Soyuz TM-32

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Soyuz TM-32
Insígnia da missão
Informações da missão
Sinal de chamada Криста́лл (Kristall)
Operadora Rosaviakosmos
Número de tripulantes 3
Base de lançamento Baikonur Pad 1/5
Lançamento 28 de Abril de 2001
07:37:20 UTC

Casaquistão
Aterrissagem 31 de Outubro de 2001
05:00:00 UTC

46° 44' 58 N, 69° 42' 58 E
Órbitas ~3 025
Duração 185 dias 21 horas 22 minutos 40 segundos
Imagem da tripulação
Da esquerda à direita: Tito, Musabayev e Baturin
Da esquerda à direita:
Tito, Musabayev e Baturin
Navegação
Soyuz TM-31 patch.png Soyuz TM-31
Soyuz TM-33 Soyuz TM-33 patch.png

Soyuz TM-32 foi uma missão tripulada russa, lançada ao espaço do Cosmódromo de Baikonur em 28 de abril de 2001. Seu principal objetivo era transportar suprimentos e uma nova tripulação para habitar a Estação Espacial Internacional. A missão ficou conhecida por ser a primeira a levar um turista espacial à órbita terrestre, o empresário norte-americano Dennis Tito.[1][2]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

[1][2]

Tripulação lançada na Soyuz TM-32: (28 de abril de 2001)

Posição Cosmo/Astronauta
Comandante Cazaquistão Talgat Musabayev
Engenheiro de voo Estados Unidos Yuri Baturin
Turista espacial Estados Unidos Dennis Tito

Tripulação retornada na Soyuz TM-32: (31 de Outubro de 2001)

Posição Cosmo/Astronauta
Comandante Rússia Viktor Afanasyev
Engenheira de voo 1 França Claudie Haigneré
Engenheiro de voo 2 Rússia Konstantin Kozeyev

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

[1][2]

Missão[editar | editar código-fonte]

A nave acoplou-se com a ISS a 30 de abril, 07h57 UTC, poucas horas após o ônibus espacial Endeavour, da missão STS-100, partir de volta à Terra. A tripulação ficou uma semana na estação e retornou a bordo da Soyuz TM-31, que se encontrava conectada à ISS desde novembro de 2000 funcionando como bote salva-vidas para as Expedições 1 e 2 que a ocuparam.[1][2]

Como nova nave de escape para as Expedições 2 e 3, a TM-32 ficou seis meses acoplada à ISS e, em 31 de outubro de 2001, regressou trazendo dois cosmonautas russos e uma astronauta francesa, que haviam chegado a bordo uma semana antes na Soyuz TM-33. O turista Tito pagou U$20 milhões pela viagem pioneira.[1][2]

Originalmente a esta Soyuz seria usada numa missão de contingência na Mir (caso a Progress responsável pela deórbita da estação não acoplasse) ou para a Estação Espacial Internacional (caso o Zvezda houvesse tido problemas após o lançamento). Como nada disso aconteceu, a nave foi usada na TM-32.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e Mark Wade. «Soyuz TM-32 ISS EP-1». Encyclopedia Astronautica. Consultado em 22 de julho de 2019 
  2. a b c d e Joachim Becker e Heinz Janssen (20 de abril de 2018). «Soyuz TM-32». SPACEFACTS. Consultado em 22 de julho de 2019 
  3. «Twenty years after deorbit, Mir's legacy lives on in today's space projects». 23 de março de 2021. Consultado em 30 de abril de 2022. In parallel with the Progress launch campaign, a Soyuz-TM spacecraft – which would later fly to the International Space Station as Soyuz TM-32 – was made ready to fly cosmonauts Gennady Padalka and Nikolai Budarin to Mir should the Progress fail to dock. Padalka and Budarin were chosen for this role as they had previously trained for a similar contingency mission to perform a manual docking of the Zvezda module to the International Space Station should it have encountered difficulties. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]