, de forma a evitar confusão com o serviço de entrega de drones Amazon Prime Air.[9]

Em junho de 2018, a Amazon Air tinha 20 de seus 33 aviões cargueiros baseados no Aeroporto Internacional de Cincinnati/Northern Kentucky (KCVG), com o restante voando em rotas ponto a ponto nos Estados Unidos. A Amazon Air estava para se mudar para um escritório localizado na antiga sede da Comair em março de 2018.[10]

A Amazon alugou 10 Boeing 767-300 adicionais da ATSG em dezembro de 2018.[11]

A Amazon concluiu um novo hub aéreo regional no Aeroporto Fort Worth Alliance (KAFW) e não transporta encomendas de terceiros.[12] O novo hub regional começou a operar em 2 de outubro de 2019.

Para 2019 e 2020, a Amazon se comprometeu a arrendar 10 aeronaves 767-300 adicionais do Grupo de Serviços de Transporte Aéreo (ATSG),[13] que levaria o número de aeronaves ativas a um total de 50. A fase um da instalação do complexo de triagem de CVG, abrangendo 180 hectares, está programada para ser concluída em 2020, enquanto que os 194 hectares restantes serão desenvolvidos até 2025–2027, durante a fase dois.[14] A Amazon eventualmente planeja ter mais de 100 aeronaves baseadas em CVG, com mais de 200 voos diários[15] e 15.000 funcionários.[16]

Em julho de 2020, a Amazon Air garantiu até seis milhões de galões de combustível de aviação sustentável (SAF) fornecido pela Shell Aviation e produzido pela World Energy.[17]

Em setembro de 2020, a Amazon se comprometeu a comprar quatro aeronaves. Essas seriam suas primeiras aeronaves próprias em vez de alugadas. As quatro aeronaves Boeing 767-300 estavam anteriormente sob propriedade da WestJet, que as comprou da Qantas em 2015.[18] Em janeiro de 2021, com o tráfego aéreo de passageiros severamente reduzido e o tráfego de carga maior devido à pandemia COVID-19, a Amazon anunciou que efetuou a compra de 11 aeronaves do tipo Boeing 767-300 da Delta Air Lines e da WestJet.[2]

Em março de 2021, a Amazon exerceu suas garantias para adquirir uma participação minoritária no ATSG, empresa controladora da sub-locadora da Amazon Air, a Air Transport International. O negócio foi avaliado em US$ 131 milhões, com 13,5 milhões de ações da empresa. A Amazon também detém garantias para adquirir uma participação minoritária na Atlas Air Worldwide Holdings, a empresa controladora da Atlas Air.[19][20]

Destinos[editar | editar código-fonte]

A Amazon Air efetua voos regulares para os seguintes destinos:

