Anne Applebaum Elizabeth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anne Applebaum Elizabeth
Cônjuge Radoslaw Sikorski (1992 - presente)
Prémios Prémio Pulitzer de Não Ficção Geral (2005)
Género literário Romance, conto
Movimento literário Pós-modernismo

Anne Applebaum Elizabeth (nascida em 25 de julho de 1964) é uma jornalista americana e autora premiada com o Prêmio Pulitzer, ela escreveu extensivamente sobre o comunismo e o desenvolvimento da sociedade civil na Europa Oriental e Central. Ela tem sido um editor da revista The Economist, e foi membro do conselho editorial do The Washington Post (2002-2006) e da Revista Slate.

Vida[editar | editar código-fonte]

Seus pais são Harvey M. Applebaum, e Elizabeth Applebaum. Ela se formou pela Sidwell Friends School (1982). Ela ganhou o BA ( summa cum laude ) na Universidade de Yale (1986), e na London School of Economics ela concluiu o mestrado em relações internacionais (1987).[1]

Ela estudou no Colégio St Antony, Oxford antes de se mudar para Varsóvia, Polônia, em 1988, como correspondente do The Economist.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Applebaum foi editor do The Spectator, e colunista do Daily Telegraph e Sunday Telegraph. Ela também escreveu para o The Independent. Trabalhando para The Economist, ela forneceu a cobertura de importantes transições sociais e políticas na Europa do Leste, antes e depois da queda do Muro de Berlim em 1989.

Em 1992, ela foi premiada com o Charles Douglas-Home Memorial Trust Award.[3] Applebaum viveu em Londres e Varsóvia durante a década de 1990, e foi durante vários anos colunista do jornal Londrino Evening Standard.

Seu primeiro livro, Entre o Oriente e o Ocidente, é um relato de viagem, e foi premiado com o prêmio Adolph Bentinck em 1996.[4]

Seu segundo livro, Gulag: Uma História, foi publicado em 2003 e foi premiado em 2004 com o Prêmio Pulitzer de Não Ficção Geral.[4][5][6] Applebaum é fluente em inglês, francês, poláco[7] e russo.

Em 24 de maio de 2006, ela deixou Washington para viver novamente, na Polônia.[8]

Em fevereiro de 2008, ela foi premiada com a Ordem da Cruz da Terra Mariana, da Estónia.[9] E em 2010, ela recebeu o prêmio húngaro Petőfi em Budapest.[10]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Applebaum casou-se em 1992 com o ministro poláco das Relações Exteriores Radoslaw Sikorski.[11] Eles têm dois filhos, Aleksander e Tadeusz.

Referências

  1. «Anne E. Applebaum to Wed in June». The New York Times. 8 de dezembro de 1991. Consultado em 23 de abril de 2008. ... is a summa cum laude graduate of Yale University. 
  2. «Anne Applebaum». The Washington Post. Consultado em 3 de outubro de 2009 
  3. «Anne Applebaum biography». The Washington Post Company. Consultado em January 28, 2012  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  4. a b «From concentration camps to cotton». Idaho Mountain express and guide. Express publishing inc. 25 de março de 2005. Consultado em 3 de outubro de 2009 
  5. «'The Known World' Wins Pulitzer Prize for Fiction». The New York Times. 5 de abril de 2004 
  6. «The 2004 Pulitzer Prize Winners General Nonfiction». Arquivado desde o original 2 October 2009. Consultado em 3 de outubro de 2009  Verifique data em: |archive-date= (ajuda)
  7. Video com Anne Applebaum, em Polones, da Rede de TV - TVN [1]
  8. So Long, Washington (for Now) by Anne Applebaum, The Washington Post, 2006-05-24. Retrieved 2008-04-23
  9. «" President Ilves participated in the celebration of Poland's 90th anniversary "». Office of the president of Estonia. 11 novembro 2008 
  10. US Embassy, Budapest, Hungaria, ed. (14 dezembro 2010). «Anne Applebaum Receives Petőfi Prize». Consultado em January 28, 2012  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  11. Applebaum, Anne (March 28, 2010). «I almost became the first lady of Poland». Slate.com. Consultado em January 28, 2012  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)

Ligações externas