Chongqing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Chongqing
Símbolos de Cantão.
Símbolos de Cantão.
Chongqing está localizado em: China
Chongqing
Chongqing está localizado em: Chongqing
Chongqing
Mapa de Chongqing
Coordenadas 29° 33' N 106° 30' 25" E
País  China
Município Chongqing
Administração
- Prefeito Wen Guohui
Área
- Cidade 7.434,4[1]
População
 - Total 14 904 400
 - Urbana 11 547 491
 - Metrópole 25 000 000
Website english.gz.gov.cn

Chongqing (chinês tradicional:重慶 ; chinês simplificado: ; pinyin: Chóngqìng; Wade-Giles: Ch'ung-ch'ing) ou Xunquim é uma cidade importante no sudoeste da China. Administrativamente, é um dos quatro municípios sob administração direta do governo central da República Popular da China (os outros três são Pequim, Xangai e Tianjin) e o único município localizado longe da costa.[2] É a maior cidade do mundo.

Chongqing era um município durante a administração da República da China (ROC), servindo como sua capital de guerra durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa (1937-1945); durante esse período, Chongqing foi listado como um dos quatro centros de comando antifascista do mundo, junto com Washington, DC, Londres e Moscou.[3] O município atual foi recriado em 14 de março de 1997 para ajudar a desenvolver as partes central e ocidental da China.[4] O município administrativo de Chongqing tem uma população de mais de 30 milhões de habitantes, distribuídos por uma área do tamanho da Áustria.[5]

A cidade de Chongqing, composta por 9 distritos urbanos e suburbanos, tem uma população de 8.518.000 habitantes em 2016. De acordo com o censo de 2010, Chongqing é o mais populoso município chinês[6] e também o maior município diretamente controlado na China, contendo 26 distritos, oito municípios e quatro distritos autônomos.

A abreviação oficial da cidade, "" (), foi aprovada pelo Conselho de Estado em 18 de abril de 1997.[7] Esta abreviação é derivada do nome antigo de uma parte do rio Jialing que atravessa Chongqing e alimenta o rio Yangtze. Chongqing tem uma história e cultura significativas e, sendo uma das cidades centrais nacionais da China, serve como centro econômico da bacia do Yangtze. É um importante centro de fabricação e de transportes; um relatório de julho de 2012 da The Economist a descreveu como uma das "13 megalópoles emergentes da China".[8]

História[editar | editar código-fonte]

Chongqing em 1944.

A cidade de Chongqing foi a capital do Reino Ba, antigo povo que desapareceu há cerca de 2500 anos. Por estar longe da Rota da Seda, a cidade perdeu sua importância até o século XIX quando as potências estrangeiras com interesses na China solicitaram que a cidade fosse aberta aos estrangeiros.

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 1901, criou-se uma colônia japonesa na cidade. Em 1938, Chongqing se transformou na capital provisória da China Nacionalista durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa, depois da queda de Nanquim. Chongqing foi gravemente bombardeada pelas tropas japonesas durante esse período, mas resistiu devido, em parte, a bravura do povo, e em parte ao terreno montanhoso que a rodeava. Devido a ter virado a capital, muitas fábricas e universidades do leste da China foram movidas para a cidade, além de parte da população em retirada se situar na nova capital, isso fez, em poucos anos, a população passar de 200 mil habitantes para mais de um milhão. O governo de Chiang Kai-shek fugiu de Chongqing em 1949 após a derrota na Guerra Civil Chinesa.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Imagem aérea de Chongqing

Chongqing está situada numa península sobre o rio Yang-tsé, no centro do país, cercada por altas montanhas. Limita-se com as pronvíncias de Hubei, Henan, Guizhou, Shaanxi e Sichuan. A cidade está localizada numa região com muitas colinas. Por isso, é de umas cidades chinesas com menor número de bicicletas por habitante.

Clima[editar | editar código-fonte]

A cidade tem clima subtropical de monções, característico do sul da Ásia. Os invernos são moderadamente frios, com temperaturas oscilando entre 0 °C e 15 °C (não há neve) e os verões são extremamente quentes, cujas temperaturas freqüentemente ultrapassam os 40 °C, daí ser considerada um dos "fornos" da China. Durante boa parte do ano, Chongqing é rodeada por uma densa e espessa neblina, daí também ser conhecida por "cidade das névoas".

Demografia[editar | editar código-fonte]

Os arranha-céus da cidade ao pôr do sol.