Hub / cidades-foco
Destinos Futuros
Destinos Encerrados
Cidade Estado/País IATA Aeroporto Notas
Allentown Pensilvânia ABE Aeroporto Internacional Lehigh Valley [21]
Anchorage Alasca ANC Aeroporto Internacional de Anchorage Ted Stevens
Atlanta Geórgia ATL Aeroporto Internacional de Atlanta Hartsfield-Jackson
Austin Texas AUS Aeroporto Internacional de Austin-Bergstrom
Baltimore Maryland BWI Aeroporto Internacional de Baltimore-Washington Thurgood Marshall
Charlotte Carolina do Norte CLT Aeroporto Internacional de Charlotte-Douglas
Chicago (O'Hare) Illinois ORD Aeroporto Internacional O'Hare
Chicago (Rockford) Illinois RFD Aeroporto Internacional de Chicago - Rockford
Cincinnati/Hebron Kentucky CVG Aeroporto Internacional de Cincinnati
Colônia Alemanha CGN Aeroporto de Colônia-Bonn
Dallas/Fort Worth Texas DFW Aeroporto Internacional de Dallas/Fort Worth
Denver Colorado DEN Aeroporto Internacional de Denver
Fairbanks Alasca FAI Aeroporto Internacional de Fairbanks
Fort Worth Texas AFW Aeroporto Fort Worth Alliance
Hartford Connecticut BDL Aeroporto Internacional de Bradley
Honolulu Havaí HNL Aeroporto Internacional de Honolulu
Houston Texas IAH Aeroporto Intercontinental George Bush
Kahului/Maui Havaí OGG Aeroporto de Kahului
Kansas City Missouri MCI Aeroporto Internacional de Kansas City [22]
Katowice Polônia KTW Aeroporto Internacional de Katowice
Kona Havaí KOA Aeroporto Internacional de Kona [23]
Lakeland Flórida LAL Aeroporto Internacional de Lakeland/Linder
Leicester Reino Unido EMA Aeroporto East Midlands
Leipzig Alemanha LEJ Aeroporto de Leipzig/Halle
Londres Reino Unido SEN Aeroporto London Southend
Los Angeles Califórnia LAX Aeroporto Internacional de Los Angeles
Madrid Espanha MAD Aeroporto de Madrid-Barajas
Miami Flórida MIA Aeroporto Internacional de Miami
Milão Itália MXP Aeroporto de Milão-Malpensa
Minneapolis Minnesota MSP Aeroporto Internacional de Minneapolis-Saint Paul
Nova Orleans Luisiana MSY Aeroporto Internacional de Nova Orleães Louis Armstrong [24]
Nova Iorque Nova Iorque JFK Aeroporto Internacional John F. Kennedy
Ontario Califórnia ONT Aeroporto Internacional de Ontario
Phoenix Arizona PHX Aeroporto Internacional de Phoenix Sky Harbor
Pittsburgh Pensilvânia PIT Aeroporto Internacional de Pittsburgh
Portland Óregon PDX Aeroporto Internacional de Portland
Providence Rhode Island PVD Aeroporto T. F. Green
Richmond Virgínia RIC Aeroporto Internacional de Richmond
Riverside Califórnia RIV Base Aérea da Reserva March
Sacramento Califórnia SMF Aeroporto Internacional de Sacramento
San Bernardino Califórnia SBD Aeroporto Internacional de San Bernardino
San Francisco Califórnia SFO Aeroporto Internacional de São Francisco
San Juan Porto Rico SJU Aeroporto Internacional Luis Muñoz Marin
St. Louis Missouri STL Aeroporto Internacional de Lambert–St. Louis
San Antonio Texas SKF Aeroporto Kelly Field
Seattle/Tacoma Washington SEA Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma
Spokane Washington GEG Aeroporto Internacional de Spokane
Stockton Califórnia SCK Aeroporto Metropolitano de Stockton
Tampa Flórida TPA Aeroporto Internacional de Tampa
Toledo Ohio TOL Aeroporto Toledo Express
Wilmington Ohio ILN Aeroparque Airborne

Frota[editar | editar código-fonte]

Um Boeing 737-800 da Amazon Air operado pela Sun Country Airlines.

As companhias aéreas que operam para a Amazon Air usam aeronaves Boeing 737 e Boeing 767, todas operadas pela Atlas Air, pelo Grupo de Serviços de Transporte Aéreo (ATSG), pela ASL Airlines Irlanda, pela Southern Air e pela Sun Country Airlines.[25]

Até março de 2021, a frota da Amazon tinha em média mais de 24 anos, uma das mais antigas entre os principais concorrentes, incluindo Lufthansa Cargo (menos de 11 anos) e UPS (20 anos).[26] Seu avião mais antigo tem 32 anos.[26] As emissões de carbono da empresa como um todo aumentaram 15% em 2019.[26]

Frota atual[editar | editar código-fonte]

Até julho de 2021, a frota da Amazon consistia das seguintes aeronaves.

Frota Amazon Air[27][28]
Aeronave Em serviço Pedidos Operador Notas
Boeing 737-800 (BCF) 22 8 1 Southern Air
12 Sun Country Companhias Aéreas
2 ASL Airlines Irlanda
Boeing 767-300ER (BDSF / BCF) 51 30 8 AIr Transport International 10 aeronaves aguardando conversão ou entrega ao operador.[29]
19 Atlas Air
2 Cargojet Airways
Total 73 9

