Augusto Roa Bastos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Augusto Roa Bastos
Data de nascimento 13 de junho de 1917
Local de nascimento Assunção, Paraguai
Nacionalidade Paraguai Paraguaio
Data de morte 26 de abril de 2005 (87 anos)
Local de morte Assunção, Paraguai
Ocupação Escritor
Magnum opus O trovão entre as folhas
Prémios Prêmio Miguel de Cervantes 1989

Augusto Roa Bastos (13 de junho de 1917, Assunção - 26 de abril de 2005, id.); foi um escritor paraguaio, conhecido nas áreas do ensaio, do roteiro, da poesia e do romance.

Entre 1932 e 1935, participou como enfermeiro na guerra del chaco, entre a Bolívia e o Paraguai, com apenas 15 anos. Em 1947 é obrigado ao exílio, devido à perseguição da ditadura, na Argentina, onde publica pela primeira vez.

Em 1970, devido a outra ditadura, é obrigado a exilar-se na Europa, na França, onde ensina literatura hispano-americana.

Em 1982, numa breve visita ao seu país, perde a nacionalidade paraguaia e passa a portar a nacionalidade espanhola.

Recebe diversos reconhecimentos públicos pelo mérito, originalidade e qualidade da sua obra, entre os quais o "Concours International de Romans Losada" (1959), o "Prix du Memorial de America Latina" (1988) e é distinguido com o Prêmio Miguel de Cervantes em 1989. Sua obra está traduzida para cerca de 25 idiomas.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • La carcajada (teatro) (1930)
  • Fulgencio Miranda (novela) (1937)
  • La residenta; El niño del rocío (teatro) (1942)
  • El ruiseñor de la aurora y otros poemas (poesia) (1942)
  • Mientras llegue el día (peça de teatro estreada em 1946)
  • La Inglaterra que yo vi (artigos de opinião) (1946)
  • O trovão entre as folhas - no original El trueno entre las hojas (1953)
  • El naranjal ardiente (Nocturno paraguayo) (poesia) (1960)
  • Hijo de hombre (1960)
  • El baldío (1966)
  • Los pies sobre el agua (1967)
  • Madera quemada (1967)
  • Moriencia (1969)
  • Cuerpo presente y otros cuentos (1971)
  • Yo el Supremo (1974)
  • Antología personal (1980)
  • Contar un cuento y otros relatos (1984)
  • Vigilia del Almirante (1992), sobre a vida de Cristóvão Colombo
  • El fiscal (1993)
  • Contravida (1994)
  • Madama Sui (1996)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Augusto Roa Bastos
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.