Era espacial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O ônibus espacial Columbia decola em uma missão tripulada ao espaço.

Era espacial é um período que abrange as atividades relacionadas à corrida espacial, exploração espacial, tecnologia espacial e os desenvolvimentos culturais influenciados por esses eventos, começando com o lançamento do Sputnik 1 em 1957[1][2] e continuando até o presente.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A primeira foto tirada no espaço foi feita através de um foguete V-2 em 24 de outubro de 1946.[3]

A Era Espacial também pode ser considerada como tendo começado muito antes de 4 de outubro de 1957, porque em junho de 1944, um foguete alemão V-2 se tornou o primeiro objeto feito pelo homem a entrar no espaço, embora apenas brevemente.[4] Alguns até consideram março de 1926 como o início da era espacial, quando o estadunidense pioneiro de foguetes Robert H. Goddard lançou o primeiro foguete de combustível líquido do mundo, embora ele não tenha alcançado o espaço sideral.[5] Também já na década de 1920, o primeiro programa de foguete experimental em grande escala do mundo, Opel-RAK, foi iniciado sob a liderança de Fritz von Opel e Max Valier. Recordes de velocidade para veículos terrestres e ferroviários foram alcançados em 1928 e von Opel pilotou o primeiro vôo público do mundo de um avião-foguete, Opel RAK.1.[6] A Grande Depressão pôs fim ao programa Opel-RAK, mas teve um impacto forte e duradouro nos pioneiros dos voos espaciais posteriores, em particular em Wernher von Braun, que acabaria por liderar o programa V2 da era nazista.[7]

Como o vôo do foguete V-2 foi realizado em segredo, o acontecimento não era de conhecimento público. Além disso, os lançamentos alemães, bem como os testes de foguetes de sondagem subsequentes realizados nos Estados Unidos e na União Soviética durante o final dos anos 1940 e início dos anos 1950, não foram considerados significativos o suficiente para iniciar uma nova era porque não atingiram a órbita. Ter um foguete poderoso o suficiente para alcançar a órbita significava que uma nação poderia colocar uma carga útil em qualquer lugar do planeta, ou para usar outro termo, possuir um míssil balístico intercontinental. O fato de que, após tal desenvolvimento, nenhum lugar na Terra estava a salvo de uma ogiva nuclear é o motivo pelo qual o padrão orbital é comumente usado para definir quando a era espacial começou.[8]

Começo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Corrida espacial
O lançamento do satélite Sputnik 1 marcou o início da era espacial.[1]
O astronauta James Irwin caminha sobre a Lua próximo ao módulo de aterrissagem e o rover lunar da Apollo 15, em 1971. Os Estados Unidos são o único país que enviou missões tripuladas à superfície lunar.

A era espacial começou com o desenvolvimento de várias tecnologias que convergiram com o lançamento do Sputnik 1 em 4 de outubro de 1957 pela União Soviética. Este foi o primeiro satélite artificial do mundo, orbitando a Terra em 96,17 minutos[9] e pesando 83 kg (183 lb). O lançamento do Sputnik 1 inaugurou uma nova era de conquistas políticas, científicas e tecnológicas que ficou conhecida como "era espacial",[10] por conta do rápido desenvolvimento de novas tecnologias e de uma corrida por conquistas, principalmente entre os Estados Unidos e a União Soviética.[10] Avanços rápidos foram feitos em foguetes, ciência de materiais e outras áreas. Grande parte da tecnologia originalmente desenvolvida para aplicações espaciais foi desmembrada e encontrou usos adicionais. Um exemplo é o material viscoelástico.

Antes da tentativa de voos espaciais tripulados, vários animais foram levados ao espaço para identificar potenciais efeitos prejudiciais da microgravidade e exposição à radiação em grandes altitudes.[11]

A era espacial atingiu seu auge com o programa Apollo, que capturou a imaginação de grande parte da população mundial. O pouso da Apollo 11 na Lua foi assistido por mais de 500 milhões de pessoas em todo o mundo e é amplamente reconhecido como um dos momentos decisivos do século XX. Desde então, a atenção do público se deslocou em grande parte para outras áreas.[12]

Nos Estados Unidos, o desastre do ônibus espacial Challenger em 1986 marcou um declínio significativo nos lançamentos de ônibus espaciais tripulados. Após o desastre, a NASA suspendeu todos os ônibus espaciais por questões de segurança até 1988.[13] Durante a década de 1990, o financiamento para programas relacionados ao espaço caiu drasticamente à medida que as estruturas restantes da agora dissolvida União Soviética se desintegravam e a NASA não tinha mais concorrência direta.

Desde então, a participação em lançamentos espaciais tem se ampliado cada vez mais para incluir mais governos e interesses comerciais. Desde a década de 1990, a percepção pública da exploração espacial e das tecnologias relacionadas ao espaço tem sido de que tais empreendimentos são cada vez mais comuns.[14]

A NASA suspendeu permanentemente todos os ônibus espaciais dos EUA em 2011. Desde então, a NASA confiou na Roscosmos, da Rússia, e na SpaceX para levar astronautas americanos de e para a Estação Espacial Internacional.[14][15]

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Os boosters laterais reutilizáveis do Falcon Heavy, da SpaceX, pousam em uníssono nas Zonas de Aterrissagem 1 e 2 de Cabo Canaveral após o voo de teste em 6 de fevereiro de 2018.

