Diocese de Tenerife

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Logotipo
Localização da Diocese de Tenerife

A Diocese de Tenerife (também conhecida como Diocese Nivariense ou Diocese de San Cristóbal de La Laguna) está localizada na cidade de San Cristóbal de La Laguna (Tenerife, Espanha) e inclui as ilhas da província de Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias). É dependente da Arquidiocese de Sevilha.

História[editar | editar código-fonte]

La Cueva de Chinguaro em Tenerife foi o primeiro lugar onde aborígenes Guanches adorado a Virgem da Candelária eo primeiro santuário aborígene que continha uma imagem cristã nas Ilhas Canárias.

A chegada do Cristianismo às ilhas ocidentais das Canárias teve lugar (como nas ilhas orientais), antes da conquista completa do arquipélago e da sua incorporação no Coroa de Castela realizada em 1496 com a conquista da ilha de Tenerife. La Cristianização foi motivado, basicamente, como preparação para a conquista subsequente.[1]

Os frades missionários normandos (e, em seguida, catalão e maiorquino especialmente franciscanos e dominicanos) que se estabeleceram nas ilhas orientais onde até mesmo fundaram bispados e de onde começaram a evangelizar as ilhas ocidentais.[1] Estes, (como irá acontecer mais tarde na América) acompanharam os conquistadores em sua missão de converter e catequizar os indígenas guanches, que, como outros povos antigos tinham sua própria religião. Talvez a este respeito, salienta a cristianização realizado entre as luvas pelo monge e missionário Fray Alfonso de Bolaños, apelidado de o "Apóstolo de Tenerife", cerca de 30 anos antes da conquista do mesma.

A presença de elementos cristãos nas ilhas ocidentais do arquipélago das Canárias, no período antes da conquista é um fato palpável, exemplo disso é a presença em duas destas ilhas de imagens da Virgem Maria que foram reverenciados pelos aborígenes como Nossa Senhora da Candelária em Tenerife, (que a padroeira das Ilhas Canárias) e Nossa Senhora das Neves em La Palma.[1]

A origem da criação de uma diocese com sede em Tenerife foi formulada pela primeira vez desde pouco depois da conquista das Ilhas Canárias, que era o mesmo Alonso Fernández de Lugo (conquistador de Tenerife), em 1513 pediu aos Cortes para a ilha de Tenerife teve uma Sé episcopal pedindo para que ele se mova a sede diocesana Ilhas Canárias de Las Palmas de Gran Canaria para San Cristóbal de La Laguna[2] No entanto, esta ideia não prosperou.

Don Cristóbal Bencomo y Rodríguez. Confessor do rei Fernando VII de Espanha e arcebispo de Heraclea. Foi o grande promotor da criação da diocese de San Cristóbal de La Laguna.

Pouco tempo depois, após a conquista das Ilhas Canárias, Tenerife tornou-se rapidamente a ilha mais povoada do arquipélago e San Cristóbal de La Laguna, na cidade mais importante nas Canárias.[3] Fernández de Lugo, que recebeu o título de "Primer Adelandado de Canarias" pelos reis da Espanha, portanto, desejava elevar o grau eclesiástico da cidade de San Cristóbal de La Laguna, uma cidade que ele fundou e onde ele colocou a sua residência.

Naquela época, ele ainda estava fresca a transferência do bispado para a cidade de Las Palmas, que inicialmente foi baseada em San Marcial del Rubicín no sul da ilha de Lanzarote (por este ser a primeira ilha conquistados). No entanto, a ideia de mover o bispado de La Laguna sem êxito.

Logo depois, ele tentou compartilhar as sedes diocesanas entre Las Palmas e La Laguna, mas essa ideia não prosperou. Posteriormente, os pedidos de criação de uma diocese estados que a sua competência deve abranger as ilhas ocidentais das Canárias em várias ocasiões durante os próximos três séculos. A ideia não prosperou pela oposição do bispo de Gran Canaria (único bispo das Ilhas Canárias na época).[2]

Nos séculos XVI, XVII e XVIII, haverá um boom de vida contemplativa e religiosa. É neste momento em que nasceram em Tenerife nos dois santos canários: Pedro de Betancur e José de Anchieta. Que são considerados dois dos maiores missionários que existiram nas Américas. Outra personalidade religiosa proeminente também nasceu neste momento é o religosa supostamente St. Irmã María de León Bello y Delgado (La Siervita), cujo corpo permanece incorrupto.

Em 1818, o clero e autoridades em Tenerife novamente solicitada a criação da diocese à Santa Sé (desta vez com o apoio do rei Fernando VII de Espanha), que teve uma resposta positiva do Papa.[4] Neste papel que desempenhou um importante papel padre harrier Cristóbal Bencomo y Rodríguez, confessor do rei Fernando VII[5] e Arcebispo titular de Heraclea.[5]

Entre fevereiro e dezembro 1819, que estabelece a diocese, como era antigamente a Diocese Canariensis-Rubicensis que durou todo o arquipélago. Após várias tentativas infrutíferas de nomear um bispo é nomeado D. Macías e Infante e 1877.[2]

A diocese formada pelas ilhas de La Palma, La Gomera, El Hierro e Tenerife.

O atual bispo, 12º da diocese de San Cristóbal de La Laguna é Dom Bernardo Álvarez Afonso. A diocese tem cerca de 892 mil batizados em 2014. É também a diocese das Canárias tem tanto mais padres (255), como diáconos permanentes (6) e das paróquias (312).[6]

Santos padroeiros[editar | editar código-fonte]

A santa padroeira da diocese de San Cristóbal de La Laguna é a Nossa Senhora dos Remédios.[7] Os padrões menores são: São Fernando III de Leão e Castela e Santa Isabel de Portugal.[7] Enquanto isso, a Nossa Senhora da Candelária (também venerada nesta diocese), é a padroeira das Ilhas Canárias.[8]

Grandes igrejas[editar | editar código-fonte]

Lista de Bispos[editar | editar código-fonte]

Santos e beatos da diocese[editar | editar código-fonte]

A Diocese de Tenerife tem santos, beatos e veneráveis de grande devoção popular, dentre os quais:

Santos:

Beatos:

  • Mártires de Tazacorte também conhecidos como Mártires do Brasil. De diferentes partes de Portugal e Espanha - (falecido em 1570). Frades e missionários martirizados largo da costa de La Palma, ilha onde eles gostam de grande veneração especialmente em Tazacorte, embora nenhum deles foi devidamente do Canárias, eles foram incluídos entre os beatos do arquipélago.

Veneráveis e ​​Servos de Deus:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]