Clara Ferreira Alves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Clara Ferreira Alves
Nome completo Maria Clara Ferreira Alves
Nascimento 2 de agosto de 1956 (60 anos)
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Jornalista e escritora

Maria Clara Ferreira Alves (2 de agosto de 1956)[1] é uma jornalista e escritora portuguesa.[2]

Licenciada em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, abandonou o estágio de advocacia para se tornar jornalista.

Começou na redação de A Tarde, dirigido por Nuno Rocha, passando em seguida pelo[2]Correio da Manhã[2] e pelo Jornal de Letras.[2] Posteriormente foi redatora principal, editora e crítica literária no Expresso, além de cronista na sua revista, a Única, onde assinou a coluna Pluma caprichosa. Também foi cronista na revista Máxima, no jornal online Diário Digital e na rádio TSF.

Entre 2000 e 2004 foi directora da Casa Fernando Pessoa, onde refundou a revista Tabacaria, que dirigiu.

Em 2004 recusou publicamente o cargo de directora do Diário de Notícias.

Foi membro do Conselho Diretivo do Centro Cultural de Belém.

Na televisão, participou nos programas O Senhor que se Segue, na SIC, foi co-autora dos programas Figuras de Estilo, com Vasco Graça Moura e Falatório, ambos na RTP2, e de O Caminho Faz-se Caminhando, com Mário Soares, na RTP1. É comentadora no programa de opinião política O Eixo do Mal, na SIC Notícias, e no programa O Que Fica do que Passa, no Canal Q.

Publicou os livros Pluma Caprichosa[3], Passageiro Assediado, em co-autoria com Fernando Calhau[3], Mala de Senhora e Outras Histórias[3], Estado de Guerra e Pai Nosso.

É membro do júri do Prémio Pessoa e do German Marshall Fund em Portugal, e ainda do Conselho Geral da Universidade de Coimbra.

Em Junho de 2011, foi convidada para uma reunião do Clube de Bilderberg.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Passageiro Assediado (2000);
  • A Pluma Caprichosa (2001);
  • Mala de Senhora e Outras Histórias (2004);
  • Estado de Guerra (2012);
  • Pai Nosso (2015);

Referências

  1. «“A guerra já cá está. Está no meio de nós” - Entrevista a Clara Ferreira Alves». Expresso. Consultado em 26 de dezembro de 2015. 
  2. a b c d «Clara Ferreira Alves». Pt.eravo.com. Consultado em 15 de abril de 2012. 
  3. a b c «Autores». Grupo Porto Editora. Wook.pt. Consultado em 15 de abril de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.