No início do século XXI, a competição Ansari X Prize foi criada para ajudar a impulsionar voos espaciais privados.[16] A vencedora, a Space Ship One em 2004, tornou-se a primeira nave espacial não financiada por uma agência governamental.[17]

Vários países agora têm programas espaciais com empreendimentos tecnológicos relacionados, como instalações de lançamento.[18] Existem muitos satélites científicos e comerciais em uso hoje, com milhares de satélites em órbita e vários países têm planos de enviar humanos ao espaço.[19][20] Alguns dos países que aderiram a esta nova corrida são França, Índia, China, Israel e Reino Unido, todos os quais empregaram satélites de vigilância. Existem vários outros países com programas espaciais menos extensos, incluindo Brasil, Alemanha, Ucrânia e Espanha.[21]

Quanto ao programa espacial dos Estados Unidos, a NASA está atualmente construindo uma cápsula de tripulação para o espaço profundo chamada Orion, cujo objetivo é levar humanos a Marte. A NASA espera que esta missão “inicie uma nova era de exploração espacial”.[21]

Outro fator importante que afeta a atual era espacial é a privatização dos voos espaciais.[22] Uma empresa privada significativa de voos espaciais é a SpaceX, que se tornou proprietária de um dos maiores veículos de lançamento do mundo quando lançou seu maior foguete atual, o Falcon Heavy em 2018. Elon Musk, fundador e CEO da SpaceX, apresentou o objetivo de estabelecer uma colônia de um milhão de pessoas em Marte e a empresa está desenvolvendo seu veículo de lançamento Starship para facilitar isso. Desde a missão Demo-2 para a NASA em 2020, na qual a SpaceX lançou astronautas pela primeira vez para a Estação Espacial Internacional, a empresa manteve uma capacidade orbital de voos espaciais tripulados. A Blue Origin, uma empresa privada fundada pelo fundador da Amazon.com, Jeff Bezos, está desenvolvendo foguetes para uso em turismo espacial, lançamentos de satélites comerciais e eventuais missões à Lua e além.[23] A Virgin Galactic, empresa de Richard Branson, está se concentrando em veículos de lançamento para turismo espacial.[24] Uma empresa derivada, a Virgin Orbit, lança pequenos satélites com seu foguete LauncherOne. Outro lançador de pequenos satélites, o Rocket Lab, desenvolveu o foguete Electron para enviar espaçonaves ainda mais para o Sistema Solar.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b McDougall, Walter A (2010), «Shooting the Moon», American Heritage .
  2. Garcia, Mark. «60 years ago, the Space Age began». nasa.gov [ligação inativa]
  3. «The First Photo From Space» (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2013 
  4. Schefter, James (1999), The Race: The Uncensored Story of How America Beat Russia to the Moon, ISBN 0-385-49253-7, Nova Iorque: Doubleday, pp. 3–49 
  5. «Goddard launches space age with historic first 85 years ago today». Consultado em 29 de abril de 2016 
  6. "Das RAK-Protokoll", a 25 minutes documentary on the Opel RAK program https://opel-tv-footage.com/v/The%20RAK%20Protocoll?p=4&c=86&l=1
  7. https://www.airforcemag.com/article/0904rocket/ article by Walter J. Boyne in Air Force Magazine, September 1, 2004
  8. Schefter, James (1999), The Race: The Uncensored Story of How America Beat Russia to the Moon, ISBN 0-385-49253-7, Nova Iorque: Doubleday, pp. 3–49 
  9. Chertok, Boris. «Rockets and People: Creating a Rocket Industry, p. 385» (PDF). History. NASA. Consultado em 7 de outubro de 2021 
  10. a b Garber, Steve. «Sputnik and The Dawn of the Space Age». History. NASA. Consultado em 6 de maio de 2013. Arquivado do original em 18 de novembro de 2004 
  11. «Animals in Space». NASA. In the earlier days of space exploration, nobody knew if people could survive a trip away from Earth, so using animals was the best way to find out. In 1948, a rhesus macaque monkey named Albert flew inside a V2 rocket. In 1957, Russians sent a dog named Laika into orbit. Both of these flights showed that humans could survive weightlessness and the effects of high gravitational forces. 
  12. «National Aeronautics and Space Administration». NASA. Consultado em 20 de novembro de 2015. Arquivado do original em 31 de dezembro de 1996 
  13. Howell, Elizabeth. «Challenger: Shuttle Disaster That Changed NASA». Space.com. Consultado em 17 de março de 2018. Arquivado do original em 4 de maio de 2018 
  14. a b NASA. Historical Studies in the Societal Impact of Spaceflight - NASA (PDF). [S.l.: s.n.] 
  15. «The New American Space Age: A Progress Report on Human SpaceFlight» (PDF). Aerospace Industries Association. Aerospace Industries Association. Consultado em 16 de março de 2018. Arquivado do original (PDF) em 25 de março de 2018 
  16. «Ansari X Prize». Consultado em 15 de setembro de 2010. Arquivado do original em 23 de setembro de 2010 
  17. «SpaceShipOne: The First Private Spacecraft | The Most Amazing Flying Machines Ever». Space.com. Consultado em 27 de novembro de 2015. Arquivado do original em 15 de novembro de 2015 
  18. «Global Space Programs | Space Foundation». www.spacefoundation.org. Consultado em 27 de novembro de 2015. Arquivado do original em 14 de novembro de 2015 
  19. «Japan Wants Space Plane or Capsule by 2022». Space.com. 24 de outubro de 2012. Consultado em 27 de novembro de 2015. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2015 
  20. «India takes giant step to manned space mission». Telegraph.co.uk. Consultado em 27 de novembro de 2015. Arquivado do original em 26 de novembro de 2015 
  21. a b «The New Space Race – Who Will Take the Lead?». rcg.org. Consultado em 8 de maio de 2018 
  22. «Circumlunar mission». Space Adventures. Consultado em 15 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 12 de fevereiro de 2015 
  23. «Blue Origin: everything you need to know about the Amazon.com of space». TechRadar. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  24. «Sir Richard Branson plans orbital spaceships for Virgin Galactic, 2014 trips to space». foxnews.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Era espacial