Birmingham (Alabama)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para Birmingham, veja Birmingham (desambiguação).


Birmingham
Localidade dos Estados Unidos Estados Unidos
Birmingham AL Montage.jpg
Do topo, da esquerda para a direita: Centro visto a partir de Red Mountain, Torii no Jardim Botânico de Birmingham, Teatro Alabama, Museu de Arte de Birmingham, Prefeitura e Downtown Financial Center.
Birmingham está localizado em: Alabama
Birmingham
Localização de Birmingham no Alabama
Birmingham está localizado em: Estados Unidos
Birmingham
Localização de Birmingham nos Estados Unidos
Dados gerais
Incorporado em 19 de dezembro de 1871 (144 anos)
Prefeito William A. Bell
Localização
33° 39' 12" N 86° 48' 32" O
Condado Jefferson (96,64%)
Shelby (3,36%)
Estado  Alabama
Tipo de localidade Cidade
Fuso horário -6/-5
Características geográficas
Área 384,90 km²
- terra 378,32 km²
- água 6,58 km²
População (2010[1]) 212 237 hab. (561,00 hab/km²)
- metrópole 1 212 848
Altitude 140 m m
Códigos
código FIPS 01-07000
Sítio web http://www.informationbirmingham.org
Jefferson County Alabama Incorporated and Unincorporated areas Birmingham Highlighted.svg
Localização de Birmingham no Condado de Jefferson.

Portal Portal Estados Unidos

Birmingham é a maior cidade do estado americano do Alabama. A cidade, fundada em 1871, foi palco de violentos conflitos raciais durante a década de 1960.

Crescimento populacional
Censo Pop.
1880 3 086
1890 26 178 748,3%
1900 38 415 46,7%
1910 132 685 245,4%
1920 178 806 34,8%
1930 259 678 45,2%
1940 267 583 3,0%
1950 326 037 21,8%
1960 340 887 4,6%
1970 300 910 -11,7%
1980 284 413 -5,5%
1990 265 968 -6,5%
2000 242 820 -8,7%
2010 212 237 -12,6%
Fonte: US Census[1][2]

Segundo o censo nacional de 2010[1], a sua população é de 212 237 habitantes, com 1,2 milhão de habitantes em sua região metropolitana. A cidade possui cerca de 108 981 residências, que resultam em uma densidade de 288,07 residências/km².

Birmingham foi fundada em 1871, durante o período pós-Guerra Civil, por meio da fusão de três vilas. A cidade cresceu a partir daí, anexando muitos mais dos seus vizinhos menores e se tornando um centro de transporte industrial. Birmingham foi nomeada assim em homenagem à cidade homônima que, é localizada no Reino Unido, é uma das principais cidades industriais inglesas. Muitos — se não a maioria — dos colonos que fundaram Birmingham eram de ascendência Inglesa. Na visão de um escritor, a cidade foi planejada como um lugar onde mão de obra barata, não sindicalizados, com Afro-americanos do Alabama rural poderiam ser empregados em usinas siderúrgicas da cidade e altos-fornos, dando-lhe uma vantagem competitiva sobre cidades industriais no Centro-Oeste e Nordeste.

Desde sua fundação até o final da década de 1960 , Birmingham foi um grande centro industrial. O ritmo de crescimento de Birmingham , durante o período de 1881 até 1920 garantiu à cidade os apelidos como "The Magic City" ("A Cidade Mágica") e "The Pittsburgh Of The South" ("A Pittsburg do sul"). Bem como Pittsburgh, grandes indústrias de Birmingham eram de ferro e produção de aço, além de um componente importante da indústria de ferrovias, onde trilhos e vagões foram ambos fabricados em Birmingham. Os dois centros principais de ferrovias no sul são Atlanta e Birmingham, começando na década de 1860 e continuando até aos dias de hoje. Embora a indústria de transformação mantenha uma forte presença em Birmingham, outras empresas e indústrias — telecomunicações, transporte, de energia elétrica, assistência médica, educação universitária, seguro, etc. — aumentaram em estatura. A mineração na área de Birmingham não é mais uma grande indústria, com exceção da mineração de carvão. Birmingham se classifica como um dos centros de negócios mais importantes do sudeste dos Estados Unidos e é também um dos maiores centros bancários americanos . Além disso, a área de Birmingham serve como sede para uma empresa da Fortune 500 : Regions Financial, juntamente com outras cinco empresas da Fortune 1000.

