Carlos Antero Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlos Antero Ferreira
Nascimento 24 de fevereiro de 1932
Santos-o-Velho, Lisboa
Morte 14 de janeiro de 2017 (84 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade português
Ocupação Poeta, arquitecto, ensaísta, historiador e professor catedrático
Obras notáveis Betão : a idade da descoberta
Prémios Prémio José de Figueiredo 1989

Carlos Antero Lopes Ferreira (Santos-o-Velho, Lisboa, 24 de fevereiro de 1932Lisboa, 14 de janeiro de 2017) foi um poeta, arquitecto, ensaísta, historiador e professor catedrático português[1][2].

Fez o seu percurso académico em Lisboa, tendo frequentado o Ensino Primário no Colégio de Alvalade, o Ensino Secundário no Colégio Moderno e no Liceu Camões. Diplomou-se no ano de 1958 em Arquitectura[3], com a classificação de 18 valores, "Muito Bom com Distinção" na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa.

Faleceu a 14 de Janeiro de 2017, num hospital de Lisboa, vítima de fibrilhação cardíaca.[4]

Arquitectura e áreas afins[editar | editar código-fonte]

Iniciou a prática profissional no escritório do Prof. Cristino da Silva, em Lisboa, onde colaborou na elaboração de grandes projectos, tendo posteriormente desenvolvido actividade por conta própria, até 1983, e dirigido gabinetes de arquitectura de empreendimentos imobiliários, como os do Novo Carnaxide (1964) e do projecto Miraflores, 1.ª fase do Plano de Urbanização do Vale de Algés (1967).

Paralelamente com a arquitectura, exerceu actividade de designer na área de mobiliário, nessa qualidade tendo participado em Lisboa na 1ª Exposição de design português organizada pelo Instituto Nacional de Investigação Industrial, e Interforma – Equipamento de Interiores em 1971[5] e actividade de consultor na área pioneira da Prevenção e Segurança contra Incêndio em Edifícios (1970-1973).

No âmbito da Salvaguarda do Património Cultural edificado, desempenhou também funções de consultadoria, promoção e divulgação, na área científica da Fotogrametria de Arquitectura e Arqueologia[6], tendo acompanhado a execução em Portugal, dos primeiros levantamentos estereofotogramétricos de edifícios e monumentos (1981-1987).

Após a aposentação da função pública (1998) elaborou Estudos e Pareceres relacionados com a classificação de imóveis urbanos e projectos de recuperação e reutilização de edifícios, em zonas de protecção de imóveis classificados.

Carreira Docente[editar | editar código-fonte]

Segundo Assistente convidado, com regência de cadeira, do curso de Arquitectura da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (1963), de cuja Biblioteca foi o primeiro Director (1968); Professor Agregado, por concurso de provas públicas (1964); Primeiro Assistente no mesmo ano e Professor das Cadeiras de Tecnologia da Arquitectura, aprovado em concurso de provas públicas, em mérito absoluto e relativo (1967).

Com a criação da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, de cuja Comissão Instaladora fez parte desde 1983, foi nomeado Professor Associado em 1984, passando a Professor Catedrático em 1989 e Professor Catedrático com Nomeação Definitiva em 1991.

Primeiro Presidente do Conselho Científico da Faculdade de Arquitectura de Lisboa[7], eleito para quatro mandatos, Presidente do Conselho Pedagógico e Presidente do Conselho Directivo[8].

Na mesma Faculdade de Arquitectura, patrocinou em 1983 a criação do Curso de Mestrado em "Recuperação do Património Arquitectónico", e fundou o primeiro curso de pós-graduação em Portugal na especialidade de "Conservação e Recuperação de Edifícios e Monumentos", que se repetiu nos anos seguintes, de 1984, 1985 e 1986.

Senador da Universidade Técnica de Lisboa, por inerência de cargo directivo.

Professor Convidado (1986, 1987, 1988) do curso "Patologia, Reabilitação e Manutenção de Estruturas e Construções", do Instituto Superior Técnico.