Segundo um artigo de julho de 2010 da agência de notícias oficial Xinhua, o município tem uma população de 32,8 milhões, incluindo 23,3 milhões de agricultores. Entre eles, 8,4 milhões de agricultores tornaram-se trabalhadores migrantes, incluindo 3,9 milhões que trabalham e vivem nas áreas urbanas de Chongqing.[9] A área metropolitana que abrange a área urbana central foi estimada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) como tendo, em 2010, uma população de 17 milhões.[10][11]

Isso significaria que os agricultores registrados localmente, mas que trabalham em outras jurisdições, totalizam 4,5 milhões, reduzindo assim a população local de Chongqing em 2010 para 28,3 milhões, além daqueles registrados em outras jurisdições, mas que vivem e trabalham em Chongqing. De acordo com o anuário estatístico da China em 2005, de uma população total de 30,55 milhões, aqueles com residência registrada em outras jurisdições, mas que moram Chongqing, totalizaram 1,4 milhão, incluindo 46.000 que residiam em Chongqing "por menos de meio ano". Outros 83.000 se registraram na cidade, mas ainda não se estabeleceram lá.[12]

O anuário estatístico de 2005 também lista 15,22 milhões (49,82%) do sexo masculino e 15,33 milhões (50,18%) do sexo feminino.[12] Em termos de distribuição etária em 2004, da população total de 30,55 milhões, 6,4 milhões (20,88%) tinham entre 0 e 14 anos, 20,7 milhões (67,69%) entre 15 e 64 anos e 3,5 milhões (11,46%) tinham 65 anos ou mais.[13]

De um total de 10.470.000 domicílios (2004), 1.360.000 consistiam em uma pessoa, 2.940.000 em duas pessoas, 3.190.000 em três pessoas, 1.790.000 em quatro pessoas, 783.000 em cinco pessoas, 270.000 em seis pessoas, 89.000 em sete pessoas, 28.000 em oito pessoas, 6.000 em nove pessoas e 10.000 em famílias com 10 ou mais pessoas.[14]

Panorama da cidade à noite a partir do Parque Eling.

Religião[editar | editar código-fonte]

Templo budista no distrito de Jiulongpo.

As religiões predominantes em Chongqing são as religiões chinesas, as tradições taoístas e o budismo chinês. De acordo com pesquisas realizadas em 2007 e 2009, 26,63% da população acredita e está envolvida em cultos de antepassados, enquanto 1,05% da população se identifica como cristã.[15]

Os relatórios não deram números para outros tipos de religião; 72,32% da população pode ser irreligiosa ou envolvida no culto a divindades da natureza, budismo, confucionismo, taoísmo e crenças populares chinesas.[15]

Política[editar | editar código-fonte]

Grande Salão do Povo de Chongqing

Cidades irmãs[editar | editar código-fonte]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Divisões administrativas de Chongqing

Economia[editar | editar código-fonte]

Centro financeiro de Chongqing.

Chongqing é uma cidade com muitos mananciais de água mineral. Também tem grandes depósitos de carbono, gás natural, alumínio, estrôncio, mármore e mercúrio. Entre as indústrias do município, destacam-se as indústrias de maquinaria, química, petroquímica, farmacêutica e metalúrgica. Existem também várias propriedades agrícolas particulares. Os principais produtos são os cereais, a laranja, o tabaco e a seda.

Chongqing foi separada da província de Sichuan e transformada em município em 14 de março de 1997,[16] a fim de acelerar seu desenvolvimento e, posteriormente, as áreas ocidentais relativamente mais pobres da China.[17] Uma importante área industrial no oeste da China,[18] Chongqing também está se urbanizando rapidamente. Estatísticas sugerem que a nova construção adicionou aproximadamente 137.000 metros quadrados de espaço útil diariamente para atender às demandas de residências, comércios e fábricas. Além disso, mais de 1.300 pessoas se mudam para a cidade diariamente, adicionando quase 100 milhões de yuans (15 milhões de dólares) à economia local.[19]

Tradicionalmente, devido ao seu afastamento geográfico, Chongqing e Sichuan têm sido importantes bases militares na pesquisa e desenvolvimento de armas.[20] Chongqing é o terceiro maior centro chinês para produção de veículos a motor e o maior para motocicletas. Em 2007, tinha uma capacidade de produção anual de 1 milhão de carros e 8,6 milhões de motocicletas.[21]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Grande Teatro de Chongqing

