Castelo Gripsholm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Castelo de Gripsholm
Gripsholms slott
Gripsholm visto do porto de Mariefred
Estilo dominante Renascença
Arquiteto Henrik von Cöllen,
Fredrik Nussdorffer
Inauguração 1377
Proprietário atual Statens fastighetsverk
Website Página de Gripsholm
Geografia
País  Suécia
Cidade Mariefred

O Castelo de Gripsholm (sueco: Gripsholms slott) é um castelo em Mariefred, na província histórica da Södermanland, na Suécia, considerado como um dos melhores monumentos históricos da Suécia. Está localizado perto do Lago Mälaren no sul da região central da Suécia, no município de Strängnäs, a cerca de 60 km a oeste de Estocolmo.[1] [2]

História[editar | editar código-fonte]

O Castelo Gripsholm na Suécia.

A fortaleza foi construída no local no ano de 1377 por Bo Punho Jonsson, e pertencia à sua família até o confisco de mansões e castelos pelo rei Gustav Vasa em 1526. O rei rasgou-a para baixo, e construiu um castelo fortificado com torres de canto circular e uma parede, para fins defensivos. Da fortaleza medieval original, apenas a fachada de uma parede permanece.

Desde Gustav Vasa, Gripsholm pertenceu à Família Real Sueca e foi usado como residência até 1713. Entre 1563 e 1567, o rei Eric XIV foi preso com o seu irmão John e a sua consorte Catarina Jagiellon no castelo. Sigismundo, filho de João, mais tarde, o Rei da Polónia e da Suécia, nasceu no castelo a 20 de junho de 1566.

Anos Depois[editar | editar código-fonte]

A frente do castleo

O castelo foi novamente usado como prisão entre 1713 e 1773, antes de ter sido renovado pelo rei Gustav III, em nome de sua consorte Sophia Magdalena. Um teatro também foi adicionado numa das torres do momento.

Entre 1889 e 1894, o castelo passou por uma restruturação pesada e controversa pelo arquiteto Fredrik Lilljekvist durante o qual muitas das alterações do século XVII e 18 foram removidas. A maior mudança foi a construção de um terceiro andar, a demolição planeada de uma asa não ocorreu.

Agora o castelo é um museu que está aberto ao público, contendo quadros e obras de arte. Parte do castelo abriga a Coleção Nacional de Retratos (Statens porträttsamlingar), uma das mais antigas da coleção retrato do mundo.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ottosson, Mats; Åsa Ottosson (2008). «Södermanland». Upplev Sverige. En guide till upplevelser i hela landet (em sueco) (Estocolmo: Wahlström Widstrand). p. 340. ISBN 9789146215998. 
  2. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Gripsholm». Norstedts första svenska ordbok (em sueco) (Estocolmo: Norstedts ordbok). p. 219. ISBN 91-7227-186-8.