DirecTV Latin America

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde março de 2016). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
DirecTV Latin America
Razão social DirecTV Latin America, LLC
Tipo Subsidiária
Indústria Telecomunicações
Fundação 25 de junho de 1996 (1996-06-25)
Proprietário(s) DirecTV
Produtos
Subsidiárias
  • DirecTV Argentina
  • DirecTV Caribe
  • DirecTV Chile
  • DirecTV Colômbia
  • DirecTV Equador
  • DirecTV Peru
  • DirecTV Porto Rico
  • DirecTV Venezuela
  • Sky Brasil
  • Sky México
Website oficial directvla.com

DirecTV Latin America é uma empresa norte-americana de televisão por assinatura via satélite pelo sistema direct-to-home. A empresa é uma subsidiária da DirecTV e controla as suas operações na América Latina.[1][2] A atual controladora da DirecTV e, consequentemente, da sua subsidiária na América Latina é a empresa de telecomunicações norte-americana AT&T, que comprou a empresa em 2015.[3][4]

História[editar | editar código-fonte]

Um decodificador usado pela DirecTV na Colômbia.

México[editar | editar código-fonte]

Um decodificador da DirecTV usando a marca Sky no México.
Ver artigo principal: Sky México

A Sky México é uma empresa de televisão por assinatura fundada em 1996 através de uma parceria entre a News Corporation, Liberty Media e Televisa. Os proprietário atualmente são a Televisa (58,7%) e a DirecTV Latin America (41,3%).

Argentina[editar | editar código-fonte]

A Sky Argentina foi uma empresa de televisão por assinatura começou suas operações em novembro de 2000. Encerrou as atividades no dia 10 de julho de 2002, devido à situação econômica do país. A empresa investiu mais de 120 milhões de dólares desde que iniciou sua transmissão, mas devido à crise econômica que Argentina enfrentou, ao fato que a mesma tem tido em seus custos, somado às severas dificuldades de planejar ações futuras devido a instabilidade economica do país, a empresa decidiu fechar suas operações.

Começou suas operações em novembro de 2000 e deixou de operar em 10 de julho de 2002 devido a crise econômica de 2001. Desde o início, investiu mais de 150 milhões de pesos. Atualmente, o único operador de televisão por satélite é a DirecTV.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Uma mini-antena parabólica usada para recepção do serviço da Sky, subsidiária da DirecTV no Brasil.
Uma outra mini-antena parabólica da DirecTV, usada em sua operação na Colômbia.
Ver artigo principal: Sky Brasil

Lançada em 30 de outubro de 1996, a Sky foi uma das primeiras empresas de televisão por assinatura via satélite do Brasil, usando o sistema de televisão digital no DTH.[5][6] Dez anos mais tarde, em 2006, é concluída a maior fusão do setor com a DirecTV Brasil, até então sua maior concorrente.[7] A News Corporation, sócia da Sky, tinha comprado 35% das ações da DirecTV em 2004.[8][9] Anteriormente, em 2002, a Globo vendeu parte de sua participação na Sky para a News Corporation, fazendo com que esta assumisse o seu controle.[10][11][12] A DirecTV Latin America possui cerca de 94,6% do capital da empresa.[13]

Colômbia[editar | editar código-fonte]

Foi iniciada em 1991, entrou em operação Sky Colombia SA, que forneceu um serviço de televisão por assinatura, com grande qualidade de som e imagem, os custos caríssimos atingia apenas a população classe média alta, em 1996 terminou o ano com perdas profundas financeiras, o que comprometeu o seu funcionamento, e resultou em várias demissões na empresa, bem como o encerramento de vários estabelecimentos, até que em 1999 e 2000 devido a crise econômica vendeu suas ações para DirecTV Group.

Chile[editar | editar código-fonte]

A Sky Chile foi inaugurada em 1997, com transmissões de jogos esportivos em pay-per-view . Em 2003 perdeu a direitos de transmissão para o campeonato Campeonato Chileno de Futebol e entrou com pedido de falência. Em 2006 foi vendida para a The DirecTV Group, os assinantes passaram a ser clientes DirecTV com a chegada de concorrentes como Telmex TV e Telefónica TV Digital milhares de seus clientes migraram para essas empresas que oferecem custos mais baixos.

América Central e Caribe[editar | editar código-fonte]

Em meados dos anos 2007, A DirecTV através da Sky México tem expandido serviços de tv paga via satélite para América Central, Caribe e a países como a Costa Rica, República Dominicana, Nicarágua, Guatemala, Panamá, El Salvador e Honduras. Em cada país passa seus respectivos canais nacionais. Possivelmente a entrada no mercado de Porto Rico com a aquisição ativa da DirecTV para a Liberty Media.

O grupo mexicano Innova, a empresa assumiu o controle da DirecTV Panamá e outros países latino-americanos, para prestar serviço de TV via satélite.

Embora os detalhes da transação são mantidos em segredo, os relatórios citados pela imprensa informa que irá substituir a marca Sky pela marca DirecTV, com mais de 11 anos de presença no mercado local de televisão por assinatura.

Innova, que pertence a rede mexicana Televisa é o acionista maioritário, vai oferecer o mesmo número de canais, com preços baseados nos planos aprovados.

Referências

  1. «Company Profile». DirecTV. Consultado em 3 de março de 2016 
  2. «Company Overview of DIRECTV Latin America, LLC». Bloomberg. Consultado em 3 de março de 2016 
  3. «AT&T fecha a compra da DirecTV por US$ 49 bilhões». Veja. 24 de julho de 2015. Consultado em 18 de junho de 2016 
  4. «FCC aprova a compra da Sky/DirecTV. Agora, a AT&T vai ter que resolver o Brasil». TeleSíntese. 24 de julho de 2015. Consultado em 18 de junho de 2016 
  5. «Quem Somos». Sky Brasil. Consultado em 18 de junho de 2016 
  6. «Globo lança TV paga por miniparabólicas». Mercados. Folha de S.Paulo. 31 de outubro de 1996. Consultado em 18 de junho de 2016 
  7. Agência Estado (25 de agosto de 2006). «Sky e DirecTV concluem fusão de negócios no Brasil». G1. Globo.com. Consultado em 18 de junho de 2016 
  8. John Lippman; Andy Pasztor (9 de abril de 2003). «News Corp. Nears $6 Billion Deal For Control of Hughes Electronics» (em inglês). The Wall Street Journal. Consultado em 18 de junho de 2016 
  9. Ben Rooney (16 de julho de 2014). «5 businesses Rupert Murdoch loved and lost». CNNMoney (em inglês). CNN. Consultado em 18 de junho de 2016 
  10. Samuel Possebon (31 de julho de 2002). «News Corp. assume controle da Sky no Brasil». Tela Viva. Consultado em 18 de junho de 2016 
  11. Taís Fuoco (7 de outubro de 2013). «News conclui negociação com Globo na Sky; sócios estudam novo aporte». Valor Econômico. Consultado em 18 de junho de 2016 
  12. Mauricio Araújo (22 de fevereiro de 2016). «2002: News Corporation assume o controle da SKY no Brasil». TV Magazine. Consultado em 18 de junho de 2016 
  13. «Sky Brasil Serviços Ltda.». Junta Comercial do Estado de São Paulo. Consultado em 18 de junho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]