Como capital provisória da China por quase dez anos (1937 a 1945), a cidade também era conhecida como uma das três sedes dos Aliados durante a Segunda Guerra Mundial, além de ser um centro estratégico de muitas outras guerras ao longo da história da China. Chongqing tem muitos edifícios ou locais históricos de época de guerra, alguns dos quais foram destruídos desde então. Esses locais incluem o "Monumento da Libertação do Povo", localizado no centro da cidade. Era o edifício mais alto da região, mas agora é cercado e diminuído por inúmeros centros comerciais. Originalmente chamado de "Monumento à Vitória sobre os Exércitos do Eixo", é o único edifício na China para esse fim.[22] Hoje, o monumento serve como um símbolo para a cidade. O Museu General Joseph W. Stilwell, dedicado ao general da Segunda Guerra Mundial Joseph Stilwell,[23] o cemitério da força aérea na área de Nanshan, em memória aos membros da força aérea mortos durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa (1937-1945), e o Museu da Pedra Vermelha, um local diplomático para o Partido Comunista da China em Chongqing, liderado por Zhou Enlai durante a Segunda Guerra, e o Jardim Cassia, onde Mao Zedong assinou o "Acordo de Paz Duplo 10 (10 de outubro)" com o Kuomintang em 1945.[24]

Panorama do centro financeiro da cidade à noite.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Estação Liziba do Metrô de Chongqing.
Ponte Caiyuanba

Desde sua elevação a município em 1997, a cidade expandiu drasticamente sua infraestrutura de transporte. Com a construção de ferrovias e vias expressas para o leste e sudeste, Chongqing é um importante centro de transporte no sudoeste da China. Em outubro de 2014, o município tinha 31 pontes sobre o rio Yangtze, incluindo mais de uma dúzia no núcleo urbano da cidade.[25] Além das duas primeiras pontes da cidade, que foram construídas, respectivamente, em 1960 e 1977, todas as outras pontes foram concluídas desde 1995. Chongqing também é um dos portos mais importantes da China. Existem inúmeros navios de cruzeiro de luxo que terminam em Chongqing, navegando rio abaixo ao longo do rio Yangtze até Yichang, Wuhan, Nanjing ou mesmo Xangai.[26]

Tradicionalmente, a rede de rodovias em Chongqing é estreita, sinuosa e limitada a veículos menores por causa da topografia, dos grandes rios e da enorme demanda da população na área, especialmente no distrito de Yuzhong. Em outros lugares, como Jiangbei, grandes áreas de casas e edifícios foram recentemente limpas para melhorar a rede de estradas e criar um melhor planejamento urbano. Muitos túneis e grandes pontes foram construídas em toda a cidade. A construção de muitas vias expressas conectou Chongqing às províncias vizinhas. Várias estradas circulares também foram construídas. O terreno montanhoso natural da cidade dificulta a construção de muitos projetos de estradas, o que levou à criação de algumas das pontes rodoviárias mais altas do mundo.[27] Ao contrário de muitas outras cidades chinesas, é raro ver motos, scooters elétricos ou bicicletas nas estradas de Chongqing, por conta da natureza extremamente montanhosa da região. No entanto, apesar disso, a cidade é um grande centro de fabricação para esses tipos de veículos.[28]

O principal aeroporto de Chongqing é o Aeroporto Internacional de Chongqing Jiangbei. Está localizado no distrito de Yubei. O aeroporto oferece uma crescente rede de vôos diretos para toda a China, Sudeste Asiático, Oriente Médio, América do Norte e Europa. Está localizado a 21 km ao norte do centro da cidade e serve como um importante centro de aviação para o sudoeste da China. Existem outros dois aeroportos no município: o Aeroporto Qianjiang Wulingshan e o Aeroporto Wanzhou Wuqiao. Ambos são aeroportos menores e servem voos de passageiros para alguns destinos domésticos, incluindo Pequim, Xangai e Kunming.[29]

