Child's Play

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Child's Play
Chucky, o Boneco Diabólico (PT)
Brinquedo Assassino (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
1988 •  cor •  87 min 
Direção Tom Holland
Roteiro Don Mancini
John Lafia
Tom Holland
Elenco Catherine Hicks
Chris Sarandon
Alex Vincent
Brad Dourif
Gênero Terror
Distribuição United Artists
(Lançamento Original)
Universal Pictures
(Direitos vendidos em 1990)
Lançamento Estados Unidos 9 de novembro de 1988
Brasil 29 de maio de 1989
Portugal 14 de julho de 1989
Idioma inglês
Orçamento US$ 9 milhões[1]
Receita US$ 44.196.684[2]
Cronologia
Último
Último
Child's Play 2
(1990)
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Child's Play (Brinquedo Assassino (título no Brasil) ou Chucky, o Boneco Diabólico (título em Portugal)) é um filme americano de terror de 1988 dirigido por Tom Holland. O filme foi lançado, nos Estados Unidos, em 9 de novembro de 1988. Ele foi recebido com sucesso moderado e desde então se transformou em clássico cult entre os fãs de filme de terror. Foi o único filme da série a ser lançado pela United Artists (em 1990 os direitos do filme foram vendidos a Universal). O filme trata da história de um boneco que ganha vida após um ritual vodu feito por um serial killer procurado pela polícia, e se torna um assassino. O serial Charles Lee Ray, ou simplesmente Chucky, deriva dos nomes dos notórios assassinos Charles Manson, Lee Harvey Oswald e James Earl Ray. Child's Play foi filmado em Chicago para as cenas externas. As cenas de estúdio foram gravadas na Sony Pictures Studios, em Culver City, na Califórnia.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Chicago, Illinois, na noite de 9 de novembro de 1988. Charles Lee Ray, o notório "Estrangulador de Lakeshore", está sendo perseguido pelo Detetive Mike Norris. Abandonado por seu parceiro de crimes Eddie Caputo, o assassino refugia-se numa loja de brinquedos, na qual é fatalmente atingido no coração por um tiro do policial. Mas antes de morrer, Charles utiliza seus conhecimentos de magia negra para realizar um ritual de vodu a fim de transferir seu espírito para um boneco da linha Good Guys, que estava na ocasião sendo promovido na TV. Durante o ritual, um raio atinge e destrói a loja, selando a transferência do espírito do psicopata para o boneco. No dia seguinte, em meio aos destroços da loja, o mesmo é achado por um mendigo, que o vende a Karen Barclay como presente de aniversário para seu filho de seis anos de idade, Andy Barclay. Vivendo agora como o boneco bonzinho, Charles descobre que precisa transferir sua alma do boneco para o corpo da primeira pessoa a quem revelou seu segredo, ou seja, Andy, a fim de ressuscitar ou ficará preso no boneco para sempre. Andy percebe que o boneco está vivo, mas a mãe do garoto e o Detetive Norris, que investiga os assassinatos, só passam a acreditar nele depois do boneco ter feito várias vítimas - dentre elas Maggie (amiga de Karen que concordou em cuidar de Andy por uma noite), Eddie Caputo (seu ex-parceiro de crime, morto em casa numa explosão provocada por Chucky), John "Dr. Death" Simonsen (seu ex-mentor de vodu, a quem Chucky mata via tortura de vodu), o médico Dr. Ardmore em um sanatório, entre outras.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Bilheteria e recepção[editar | editar código-fonte]

O filme foi produzido com um orçamento estimado em nove milhões de dólares. Quando lançado, em 9 de novembro de 1988 em 1.377 salas de cinema, teve faturamento de US$ 6.583.963 no primeiro final de semana. Ao total, o filme teve faturamento de US$ 33.244.684 nas bilheterias dos Estados Unidos e mais US$ 10.952.000 pelo mundo. Tendo faturamento mundial de US$ 44.196.684.[3]