Director e Presidente do Conselho Escolar (2000-2003), do departamento de Arquitectura da Escola Universitária Vasco da Gama, em Coimbra.

Professor Convidado dos Cursos Livres Internacionais de Santarém, sobre Património Cultural.

Foi o Professor Decano da Faculdade de Arquitectura de Lisboa (UTL, UL)[9].

Doutor Honoris causa em Belas-Artes pela Academia de Santo Estêvão de Jerusalém.

Academias e outras instituições[editar | editar código-fonte]

Academias[editar | editar código-fonte]

Outras intituições[editar | editar código-fonte]

  • Junta Nacional da Educação, JNE, Vogal da 1.ª Secção (Ensino Superior)
  • Associação Portuguesa de Historiadores de Arte, Sócio de Mérito
  • Centro de Investigação Joaquim Veríssimo Serrão, CIJVS, Membro Investigador
  • Instituto Preste João das Índias, Membro Honorário
  • Instituto de Estudos Histórico-Militares Napoleão I, Membro de Mérito
  • Sociedade de Geografia de Lisboa, Director
  • Associação Portuguesa para a Qualidade Industrial (APQI), Presidente para a Indústria da Construção
  • Conselho Superior de Defesa e Salvaguarda do Património, Conselheiro
  • Conselho Superior de Ciência e Tecnologia, Conselheiro
  • Conselho Superior das Bibliotecas Portuguesas, Conselheiro
  • Instituto Nacional de Investigação Científica (INIC), Conselheiro
  • Instituto de Alta Cultura, Vogal de Comissões ad hoc
  • Secretaria de Estado da Cultura, Conselheiro Cultural
  • Fundação Millennium bcp, Conselheiro
  • Fórum UNESCO Portugal ― Universidade e Património, Conselheiro
  • Red Iberoamericana del Patrimonio Cultural, Membro
  • National Geographic Society, Membro Fundador em Portugal
  • Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS)
    • International Council on Monuments and Sites (Comissão Nacional), Presidente da Assembleia Geral[12]
    • Comité International de Photogrammétrie Architecturale, CIPA, Membro de Honra e Delegado Nacional
    • International Training Committee, Membro Efectivo
  • Conselho da Europa (Estrasburgo), Comité do Património Cultural, Membro
  • Comissão das Comunidades Europeias (Bruxelas, DGX), Perito Especialista em Património Cultural

Altos cargos na Administração Pública[editar | editar código-fonte]

Distinções Honoríficas Condecorações e outras honrarias[editar | editar código-fonte]

  • Medalha Cultural de Ouro, de Itália (1964)
  • Medalha de Mérito, Classe de Ouro, da Academia Nacional de Belas-Artes (1996)
  • Grã-Cruz do Mérito do Descobridor do Brasil Pedro Álvares Cabral (Diploma de Honra, de 16 de Dezembro de 2000)
  • Comendador Honorário da Real Ordem de São Miguel da Ala (Carta de nomeação de 29 de Setembro de 2005)
  • Cavaleiro Grande Cruz do Colar D. Pedro I Imperador do Brasil (“Decreto Magistral” de IX.X.MMVI)
  • Irmão Confrade Grã Cruz de Mérito da Real Confraria de São Teotónio (Diploma de 22 de Novembro de 2008)
  • Member of Honour, Royal Institute Mohamed Ali (Diploma 10/13, datado de 26 de Julho de 2013)
  • Elogio do Deputado Prof. João Rosado Correia, na Assembleia da República (1990)
  • Louvor do Secretário de Estado da Cultura, Dr. Pedro Santana Lopes, publicado no “Diário da República”, II Série, N.º 53, de 4 de Março de 1993[18]
  • Elogio do Presidente do Tribunal de Contas, Prof. António de Sousa Franco, constante do “Relatório do Presidente”, datado de 6 de Junho de 1995
  • Louvores Públicos da Associação Portuguesa de Municípios com Centro Histórico (1993 e 2013)[19]

