Crew Dragon Demo-2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Crew Dragon Demo-2
Crew Dragon Demo-2 Patch.png
Informações da missão
Sinal de chamada Endeavour
Operadora
Foguete Falcon 9 B1058.1
Espaçonave Crew Dragon C206
Astronautas Douglas Hurley
Robert Behnken
Base de lançamento Plataforma 39A, Centro
Espacial John F. Kennedy
Lançamento 30 de maio de 2020
19h22min45s UTC[1]
Cabo Canaveral, Flórida,
Estados Unidos
Amerrissagem 2 de agosto de 2020
18h47min48s UTC[1]
Golfo do México[1]
Órbitas 1006[1]
Duração 63d 23h 25m 19s [1]
Altitude orbital 400 quilômetros[1]
Inclinação orbital 51,6 graus[1]
Imagem da tripulação
Behnken e Hurley
Behnken e Hurley
Navegação
Dragon 2 In-Flight
Abort Test
SpaceX Crew-1

Crew Dragon Demo-2, oficialmente conhecido como SpaceX Demo-2 e Crew Demo-2, é o primeiro voo tripulado da nave Crew Dragon da SpaceX.[2] Lançado dia 30 de maio de 2020,[3] DM-2 é a primeira missão tripulada a ser lançada dos Estados Unidos desde a STS-135 em 2011 e a primeira missão lançada a partir dos Estados Unidos com dois astronautas desde a STS-4 em 1982.

A primeira tentativa de lançar no dia 27 de maio acabou com um aborto aos 16m54s antes do lançamento.[4] NASA e SpaceX miraram a data secundária de 30 de maio de 2020, 19:22 UTC.[5]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Posição[6] Astronauta
Comandante da espaçonave Douglas G. Hurley
Comandante de operações conjuntas Robert L. Behnken
Hurley e Behnken foram anunciados como tripulantes no dia 3 de agosto de 2018.[7]

Reserva[editar | editar código-fonte]

Posição Astronauta[1]
Comandante da espaçonave Kjell Lindgren

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Foguete Falcon 9 B1058.1, com a cápsula Crew Dragon no topo

O Crew Demo-2 deveria ter ocorrido em julho de 2019 como parte do contrato no Programa de Tripulações Comerciais[8] com uma tripulação de dois astronautas numa missão experimental de 14 dias para a Estação Espacial Internacional.[7]

No dia 20 de abril de 2019, a cápsula usada na missão Demo-1 foi destruída durante uma ignição estática de seus propulsores SuperDraco, antes do uso planejado durante o teste de aborto durante o voo.[9][10] SpaceX descobriu que a causa da anomalia foi uma válvula que vazou propelente dentro da mangueiras de hélio com alta pressão.

No dia 19 de janeiro de 2020, uma cápsula Crew Dragon realizou de forma bem sucedida um teste de aborto durante o voo.[11]

No dia 9 de abril de 2020, o Administrador da NASA Jim Bridenstine disse que ele está "bem confiante" de que os astronautas poderão voar no Crew Dragon para a Estação Espacial Internacional no fim de maio ou começo de junho de 2020, dependendo dos últimos testes de paraquedas, revisão de dados e uma programação de treinamento que pode ficar de fora dos impactos principais da pandemia do coronavírus.

No dia 17 de abril de 2020, a data foi confirmada para o dia 27 de maio. A chegada do Crew Dragon aumentará o numero de tripulantes de três para cinco por vários meses. "Bob Behnken e Doug Hurley não irão somente como pilotos do Demo-2, mas como tripulantes da ISS por alguns meses para trabalhar, onde continuarão a operar na ISS", Bridenstine disse. "E quando estivermos com o próximo Crew Dragon pronto, eles voltarão". É esperado que Hurley e Behnken vivam e trabalhem na estação por dois ou três meses, para então retornarem no Oceano Atlântico, a leste de Cabo Canaveral.[3][3][12]

Demo-2 foi o primeiro voo tripulado dos EUA que não teve a presença do público no Complexo de Visitantes do Centro Espacial Kennedy devido a Pandemia de COVID-19.[13] Entretanto, alguns membros da imprensa poderão assistir.