O transporte público consiste em metrô, ferrovia interurbana, um sistema de ônibus onipresente e a maior rede de monotrilhos do mundo. De acordo com o ambicioso plano do governo municipal de maio de 2007, Chongqing investindo 150 bilhões de RMB ao longo de 13 anos para concluir um sistema que combina linhas de metrô subterrâneo com monotrilho pesado (chamado 'trilho leve' na China). Em 2017, cinco linhas de metrô: a Linha 1 de 14 km (8,7 milhas), um metrô convencional; o monotrilho pesado de 19 km da Linha 2 (até a Fase II); a Linha 3, um monotrilho pesado que conecta o aeroporto e a parte sul do centro da cidade; a Linha 5, aberta no final de 2017; e a Linha 6 que passa entre Beibei, uma cidade suburbana no extremo norte.[30][31]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. 土地面积、人口密度(2008年). Statistics Bureau of Guangzhou. Consultado em 8 de fevereiro de 2010. Cópia arquivada (PDF) em 23 de março de 2015 
  2. «China's Direct-Controlled Municipalities». Geography.about.com. 14 de março de 1997. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 
  3. «World War II remains». www.chinesetoday.com. Consultado em 29 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 29 de dezembro de 2018 
  4. «Archived copy» 关于提请审议设立重庆直辖市的议案的说明_中国人大网 [Explanation on the proposal to consider the establishment of a municipality directly under the Central Government of China]. www.npc.gov.cn. Consultado em 29 de julho de 2018. Cópia arquivada em 17 de maio de 2016 
  5. Alexander, Ruth (29 de janeiro de 2012). «Which is the world's biggest city?». BBC News. Consultado em 31 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2018 
  6. «Archived copy» 最新中国城市人口数量排名(根据2010年第六次人口普查). www.elivecity.cn. 2012. Consultado em 28 de maio de 2014. Cópia arquivada em 3 de março de 2015 
  7. «Chongqing's Official Abbreviation». English.cri.cn. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  8. «EIU Report» (PDF). Eiu.com. Cópia arquivada em 17 de dezembro de 2015 
  9. «China's Chongqing starts household registration reform». Xinhua News. 2 de julho de 2010. Consultado em 12 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2010 
  10. CNBC.com, Justina Crabtree; special to (20 de setembro de 2016). «A tale of megacities: China's largest metropolises». CNBC. Consultado em 8 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 9 de dezembro de 2017. slide 8 
  11. OECD Urban Policy Reviews: China 2015, OECD READ edition. OECD iLibrary. Col: OECD Urban Policy Reviews (em inglês). [S.l.]: OCDE. 18 de abril de 2015. p. 37. ISBN 9789264230033. ISSN 2306-9341. doi:10.1787/9789264230040-en. Consultado em 8 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de março de 2017 Linked from the OECD here Arquivado em 9 de dezembro de 2017 no Wayback Machine.
  12. a b «Residence Status of Population by Region and Sex (2004)». National Bureau of Statistics of China, in allcountries.org. 2005. Consultado em 12 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2010 
  13. «Age Composition and Dependency Ratio of Population by Region (2004)». National Bureau of Statistics of China, in allcountries.org. 2005. Consultado em 12 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2010 
  14. «Number and Size of Family Households by Region (2004)». National Bureau of Statistics of China, in allcountries.org. 2005. Consultado em 12 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2010 
  15. a b China General Social Survey 2009, Chinese Spiritual Life Survey (CSLS) 2007. Report by: Xiuhua Wang (2015, p. 15) Arquivado em 25 de setembro de 2015 no Wayback Machine.
  16. Chinese vice premier urges Chongqing to become economic engine for western regions Arquivado em 4 de março de 2016[Erro data trocada] no Wayback Machine. – Embassy of the People's Republic of China in Australia – retrieved 2009-01-31.
  17. China urges reform, development of Chongqing municipality Arquivado em 23 de agosto de 2013 no Wayback Machine. – Xinhua News Agency – retrieved 2009-01-31.
  18. «Market Profiles on Chinese Cities and Provinces (hktdc.com)». Tdctrade.com. Consultado em 14 de março de 2011. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2006 
  19. "Wikinomics: How Mass Collaboration Changes Everything," Don Tapscott and Anthony D. Williams, Penguin, p. 218, 2006.
  20. Chongqing Municipality(重慶市) Arquivado em 7 de março de 2016 no Wayback Machine. – The Australia-China Chamber of Commerce and Industry of New South Wales – retrieved 2009-01-31.
  21. Critical Eye on Chongqing – Pillar of the West Arquivado em 6 de abril de 2016 no Wayback Machine. – China Business Review – retrieved 2009-01-31.
  22. «People's Liberation Monument». Chongqingwomen.com. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2013 
  23. «General Joseph Stillwell Museum». Travelchinaguide.com. 17 de maio de 1944. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 15 de abril de 2012 
  24. «Red Rock Village Museum». Beijingfeeling.com. 15 de setembro de 2013. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 23 de junho de 2011 
  25. Chongqing Urban Bridges Arquivado em 12 de maio de 2013 no Wayback Machine.
  26. Chongqing's Cruise Industry
  27. Black, Simon (12 de julho de 2011). «Chongqing: World's Largest Construction Project». Articles.businessinsider.com. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2013 
  28. Bicycles rare in Chongqing Arquivado em 12 de outubro de 2012[Erro data trocada] no Wayback Machine.
  29. «CJIA Stats». Theairdb.com. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 13 de maio de 2012 
  30. «Line 2 & 1». English.cqnews.net. 15 de dezembro de 2009. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2012 
  31. «Planning of Chongqing Line 6». Cn.siemens.com. 30 de dezembro de 2010. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Chongqing
  • Media relacionados com Chongqing no Wikimedia Commons