Livros / Publicações[editar | editar código-fonte]

Autor de mais de 200 títulos, entre livros e opúsculos, e textos em publicações periódicas e em série (Revista "Binário"; Jornal de Artes e Letras"; "Diário Popular"; "Diário de Notícias"; "A Capital"; "Tempo"; "Expresso"; "Belas-Artes, Revista e Boletim da Academia Nacional de Belas-Artes"; "Anais da Academia Portuguesa da História"; "ABC Portugal"; "GEHA, Revista de História e Fenomenologia da Arquitectura e do Urbanismo"; "Estudos Arqueológicos de Oeiras"; "Boletim Informativo da Associação Portuguesa de Historiadores de Arte", etc.

Ano Título
Livro / Publicação / Comunicações
Editora / Conferência Referências e notas
1961 Cultura arquitectónica e caricatura Revista Binário [20]
1964 Arquitectura e monumentalidade Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (ESBAL) [21]
1964 Arquitectura e monumentalidade Fundo Piloto (Espólio do Professor Vitor Piloto) [21]
1969 A luz Conferência proferida no 1º Congresso Europeu da Luz [21]
1971 Arquitectura na universidade Artigo publicado no Diário de Notícias de 7 de Julho de 1971 e na revista Binário, n. 153 [21]
1971 Prevenção e segurança contra incêndio na arquitectura de edifícios Comunicação apresentada ao 1º Congresso Nacional de Seguros [21]
1972 Betão aparente em Portugal Associação Técnica da Indústria do Cimento (Lisboa) [21]
1972 A importância da arquitectura industrial na prevenção Oficinas Gráficas da Editorial Franciscana
(Conferência inaugural do Colóquio "A Prevenção e o Desenvolvimento Industrial" proferida no Auditório da FIL)
[21]
1974 Prevenção e arquitectura Soc. Industrial Gráf. [22]
1985 A ciência fotogramétrica ao serviço do inventário e conservação do património arquitectónico e arqueológico Instituto Geográfico e Cadastral [21]
1985 Arquitectura na Universidade Instituto Superior de Engenharia de Lisboa [21]
1987 Mathias Ayres, tratadista do "problema de architectura civil" no século XVIII português Revista e boletim da Academia Nacional de Belas-Artes [21][23]
1987 Tapada da Ajuda - O palácio de exposições editora Passado Presente [21][24]
1989 Betão: a idade da descoberta editora Passado Presente [25]
1991 Elogio histórico do arquitecto Eugénio Corrêa [21]
1991 As origens do betão armado em Portugal e o registo de patente de François Hennebique [21]
1991 A reforma setecentista da universidade e o ensino da arquitectura em Portugal no século XVIII (Comunicação apresentada ao Congresso História da Universidade de Coimbra no 7o centenário da sua fundação) [21][26]
1992 Restauro dos monumentos históricos Instituto Português do Património Cultura
(Comunicação apresentada ao Simpósio Europeu das Empresas de Restauro do Património Documental, Estrasburgo)
[21]
1992 Valorizar e desenvolver as áreas de património classificado Instituto Português do Património Arquitetónico (IPPAR)
(Conferência realizada no Porto em Junho de 1992)
[21][27]
1998 A universidade e a ciência do património [28]
2000 O património mundial, a sociedade da ilusão da eternidade e o novo milénio Publicação da Câmara Municipal de Santarém [29]
2002 Simbolos, Gerações e História Academia de Letras e Artes co-autor com Professor Doutor António Sousa Lara, Professor Doutor Dom Afonso de Ceballos Escalera, Tenente-Coronel José Manuel Pedroso Silva, Mestre Paulo Morais Alexandre, Com. Sérgio Avelar Duarte, Dr. João Aníbal Henriques, Dra. Elisa Frugnoli, Professor Doutor Romero Bandeira e Dr. Damián Yanez Neira [11]
2003 A Casa da Torre : reflexão em torno do primeiro solar português no Brasil [30]
2005 Academia de Belas Artes : da fundação aos novos académicos [31]
2006 Basílica de Nossa Senhora dos Mártires e outras Igrejas do Chiado Fundação Sousa Pedro co-autor com Cónego Armando Duarte e Dr. Vítor dos Reis[32]
2007 Castelo da Mina: da fundação às representações iconográficas dos séculos XVI e XVII Livros Horizonte ISBN 978-972-24-1492-5 [33]
2008 Preto no branco [34]
2009 Academia Nacional de Belas-Artes (1932-2007) Fundação Sousa Pedro [32]
2011 Breve tratado dos dias Tip. Abreu, Sousa & Braga [35]
2014 Prova de vida [36]