No dia 23 de abril de 2020, Bridenstine pediu para que os entusiastas espaciais não vagem ao Kennedy Space Center em maio para ver o primeiro lançamento tripulado do espaço porto desde 2011, e pediu para que o público assista o lançamento na televisão ou online. "Estamos pedindo para que o público se junte conosco para este lançamento, mas em casa". "Estamos pedindo para que não viagem ao Kennedy Space Center... Quando ocorrem lançamentos, atraímos grandes multidões, e não é o que queremos agora. Queremos ter certeza de que temos acesso à Estação Espacial Internacional sem a grande multidão que geralmente aparece. "Modificamos os turnos. Então, em vez de 12 pessoas trabalhando no foguete ao mesmo tempo, as separamos de forma que temos quatro trabalhando por oito horas, outros quatro pelas próximas oito horas e assim vai. Estamos dividindo tudo por turnos".[14]

No dia 1 de maio de 2020, a SpaceX demonstrou de forma bem sucedida o sistema de paraquedas Mark 3, uma conquista crítica para a aprovação da missão.[15]

Missão[editar | editar código-fonte]

O Falcon 9 foi lançado da plataforma LC-39A do Kennedy Space Center no dia 30 de maio e a cápsula Crew Dragon foi acoplada com o adaptador pressurizado PMA-2 no módulo Harmony no dia 31.[16][17] Hurley e Behnken juntarão à Expedição 63 por vários meses.[18]

Acoplagem e desacoplagem serão realizadas de forma autônoma pela nave, mas monitorada pela tripulação. O primeiro estágio pousou de forma autônoma no Of Course I Still Love You.[19] Ao retornar, a Crew Dragon pousará de paraquedas no Atlântico, onde será recuperada pelo Go Navigator.[6]

A cápsula foi batizada como Endeavour, em homenagem ao ônibus espacial com o mesmo nome.[20] Ao final de seu voo, a mesma terá realizado a mais longa missão espacial de uma nave tripulada estadunidense desde a Skylab 4.

Tentativas de lançamento[editar | editar código-fonte]

Todos os tempos estão em UTC

Tentativa Hora prevista Resultado Retorno para lançamento Razão Ponto de decisão Clima (%) Nota
1 27 de maio de 2020,
20:33:33
Cancelado Clima 27 de maio de 2020, 20:16
(contagem pausada aos T-16m53s)
40% A decisão foi feita antes do segundo estágio ser abastecido com oxigênio líquido. O lançamento foi cancelado devido a tempestades e uma chuva leve na área causada pela Tempestade Tropical Bertha.[21]
2 30 de maio de 2020,
19:22:45
Sucesso 2d, 22h, 45m 70%

Insígnia[editar | editar código-fonte]

Logo usado entre 1975 e 1992

A insígnia foi criada por Andrew Nyberg, um artista de Brainerd, Minnesota. Nyberg é sobrinho da esposa de Hurley, Karen Nyberg.[22] A insígnia apresenta imagens dos logos do Commercial Crew Program, Falcon 9, Crew Dragon e SpaceX. Também estão representados a bandeira dos EUA e um símbolo da ISS. As palavras NASA, SpaceX, Hurley e Behnken estão colocadas ao redor da borda, e as palavras "First crewed flight" e "DM-2". O formato da insígnia é o de uma cápsula Dragon.[23]

O Falcon 9 apresentou o logo de minhoca da NASA. É a primeira vez que esse logo será oficialmente usado desde 1992.[24]

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Boe-CFT, a primeira missão tripulada da Boeing