Acidentes e incidentes[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Hammerand, Jim. «Amazon's Prime Air cargo jet fleet is bigger than ever and has a new name». www.bizjournals.com. Consultado em 20 de agosto de 2021. Cópia arquivada em 12 de junho de 2018 
  2. a b «Amazon buys its first planes to expand air network». BBC News (em inglês). 6 de janeiro de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  3. Kulisch, Eric (25 de março de 2021). «Amazon airline ATSG touts red-hot business for cargo jet leases». FreightWaves (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2021 
  4. «Amazon in talks to lease Boeing jets to launch its own air-cargo business». The Seattle Times (em inglês). 17 de dezembro de 2015. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  5. Kraatz, Natan (9 de março de 2016). «2nd Update: ATSG, Amazon, strike deal at Wilmington Air Park - Times Gazette». www.timesgazette.com (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  6. Engel, Liz (5 de outubro de 2017). «Amazon plans to move into CVG Centre». WCPO (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  7. Wetterich, Chris; Caproni, Eric (31 de janeiro de 2017). «Amazon to create $1.5B air hub at CVG». www.bizjournals.com. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  8. Jim, Hammerand (26 de dezembro de 2017). «Amazon's Prime Air cargo jet fleet is bigger than ever and has a new name (Video)». www.bizjournals.com. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  9. «Beyond Prime: Amazon Air gets a shorter name for Christmas, at least in the news». GeekWire (em inglês). 26 de dezembro de 2017. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  10. Engel, Liz (5 de outubro de 2017). «Amazon plans to move into CVG Centre». WCPO (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  11. «Amazon Air expands with 10 more cargo aircraft, bringing fleet to 50 planes». TechCrunch (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  12. «Amazon Air Seen As Little Threat To Incumbent Package Carriers | Aviation Week Network». aviationweek.com. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  13. «ATSG Expands and Extends its Aircraft Leasing and Operating Agreements with Amazon». ATSG (em inglês). 21 de dezembro de 2018. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  14. Engel, Liz (29 de novembro de 2017). «Amazon: Phase 1 at CVG complete by 2020». WCPO (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  15. Wetterich, Chris; Caproni, Erin (31 de janeiro de 2017). «Amazon to create $1.5B air hub at CVG». www.bizjournals.com. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  16. «Experts: Amazon could bring up to 15K jobs». WCPO (em inglês). 3 de novembro de 2017. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  17. «Amazon Air secures sustainable aviation fuel». Global Cargo Insight (em inglês). 9 de julho de 2020. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  18. «Amazon's first 763 freighter is now registered». PaxEx.Aero (em inglês). 2 de setembro de 2020. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  19. Palmer, Annie (8 de março de 2021). «Amazon spends $131 million to take minority stake in air cargo contractor ATSG». CNBC (em inglês). Consultado em 9 de março de 2021 
  20. «SC 13G/A». www.sec.gov. Consultado em 9 de março de 2021 
  21. Assad, Matt. «LVIA expanding to handle more Amazon planes». mcall.com. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  22. «Kansas City International Airport». Consultado em 13 de maio de 2021 
  23. Ruminski, Laura} (7 de agosto de 2020). «Amazon Air expands operations to Kona International Airport». Hawaii Tribune-Herald (em inglês). Consultado em 7 de agosto de 2020 
  24. «Amazon Air Adds New Orleans to its Expanding Network, and Airport is 'Thriled'». AviationPros. 5 de novembro de 2020. Consultado em 5 de novembro de 2020 
  25. Jim, Hammerand (26 de dezembro de 2017). «Amazon's Prime Air cargo jet fleet is bigger than ever and has a new name (Video)». www.bizjournals.com. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  26. a b c «Amazon's buying spree for used airplanes makes green pledge harder to keep». www.bloomberg.com. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  27. «Global Airline Guide 2016 (Part Two)». Airliner World. 1 de novembro de 2016. ISSN 1465-6337. Consultado em 1 de dezembro de 2019 
  28. Jamerson, Joshua (5 de maio de 2016). «Amazon Partners with Atlas Air Worldwide for Cargo Services». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  29. «Amazon Prime Air Fleet Details and History». www.planespotters.net. Consultado em 6 de março de 2021 
  30. «National Transportation Safety Board Aviation Accident Investigation: Atlas Air #3591 crashed into Trinity Bay (DCA19MA086)». www.ntsb.gov. Consultado em 20 de agosto de 2021