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Prémio José de Figueiredo, da Academia Nacional de Belas-Artes (1989) com Betão : a idade da descoberta[37]
  • Prémio Calouste Gulbenkian - Presença de Portugal no Mundo, da Academia Portuguesa da História (2002) com o livro Castelo da Mina: da fundação às representações iconográficas dos séculos XVI e XVI[38]
  • Primeiro Prémio no Concurso municipal para a concepção do monumento a Santo António, em Alvalade, Lisboa, em colaboração com o Prof. Escultor António Duarte (projecto de 1971, não executado integralmente).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Leonor Rodrigues (27 de novembro de 2014). «Apresentação do livro Prova de Vida, em Cascais». Oeiras Digital. Consultado em 26 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2015 
  2. «Dia do Instituto». Instituto Politécnico de Santarém. 4 de Junho de 2012. Consultado em 26 de março de 2015 
  3. Gonçalo Esteves de Oliveira do Canto Moniz (Junho de 2011). «O Ensino Moderno da Arquitectura» (PDF). pág. 79. Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. 618 páginas. Consultado em 27 de março de 2015 
  4. Morreu o arquitecto e antigo presidente do CCB Antero Ferreira, Público 14.01.2017
  5. 1870 Livros. «1.ª EXPOSIÇÃO DE DESIGN PORTUGUÊS». Consultado em 14 de Novembro de 2011 
  6. «Contributo da fotogrametria para o inventário e conservação do património cultural arquitectónico». Bibliotecas Municipais do Porto. 1984. Consultado em 26 de março de 2015 
  7. Leonor Cabral Matos Silva (Maio de 2011). «Cultura arquitectónica em Lisboa» (PDF). pág. 52. Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa. 244 páginas. Consultado em 27 de março de 2015 
  8. «Biblioteca Sousa Franco / Autores» (PDF). pág. 106. Universidade Católica Portuguesa. Consultado em 27 de março de 2015 
  9. «Jornadas Europeias do Património / Conferência: "Raul Lino: A oposição ao Modernismo Futurista, as "Casas Portuguesas", A Torre de São Patrício-Casa Verdades de Faria e a sua Classificação"». Museu da Música Portuguesa. 2013. Consultado em 30 de março de 2015. Cópia arquivada em 30 de março de 2015 
  10. «Académicos existentes em 2013» (PDF). Academia Portuguesa de História. Consultado em 30 de março de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 30 de março de 2015 
  11. a b «Obras editatas pela ALA (Academia de Letras e Artes) / da autoria ou participadas pelos seus membros». Academia de Letras e Artes. Consultado em 30 de março de 2015. Cópia arquivada em 9 de Junho de 2013 
  12. «ICOMOS / História da Comissão Nacional Portuguesa» (PDF). Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional dos Monumentos e dos Sítios (ICOMOS). Maio de 2007. 4 páginas. Consultado em 1 de abril de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 13 de Março de 2011 
  13. In “Jornal de macau” e “tribuna de macau” 29.3.1990 (29 de Março de 2010). «Faculdade de Arquitectura e ICM assinam protocolo» (PDF). Jornal Tribuna de Macau (3421). Consultado em 4 de abril de 2015  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  14. «Retrato conjunto dos empresários Stanley Ho e Carlos Monjardino». Casa Comum da Fundação Mário Soares. Março de 1990. Consultado em 4 de abril de 2015 
  15. «Despacho 238/92, de 8 de Outubro». Indexador do Diário da República. 8 de Outubro de 1992. Consultado em 4 de abril de 2015. Cópia arquivada em 4 de abril de 2015 