Referências

  1. a b c d e f g h «Crew Dragon SpX-DM2». Spacefacts. Consultado em 28 de maio de 2020 
  2. «Upcoming Missions». spacexnow.com 
  3. a b c Clark, Stephen (17 de abril de 2020). «NASA, SpaceX set May 27 as target date for first crew launch». Spaceflight Now. Pole Star Publications Ltd. Consultado em 17 de abril de 2020 
  4. «NASATV». Consultado em 27 de maio de 2020 
  5. «SpaceX and NASA aim for historic launch». Consultado em 27 de maio de 2020 
  6. a b «NASA DM-2». Cópia arquivada em 24 de abril de 2020   Este artigo incorpora texto desta fonte, que está no domínio público.
  7. a b Lewis, Marie (3 de agosto de 2018). «Meet the Astronauts Flying SpaceX's Demo-2». Consultado em 3 de agosto de 2018   Este artigo incorpora texto desta fonte, que está no domínio público.
  8. «NASA's Commercial Crew Program Target Test Flight Dates». 6 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de fevereiro de 2019 
  9. Baylor, Michael (20 de abril de 2019). «SpaceX's Crew Dragon spacecraft suffers an anomaly during static fire testing at Cape Canaveral – NASASpaceFlight.com». NASASpaceFlight.com 
  10. Berger, Eric (2 de maio de 2019). «Dragon was destroyed just before the firing of its SuperDraco thrusters». Ars Technica (em inglês) 
  11. «Live coverage: SpaceX successfully performs Crew Dragon abort test». 18 de janeiro de 2020 
  12. Clark, Stephen (13 de abril de 2020). «Bridenstine says Crew Dragon could launch with astronauts at end of May». Spaceflight Now / Pole Star Publications Ltd. Consultado em 22 de abril de 2020 
  13. «The Mission NASA Doesn't Want to Postpone». 13 de abril de 2020. Consultado em 19 de abril de 2020. Cópia arquivada em 17 de abril de 2020 
  14. «Citing coronavirus, NASA urges public not to travel for launch of astronauts». 24 de abril de 2020. Cópia arquivada em 25 de abril de 2020 
  15. Maio de 2020, Mike Wall 01. «SpaceX aces final parachute test ahead of historic May 27 crew launch». Space.com (em inglês). Consultado em 2 de maio de 2020 
  16. «Upcoming Spaceflight Events». nextspaceflight.com (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2020 
  17. Potter, Sean (20 de abril de 2020). «NASA to Host Preview Briefings for First Crew Launch with SpaceX». NASA. Consultado em 30 de abril de 2020 
  18. Stimac, Valerie. «NASA Announces First Astronaut Test Flight Date Aboard SpaceX Crew Dragon». Forbes (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2020 
  19. «SpaceX Crew Dragon Demo-2 Key Launch Information». Launch360. Consultado em 30 de abril de 2020 
  20. SpaceflightNow (30 de maio de 2020). «NASA astronauts Doug Hurley and Bob Behnken have named their Dragon capsule"Endeavour" after the NASA space shuttle» (Tweet) – via Twitter 
  21. Jacob Bogage; Christian Davenport (27 de maio de 2020). «SpaceX's Falcon 9 rocket launch is scrubbed due to weather». The Washington Post. Consultado em 27 de maio de 2020 
  22. Murray, Robb. «Mankato native designed patch for upcoming NASA mission to the International Space Station». Mankato Free Press (em inglês). Consultado em 14 de novembro de 2019 
  23. «Astronauts debut mission patch for SpaceX Dragon crewed flight test | collectSPACE». collectSPACE.com. Consultado em 30 de abril de 2020 
  24. Dunbar, Brian. «The Worm is Back!». NASA. NASA. Consultado em 2 de abril de 2020   Este artigo incorpora texto desta fonte, que está no domínio público.

Precedido por
Soyuz MS-16
Voos tripulados
Sucedido por
Soyuz MS-17