Resenhas críticas foram geralmente positivas. Roger Ebert deu ao filme a nota de 3/4, chamando-o de "filme de terror alegremente energético".[4] O filme tem uma taxa de aprovação de 68% no site RottenTomatoes, com base em 28 avaliações (19 delas positivas nove negativas).[5]

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Ator / Atriz Personagem Descrição e notas do personagem
Alex Vincent Andy Barclay Garoto atormentado pelos assassinatos cometidos por Chucky e para quem o criminoso precisa transferir sua alma.
Catherine Hicks Karen Barclay Protagonista feminina; mãe de Andy, que visa ajudar a derrotar o boneco diabólico e salvar seu filho.
Chris Sarandon Detetive Mike Norris Protagonista masculino; policial civil responsável por investigar os crimes de Charles Lee Ray, matá-lo e ajudar Andy e Karen a destruir Chucky.
Brad Dourif Charles Lee Ray ("Estrangulador de Lakeshore") / Voz de Chucky Antagonista principal; transferiu sua alma para um boneco e tentou fazer o mesmo com Andy para assim voltar à vida.
Dinah Manoff Maggie Peterson Amiga de Karen e primeira vítima fatal de Chucky.
Tommy Swerdlow Jack Santos Parceiro policial de Mike e inimigo de Chucky.
Neil Giuntoli Eddie Caputo Ex-cúmplice de crimes de Chucky e segunda vítima fatal do mesmo.
Raymond Oliver John Simonsen ("Dr. Morte") Antigo mestre de vodu de Chucky e terceira vítima fatal do mesmo.
Jack Colvin Dr. Ardmore Médico psiquiatra da ala de criminosos insanos do hospital em que Andy foi colocado após as mortes de Maggie, Eddie e John. Quarta vítima fatal de Chucky.
Juan Ramírez Peddler Mendigo que acha e vende o boneco amaldiçoado a Karen.
Alan Wilder Sr. Criswell
Richard Baird Repórter
Tyler Hard Mona
Ted Liss George
Roslyn Alexander Lucy
Edan Gross Voz de Boneco Amigo

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Saturno 1990 (Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, EUA)

