Bloqueio da Wikipédia na Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Relatório da NetBlocks sobre o progresso da Wikipédia sendo bloqueado na Venezuela pela CANTV em 12 de janeiro de 2019.[1]

A Wikipédia foi bloqueada na Venezuela, em 12 de janeiro de 2019, pelo principal provedor de telecomunicações da Venezuela, CANTV.[2]

Todos os 1,5 milhão de usuários da CANTV foram afetados pela decisão. O bloqueio foi levantado em 18 de janeiro de 2019, após críticas generalizadas contra a empresa estatal, alegando que foi em resposta à crise presidencial venezuelana.[3]

O bloqueio coincidiu com as reivindicações de Juan Guaidó de se tornar presidente interino durante o início da crise presidencial venezuelana. Durante a crise, várias interrupções na Internet foram relatadas, bem como o bloqueio de vários sites, incluindo a Wikipédia.[4][5]

Contexto[editar | editar código-fonte]

O bloqueio da Wikipédia ocorreu em meio a várias guerras de edição nos artigos da Wikipédia em espanhol de Nicolás Maduro, Juan Guaidó, Presidente da Venezuela e Lista de presidentes da Venezuela. As guerras de edição estavam em conflito por edições tanto de usuários registrados quanto de usuários anônimos de IP, com opiniões diferentes sobre a reeleição de Maduro como presidente da Venezuela a partir de 2019, a assunção da presidência por Guaidó, bem como sobre a cronologia do presidência.[6][7] As edições iniciais afirmavam que Guaidó se declarou presidente, com as guerras seguintes removendo essa informação.

Bloqueio[editar | editar código-fonte]

Na tarde de 12 de janeiro de 2019, o observatório da Internet NetBlocks coletou evidências técnicas do bloqueio de todas as versões da Wikipédia na Venezuela. As restrições foram implementadas pela CANTV, maior provedora de telecomunicações do país. A NetBlocks identificou uma grande interrupção na rede afetando a infraestrutura de telecomunicações, que coincidiu com outras restrições que afetaram a capacidade dos venezuelanos de acessar informações nas 24 horas anteriores. Acredita-se que o motivo seja uma tentativa de ocultar ou suprimir o artigo da Wikipédia do recém-nomeado presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, que o incluiu como "51º Presidente da República Bolivariana da Venezuela". As informações coletadas também mostram diversos sites que haviam sofrido restrições recentemente, o que significa que a instabilidade política no país pode ser o principal motivo do controle da internet.[8]

Reações[editar | editar código-fonte]

Wikimedia Foundation[editar | editar código-fonte]

Em 13 de janeiro de 2019, a Wikimedia Foundation disse que estava abrindo uma investigação sobre o evento em andamento e que ainda recebia tráfego da web e edições da Venezuela ao mesmo tempo.[9]

Governo[editar | editar código-fonte]

Em 15 de janeiro, Nicolás Maduro falou sobre a Wikipédia e disse que a oposição estava "com o objetivo de ganhar poder político e se tornar presidente da República da Wikipédia, da República do Twitter", em referência às guerras de edição que ocorreram em torno da nomeação de Juan Guaidó como presidente em meio à crise presidencial.[10] Maduro acrescentou "Lá estão eles com sua Wikipédia e seu Twitter".[11]

William Castillo, ex-presidente da Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) e atual vice-ministro de Comunicação Internacional negou o bloqueio da Wikipédia, e alegou que foi um ataque DoS contra o site, para desacreditar o governo venezuelano.[12]

Notas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «From the blocking of Wikipedia to Social Media: Venezuela's Political Crisis». IPYS Venezuela. 29 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2019 
  2. «From the blocking of Wikipedia to Social Media: Venezuela's Political Crisis». IPYS Venezuela. 29 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2019 
  3. «Bloquean Wikipedia en Venezuela por declarar presidente a Guaidó». EP Mundo (em espanhol). 12 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020. Arquivado do original em 14 de janeiro de 2019 
  4. «Evidence of regional internet blackouts across Venezuela». NetBlocks. 27 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 16 de julho de 2019 
  5. Rueda, Manuel (3 de fevereiro de 2019). «Venezuelan opposition targeted by internet censors». ABC News. Consultado em 14 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 5 de março de 2019 
  6. Pulgarín, Jován. «Wikimedia le solicita al gobierno venezolano que desbloquee Wikipedia». CNET en Español (em espanhol). Consultado em 14 de setembro de 2020 
  7. «Venezuela blocks Wikipedia amid presidential dispute». PPC Land (em inglês). 13 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  8. «Wikipedia blocked in Venezuela as internet controls tighten». NetBlocks (em inglês). 12 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  9. publimetro. «Una guerra virtual desatada en Wikipedia terminó con el bloqueo de la página en Venezuela». Publimetro Test (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2020 
  10. «Maduro habla de la oposición con 'un presidente de la república de Wikipedia' y enciende Internet». El Comercio. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  11. FM, La (15 de janeiro de 2019). «Maduro dice que la oposición tiene un presidente de Wikipedia». www.lafm.com.co (em spanish). Consultado em 14 de setembro de 2020 
  12. Castillo, Carlos del (18 de janeiro de 2019). «Venezuela y Wikipedia se contradicen: ¿bloqueó Maduro el acceso a la enciclopedia tras una "guerra de ediciones"?». El Diario (em espanhol). Consultado em 14 de setembro de 2020