  16. Agência LUSA (30 de Janeiro de 2006). «Mega Ferreira é o quarto presidente em 12 anos do CCB». Rádio e Televisão de Portugal. Consultado em 4 de abril de 2015. Cópia arquivada em 4 de abril de 2015 
  17. «Gabinete do Primeiro Ministro». pág. 2364. Diário da República II Série Nº 53. 4 de Março de 1993. Consultado em 22 de abril de 2015 
  18. «Gabinete do Primeiro Ministro». pág. 2365. Diário da República II Série Nº 53. 4 de Março de 1993. Consultado em 22 de abril de 2015 
  19. «Dia Nacional dos Centros Históricos Portugueses em Santarém». O Mirante (semanário). 28 de Março de 2013. Consultado em 30 de março de 2015. Cópia arquivada em 30 de março de 2015 
  20. «Binário». Revista Binário. Outubro de 1961. Consultado em 8 de março de 2015. Cópia arquivada em 8 de março de 2015 
  21. a b c d e f g h i j k l m n o p «A ciência fotogramétrica ao serviço do inventário e conservação do património arquitectónico e arqueológico». Universidade de Lisboa. Consultado em 16 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2015 
  22. «Prevenção e arquitectura». Google Livros. 66 páginas. Consultado em 1 de abril de 2015 
  23. «Mathias Ayres tratadista do "Problema de Architectura Civil" no séc. XVIII português». Biblioteca Nacional de PortugL. Consultado em 16 de fevereiro de 2015 
  24. «Tapada da Ajuda – O Palácio de Exposições» (PDF). Instituto Superior de Agronomia. 1987. Consultado em 16 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 16 de fevereiro de 2015 
  25. «Betão: a idade da descoberta». Google Livros. 170 páginas. Consultado em 1 de abril de 2015 
  26. «A reforma setecentista da Universidade e o ensino da arquitectura em Portugal no século XVIII». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 16 de fevereiro de 2015 
  27. «Valorizar e desenvolver as áreas de património classificado». DocBweb (Câmara Municipal de Lisboa). Consultado em 16 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2015 
  28. «A universidade e a ciência do património». DocbWeb. Consultado em 22 de abril de 2015 
  29. «O património mundial, a sociedade da ilusão da eternidade e o novo milénio». DocbWeb. Consultado em 22 de abril de 2015 
  30. «A casa da torre : reflexão em torno do primeiro solar português no Brasil». DocbWeb. Consultado em 6 de março de 2015 
  31. «Academia de Belas Artes : da fundação aos novos académicos». DocbWeb. Consultado em 22 de abril de 2015 
  32. a b «Basílica de Nossa Senhora dos Mártires e outras Igrejas do Chiado». Fundação Sousa Pedro. Consultado em 30 de março de 2015. Cópia arquivada em 8 de março de 2015 
  33. «Castelo da Mina: da fundação às representações iconográficas dos séculos XVI e XVII». Universidade de Évora (Biblioteca Geral). Consultado em 16 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2015 
  34. «Preto no branco». DocbWeb. Consultado em 22 de abril de 2015 
  35. «Breve tratado dos dias». Bibliotecas Municipais do Porto. 158 páginas. Consultado em 30 de março de 2015 
  36. «Prova de vida : súmula curricular, relação bibliográfica». DocbWeb. Consultado em 22 de abril de 2015 
  37. «Betão : a idade da descoberta». DocBweb. Consultado em 26 de março de 2015 
  38. «Recent Portuguese Publications Bulletin 61, Part VIII» (em inglês). Richard C. Ramer Old & Rare Books. Abril de 2008. Consultado em 30 de março de 2015. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2008