Soyuz TMA-19M

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Soyuz TMA-19M
Insígnia da missão
Sinal de chamada Aquarius
Estatísticas da missão
Espaçonave Soyuz
Número de tripulantes 3
Lançamento 15 de dezembro de 2015, 11:03:10 UTC
Cosmódromo de Baikonur, Casaquistão
Aterrissagem 18 de junho de 2016, 09:15 UTC
estepes do Casaquistão, próximo a Dzhezkazgan
Duração 186 dias
Imagem da tripulação
Da esquerda para a direita: Peake, Kopra e Malenchenko.
Da esquerda para a direita:
Peake, Kopra e Malenchenko.
Navegação
Soyuz TMA-18MSoyuz-TMA-18M-Mission-Patch.png
Soyuz TMA-20MSoyuz-TMA-20M-Mission-Patch.png

Soyuz TMA-19M foi uma missão Soyuz à Estação Espacial Internacional e a 128ª missão do programa russo iniciado em 1967.[1] Ela transportou três cosmonautas, um russo, um britânico e um norte-americano até a ISS, onde eles se integraram à tripulação residente, levada no voo anterior, Soyuz TMA-18M, iniciando a Expedição 46 na estação. Durante a estadia de seis meses os tripulantes também integraram a Expedição 47. A nave permaneceu acoplada à ISS neste período servindo como veículo de escape de emergência.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Insígnia[editar | editar código-fonte]

Desenhada pelo artista holandês Luc van den Abeelen, colaborador habitual da NASA e da Roskosmos, com a ajuda dos tripulantes, o desenho simples mostra uma nave Soyuz atingindo a órbita sobre quatro faixas de azul diferentes, representando as terras da Terra, os mares, a atmosfera, o espaço e o número de altitudes de órbitas que a nave precisa percorrer até chegar à ISS. Três estrelas representam o número de tripulantes que tem seus nomes e bandeiras nacionais em torno do círculo central da insígnia.[2]

Lançamento e acoplagem[editar | editar código-fonte]

A Soyuz TMA-19M foi lançada do Cosmódromo de Baikonur no topo de um foguete Soyuz-FG às 11:03 (UTC) – hora local do Casaquistão 17:03 – de 15 de dezembro de 2015, entrando em órbita nove minutos após o lançamento e começando a sua jornada de quatro órbitas até o encontro com a Estação Espacial. Planejada para ser uma acoplagem automática feita pelos computadores, uma falha na telemetria do sistema de navegação Kurs ocorrida a vinte metros do módulo de acoplagem, fez com que a nave recuasse automaticamente 100 metros por segurança e levou o comandante Malenchenko a realizar a docagem de forma manual; a falha causou um atraso de dez minutos no horário programado para a acoplagem, que ocorreu às 17:33 UTC do mesmo dia, no módulo Rassvet da ISS, a 405 km de altura sobre a Índia.[3]

Desacoplagem e pouso[editar | editar código-fonte]

Após 186 dias de permanência no espaço, durante os quais circundou a Terra por 2.976 vezes, a TMA-19M desacoplou-se da ISS às 05:52 UTC de 18 de junho de 2016, dando início à Expedição 48 na ISS para a tripulação que ficou a bordo, e iniciando seu retorno trazendo no interior seus três tripulantes, sob o comando do cosmonauta russo Yuri Malenchenko. Iniciou a saída de órbita ligando seus foguetes e desceu em direção à Terra a uma velocidade inicial de 120 metros por segundo em curso para a reentrada, penetrando na atmosfera sob uma temperatura externa de 1600° C. O enorme paraquedas principal branco e laranja foi aberto a 7,5 km de altitude sobre o local de aterrissagem no Casaquistão, pousando às 09:15 UTC na área pré-designada, 148 km a sudeste da cidade de Dzhezkazgan, onde a nave e a tripulação foram recolhidas por um equipe de apoio formada por 300 pessoas.[4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «First 'official' Brit launches with American and Russian to space station». Collectspace.com. Consultado em 25 de Janeiro de 2016 
  2. «SOYUZ TMA-19M, 2015». ESA. Consultado em 4 de Março de 2016 
  3. «Trio launches to, docks with space station in Soyuz TMA-19M». Spaceflight Insider. Consultado em 25 de Janeiro de 2016 
  4. «Soyuz parachutes to Safe Landing – Space Station Crew returns after 186 Days in Orbit». spaceflight101. Consultado em 18 de Junho de 2016