Domingos Dias Coelho e Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Domingos Dias Coelho e Melo,[1] primeiro e único barão de Itaporanga (Sergipe, c. 1785Sergipe, 11 de abril de 1874) foi um nobre brasileiro e grande proprietário de terras em Sergipe.

Foi membro da junta governativa sergipana de 1822-1824.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Domingos Dias Coelho e Melo e de Maria Teresa de Jesus, casou-se com Maria Micaela Dantas e Melo, e teve como filhos Antônio Dias Coelho e Mello (o Barão de Estância), Francisco Dias Coelho e Mello, e Maria Luisa Viana Basto. Senhor de Engenho proeminente desde o século XVIII, foi membro da primeira junta governativa de Sergipe, leal à Independência em 1822, descende diretamente de Diogo da Rocha e Sá, sobrinho de Mem de Sá, terceiro Governador-Geral do Brasil, e primo de Estácio de Sá, fundador do Rio de Janeiro em 1565, também sobrinho de Mem de Sá, os quais chegaram à Bahia em 1557. Pelo lado materno, no século XVI, descende de Inês Barreto, filha de Egas Moniz Barreto, tronco familiar basilar na Bahia e no Rio de Janeiro do século XVI, primórdios da colonização. Em inícios do século XVIII seu ascendente Domingos Dias Coelho casou-se nos Vieira de Mello, de Pernambuco e seu filho, Domingos Dias Coelho e Mello (II) nos (Maciel de) Sá, um dos três ramos dos Sá no Brasil, com terras em Sergipe desde o século XVI.

Foi agraciado barão em 14 de março de 1860.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. achetudoeregiao.com.br Arquivado em 7 de junho de 2009, no Wayback Machine. Historia de Itaporanga da Ajuda SE

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Presidente da província de Sergipe
18221824
Sucedido por
Manuel Fernandes da Silveira


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.