  • Venceu na categoria de melhor atriz (Catherine Hicks).
  • Indicado nas categorias de melhor filme de horror, melhor atuação de um ator jovem e melhor roteiro.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O nome de Chucky, Charles Lee Ray, é um derivado dos assassinos famosos Charles Manson, Lee Harvey e James Earl Ray.
  • Um slogan promocional de cinema tinha uma frase que dizia “Quando as pessoas têm pesadelos, sonham com Freddy, mas quando Freddy tem pesadelos, sonha com Chucky”.
  • Chucky, após esse primeiro filme, se converteu em um dos maiores assassinos da história do terror, ao lado de Freddy Krueger, Jason Voorhees e Michael Myers, segundo a maioria das críticas.
  • Foi o único filme da franquia a ser dublado no Rio de Janeiro, os filmes seguintes foram dublados em São Paulo.
  • Na dublagem brasileira os Good Guys Doll foram traduzidos como bonecos 'Cara Legal', porém nos filmes seguintes eles foram traduzidos como bonecos 'Bonzinho', isso se deve ao fato da troca de estúdio de dublagem sendo que o primeiro filme foi dublado no Rio de Janeiro pela extinta Hebert Richers, enquanto os filmes seguintes foram dublados em São Paulo.
  • Na cena original da morte da babá ela morre eletrocutada enquanto toma um banho. A cena foi usada mais tarde em A Noiva de Chucky.
  • No roteiro original, escrito por Don Mancini, o público imaginaria que o real autor dos assassinatos seria o menino Andy em vez do boneco. A ideia foi usada mais tarde por Kevin Tenney em Pinocchio's Revenge.
  • O trabalho de narração do Chucky, realizado por Brad Dourif, foi gravado com tanta antecedência que a equipe podia ajustar a boca do boneco em relação às palavras. Por causa disso, o narrador raramente aparecia no set de filmagens durante as cenas do brinquedo assassino.
  • O título provisório do filme, o qual originalmente em inglês se chama Child’s Play, era Blood Buddy (Amigo de Sangue, em tradução livre).
  • Na cena em que Chucky corre atrás de Maggie no corredor, Chucky foi na realidade interpretado pela irmã mais nova de Alex Vincent, o ator que faz o menino Andy no filme.
  • Em uma ideia que foi abandonada, Chucky se tornaria aos poucos cada vez mais humano enquanto Charles Lee Ray vivesse dentro do boneco. Começaria, por exemplo, a crescer barba no brinquedo.
  • Brad Dourif, o narrador do Chucky, corria ao redor do estúdio de gravação para fazer a voz exigida para o boneco em algumas cenas. Por isso ele ficava esgotado após cada gravação. Na verdade, ele quase desmaiou após fazer o grito do Chucky quando ele é queimado vivo.
  • Brinquedo Assassino foi rejeitado pelo estúdio MGM / United Artists após o primeiro filme. A Universal então comprou os direitos da franquia.
  • Catherine Hicks (Karen) e Kevin Yagher (o criador do Chucky) se conheceram no set de filmagens e se casaram um ano depois.
  • Howard Franklin contribuiu para o roteiro do filme, mas até hoje não teve o seu nome creditado ao final.
  • Em uma entrevista, Don Mancini disse que o roteiro de Brinquedo Assassino foi em um primeiro momento uma sátira das campanhas de propaganda marketing para as crianças, mas depois a ideia cedeu lugar a um filme de horror.
  • O filme foi lançado na mesma data, 9 de novembro de 1988, que a cena de abertura - na qual o serial killer Charles Lee Ray transfere sua alma para o boneco.
  • No enredo original, Andy corta a sua própria mão e faz um pacto de sangue com Chucky, o que transforma o boneco em humano.
  • Brinquedo Assassino traz uma ideia presente em outros filmes de Tom Holland: as pessoas veem coisas sobrenaturais, mas ninguém acredita nelas. Essa ideia pode ser vista em filmes como Scream for Help, Cloak & Dagger e Fright Night.
  • A loja de brinquedos na primeira cena do filme era na verdade um restaurante chinês que foi fechado em Chicago.
  • Don Mancini e John Lafia foram barrados do set após ameaçarem processar Tom Holland em uma disputa por créditos.
  • O filme foi produzido com um orçamento de 9 milhões de dólares e faturou mais de 33 milhões de dólares apenas nos Estados Unidos.
  • Foram criados nove modelos de bonecos, sendo um para cada tipo de movimento. Um por exemplo, que ficava em pé, outro que caminhava e aqueles que poderiam ser arremessados para as cenas de maior violência. Os movimentos dos bonecos eram acionados por controle remoto.
  • Andy foi o único papel promissor do ator Alex Vincent. Em 1993 Vincent atuou no filme “My Famile Treasure” e desde então desapareceu dos cinemas, em 2013 ele reprisa novamente seu papel de Andy Barclay na cena pós créditos de Curse of Chucky.
  • O diretor Tom Holland e o ator Chris Sarandon (Detetive Mike Norris) já haviam trabalhado juntos anteriormente em outro filme de terror de sucesso, chamado “Fright Night” (no Brasil, A Hora do Espanto), no qual Sarandon faz o papel de um vampiro.
  • O filme da saga em que há mais mortes é "A noiva de Chucky” com doze mortes. - No filme, Chucky nunca mata crianças, somente pessoas adultas.

Referências

  1. The Numbers - Child's Play (em inglês). Visitado em 14 de setembro de 2011.
  2. Child's Play no Box Office Mojo (em inglês) Box Office Mojo. Visitado em 14 de setembro de 2011.
  3. Bilheteria de Child's Play (em inglês) BoxOfficeMojo. Visitado em 22 de setembro de 2011.
  4. EBERT, Roger (9 de novembro de 1988). Crítica de Roger Ebert a Child's Play (em inglês) RogerEbert.com. Visitado em 22 de setembro de 2011.
  5. Child's Play no RottenTomatoes (em inglês) RottenTomatoes. Visitado em 22 de setembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]