Birmingham é a sede da Orquestra Sinfônica do Alabama.

São naturais de Birmingham Carl Lewis e Courteney Cox Arquette, a Mônica do seriado Friends.

Movimento de Direitos Civis em Birminghan[editar | editar código-fonte]

Nos anos de 1950 e 1960, Birminghan recebeu atenção nacional e internacional como o centro da luta pelos direitos civis de afro-americanos. Na região, os ativistas do movimento foram liderados por Fred Shuttlesworth, um ardente pregador que se tornou lendário por sua coragem em face da violência — uma série de atentados notavelmente cometidos por motivos raciais que fez com que Birminghan recebesse o apelido de "Bombinghan".

Um divisor de águas no movimento de direitos civis ocorreu em 1963, quando Shuttlesworth pediu que Martin Luther King Jr. e a Conferência de Liderança Cristã do Sul — Southern Christian Leadership Conference (SCLC) —, da qual Shuttlesworth era cofundador, fosse até a cidade de Birminghan, onde King certa vez havia sido pastor, para ajudar no fim da segregação. Juntos, eles deram início ao "Projeto C" (de "Confronto"). O movimento contra a segregação racial mobilizou milhares de pessoas a realizarem protestos utilizando a não-violência como base. As ruas de Birminghan ficaram lotadas de pessoas entoando cânticos de liberdade para que pudessem utilizar-se de escolas, bibliotecas publicas, estabelecimentos comerciais sem que fossem segregadas e que os negros pudessem ter as mesmas oportunidades no mercado de trabalho, pois os cargos mais importantes eram destinados a pessoas brancas, por mais destaque que aquele funcionário negro tivesse. Foi preciso intervenção federal para o fim das manifestações resultando em um acordo das lideranças negras com os líderes comerciais da cidade e o afastamento do chefe de policia Bull Connor, segregacionista declarado. Esse foi um sólido ataque ao sistema de Jim Crow.

Educação[editar | editar código-fonte]

Na área da educação, Birmingham foi a localização da University of Alabama School of Medicine (o antigo Medical College of Alabama) e da Faculdade de Odontologia do Alabama desde 1947. A cidade também abriga um campus da Universidade do Alabama (fundada por volta de 1969), um dos três campus principais dessa universidade. É também o lar do College Birmingham-Southern. Entre essas duas universidades e Samford University, a área de Birmingham tem grandes faculdades de medicina, odontologia, oftalmologia, farmácia, direito, engenharia e enfermagem. Birmingham abriga três das cinco escolas de direito do estado: Cumberland School of Law, Birmingham School of Law, e Miles Law School. Birmingham é também a sede da Southwest Conference, um dos principais colegiado conferência atlética dos EUA,.

Transporte[editar | editar código-fonte]

A cidade é servida por quatro estradas nacionais: a Interstate 20, a Interstate 65, a Interstate 59, e a Interstate 20, bem como uma via expressa de bypass sul Interstate 459, que liga com I-20/59 ao sudoeste, com I-65 sul , I-20, a leste, e I-59 para o nordeste. Começando no centro de Birmingham é o "Elton B. Stephens Expressway"-o Expressway Red Mountain para o sudeste-que carrega tanto EUA Highway 31 e Rodovia EUA 280 para, através e ao longo do Red Mountain. Interstate 22 está à beira de conclusão entre Birmingham e Memphis, Tennessee, faltando apenas os últimos 3-4 milhas que irá conectá-lo com o I-65, a norte dos limites da cidade de Birmingham. Houve propostas e planos para a construção de uma estrada do norte Beltline no lado oposto de Birmingham da Interstate 459.

Referências

[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Birmingham (Alabama)
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Birmingham (Alabama)
Downtown Birmingham, Alabama.jpg
Regions Bank in Minden, LA IMG 0618.JPG
Downtown Birmingham, Alabama.jpg

(em inglês)

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Birmingham: a luta pelos direitos civis dos negros, disponível em http://www.museudeimagens.com.br/direitos-civis-negros/