Antipapa Anacleto II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde maio de 2016)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Antipapa Anacleto II
Nascimento 1090
Roma
Morte 25 de janeiro de 1138 (48 anos)
Roma
Sepultamento Basílica de Santa Maria em Trastevere
Ocupação padre católico
Religião cristianismo

Anacleto II, nascido Pietro Pierleoni, (Roma, 1090 – Roma, 25 de Janeiro de 1138) foi um antipapa que reinou de 1131 até à sua morte, em cisma contra a eleição de Inocêncio II.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pietro, de ascendência judaica, nasceu na poderosa família romana dos Pierleoni, filho do cônsul Pier Leoni. Como filho segundo e ambicioso, foi destinado à carreira eclesiástica. Estudou em Paris e entrou na abadia beneditina de Cluny. Mais tarde foi para Roma e desempenhou diversos cargos importantes. Em 1130 o Papa Honório II estava a morrer e Pierleoni estava determinado a suceder-lhe, mesmo que isso lhe custasse enormes subornos. Apesar do apoio dos habitantes e das famílias mais nobres da cidade, os inimigos políticos de Pierleoni contrariam-lhe os projetos e obrigaram o cardeal Gregorio Papareschi a candidatar-se. Este acabou por ser eleito como Papa Inocêncio II, mas a facção dos Pierleoni não aceitou o resultado e proclamou-o Anacleto II. Ambos os homens foram coroados papa a 23 de Fevereiro, começando assim o cisma.

Os papas permaneceram em Roma e Anacleto tentou granjear o apoio da população gastando enormes quantias em presentes e festas exuberantes. Os governantes da Europa, e em especial Lotário II, o imperador, apoiavam Inocêncio II, deixando Anacleto com poucos apoiantes poderosos. Os mais importantes destes últimos eram um duque, Guilherme X da Aquitânia, o qual decidira apoiar o antipapa contra o conselho dos seus próprios bispos e o influente Rogério II da Sicília, cujo título de "Rei da Sicília" Anacleto aprovara pouco depois de ascender ao trono papal.

Devido ao forte apoio de Rogério a Anacleto, Inocêncio viu-se forçado a deixar Roma e a ir viver em Pisa, enquanto Anacleto ocupava Roma. Bernardo de Claraval era o mais eloquente apoiante de Inocêncio e convenceu todos os apoiantes de Anacleto a passar para o lado de Inocêncio depois da morte daquele, o que pôs fim ao cisma, em 1138. Inocêncio pôde então regressar a Roma e governar sem oposição. O papa convocou rapidamente o II Concílio de Latrão em 1139 e reiterou os ensinamentos da Igreja contra a usura, o casamento dos clérigos, e outros problemas.

Muito embora a família Pierleoni tivesse declarado lealdade ao Papa, Giordano, irmão de Anacleto, tornou-se o líder da Comuna de Roma, opondo-se ativamente aos sucessores de Inocêncio na década seguinte.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]