Quem matou?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Quem matou?, Whodunnit ou Who Done It é um recurso narrativa típico da ficção, em especial na literatura e na teledramaturgia. Consiste, inicialmente, no assassinato de um dos personagens pertecentes à trama, desencadeando um procedimento investigativo acerca da identidade do responsável pela morte.

Na literatura[editar | editar código-fonte]

Na literatura o gênero Whodunnit também é bastante utilizado em romances policiais,[1] e há bastante tempo, um dos primeiros autores a explorar o gênero foi Edgar Allan Poe em Os Crimes da Rua Morgue, mas se tornou mais conhecido a cargo de autores como Arthur Conan Doyle com o detetive Sherlock Holmes, Agatha Christie com Hercule Poirot e Miss Marple, além de Georges Simenon com o Comissário Maigret e Stieg Larsson nos livros da Trilogia Millennium.

Na teledramaturgia[editar | editar código-fonte]

No final da década de 1960, durante a exibição da telenovela Véu de Noiva, o ator Geraldo Del Rey, intérprete do personagem Luciano, solicitou sua saída da produção. A escritora Janete Clair, nessa oportunidade, resolveu assassinar o personagem, lançando mão do artifício pela primeira vez de forma notória no Brasil[2]

Durante a exibição da telenovela O Astro, a mesma Janete Clair assassinou o personagem Salomão Ayala, e foi capaz de criar uma grande curiosidade dentre os telespectadores e aumentar os índices de audiência da produção. Na década de 1980, esse efeito foi reproduzido por Gilberto Braga, que tornaria-se o autor de telenovelas que mais tem feito uso do gênero. Em Água Viva (1980), Braga mobilizou o país com o quem matou Miguel Fragonard?, e em Vale Tudo (1988), com o quem matou Odete Roittman?,[3] [4] sendo o último exemplo a passagem que consagrou a expressão no Brasil.[carece de fontes?]

Também se destacou em Força de um Desejo (1999), de Gilberto Braga, o assassinato do Barão Henrique Sobral (Reginaldo Faria) no capítulo de número 155, fazendo com que o público perguntasse quem matou o Barão Henrique Sobral?, mistério que só foi solucionado no capítulo de número 226, o último da trama, exibido a 28 de janeiro de 2000. Em 2003, quem Matou Lineu Vasconcelos?, em Celebridade, também de Gilberto Braga, torna-se o grande mistério de toda a telenovela. Passione, de Sílvio de Abreu, apresenta a morte de Saulo (Werner Schünemann) como o maior mistério da novela: enquanto se desconfiava da personagem Estela (Maitê Proença), o assassino era, na verdade, a vilã Clara (Mariana Ximenes). Outros mistérios em morte nas telenovelas que pararam o país foi quem é o assassino? e o por que matou? em A Próxima Vitima de 1995, quem matou Camilo? em O Profeta de 2006, quem matou Estevão? em Cobras & Lagartos também de 2006, quem matou Norma Pimentel? em Insensato Coração também de 2011, quem matou Max? na novela Avenida Brasil de 2012, e recentemente quem matou Murilo? em Babilônia de 2015.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.