Soyuz MS-12

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Soyuz MS-12
Insígnia da missão
Informações da missão
Sinal de chamada Burlak[1]
Operadora Roscosmos
Foguete Soyuz-FG
Espaçonave Soyuz MS 11F747
Número de tripulantes 3
Base de lançamento Baikonur Pad 1/5
Lançamento 14 de março de 2019,[2] 19:14 UTC [3]
Baikonur, Casaquistão
Aterrissagem 03 de outubro de 2019, 11:00 UTC
47°24'04.44"N, 69°34'14.1"E[3]
Órbitas 3248[3]
Duração 202d 15h 45m 52s [3]
Altitude orbital 400 km[3]
Inclinação orbital 51.6°[3]
Distância percorrida 138,564,518 km [4]
Imagem da tripulação
(Esq. Dir.): Hague, Ovchinin e Koch
(Esq. Dir.): Hague, Ovchinin e Koch
Navegação
Soyuz-MS-11-Mission-Patch.png Soyuz MS-11
Soyuz MS-13 Soyuz-MS-13-Mission-Patch.png

Soyuz MS-12 foi uma missão espacial de uma nave Soyuz e o 141º voo do programa espacial russo desde sua criação em 1967. Ela foi lançada em 14 de março de 2019, levando três membros da Expedição 59 para a Estação Espacial Internacional. Os tripulantes, um russo e dois norte-americanos, também participaram da Expedição 60. [5] Dois dos tripulantes, o comandante Aleksei Ovchinin e o engenheiro de voo Nick Hague, sofreram um acidente durante o lançamento da Soyuz MS-10 cinco meses antes, dos quais escaparem ilesos, e foram transferidos para este voo; com eles, completando a tripulação, seguiu a engenheira de voo Christina Koch.

Esta missão estava programada para ser a primeira no espaço de um dos novos astronautas dos Emirados Árabes Unidos, Hazza Al Mansouri, mas isso foi adiado para o voo da Soyuz MS-15, devido à abortagem do lançamento da Soyuz MS-10, que provocou vários remanejamentos de tripulações para as missões posteriores.[6] A missão foi encerrada 3 de outubro de 2019, quando a nave – transportando Ovchinin, Hague e o participante do voo espacial árabe Al Mansouri, que havia subido posteriormente em outro voo – retornou à Terra.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Retorno[editar | editar código-fonte]

Insígnia[editar | editar código-fonte]

O emblema da missão é baseado no design gráfico do da Soyuz MS-10, a acidentada missão que não conseguiu entrar em órbita e foi abortada, quando era tripulada por Alexei Ovchinin e Nick Hague, que agora voltavam ao espaço na MS-12. Ela é uma imagem espelhada da original, apenas com o nome da nova tripulante Christina Koch acrescentado. A dupla borda amarela significa a segunda tentativa de Ovchinin e Hague. O desenho triangular da insígnia mostra a espaçonave em órbita terrestre. Por trás da superfície azul do planeta, os elementos das bandeiras russa e americana enfatizam o caráter internacional da missão espacial. As três estrelas, parte da bandeira dos Estados Unidos, remetem aos três tripulantes. Ao fundo, no espaço profundo, aparece a silhueta de uma coruja, simbolizando a sapiência científica que as pesquisas a serem feitas na ISS proporcionará. A estação espacial é mostrada em amarelo à direita. Do lado direito da coruja, a Lua simboliza a direção do sonho humano no futuro, via Lua para o espaço profundo. O símbolo da Roskosmos é colocado no topo esquerda do emblema, com o nome dos tripulantes logo abaixo. No centro da insígnia, o nome da espaçonave.[7]

Lançamento e acoplagem[editar | editar código-fonte]

A nave foi lançada do Cosmódromo de Baikonur às 19:14 UTC de 14 de março de 2019, em direção à ISS, entrando em órbita nove minutos depois. Após uma jornada de seis horas realizando quatro órbitas e seis queimas de motores, ela acoplou-se ao módulo Rassvet às 01:01 UTC de 15 de março, dando início à Expedição 59 na estação, onde permaneceu acoplada como nave de escape de emergência até o fim da missão.[8]

Retorno[editar | editar código-fonte]

Após 203 dias em órbita acoplada à ISS, a MS-12 desacoplou-se do módulo Rassvet às 07:37 UTC de 3 de outubro, iniciando sua volta à Terra. Pousou em segurança cerca de três horas depois, às 10:59 UTC (hora local:16:59), nas estepes do Casaquistão, onde a tripulação foi recolhida pelas equipes de apoio em terra.[9]

Galeria[editar | editar código-fonte]

A tripulação é conduzida até a torre de lançamento. 
Lançamento em Baikonur. 
A acoplagem na estação. 
A nave acoplada à ISS sobrevoa o Nepal e a China. 

Referências

  1. «Центр подготовки космонавтов им. Ю.А.Гагарина. Официальный Web-сайт». www.gctc.ru (em russo) 
  2. Pietrobon, Steven (9 de janeiro de 2019). «Russian Launch Manifest». Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  3. a b c d e f Launch, orbit and landing data
  4. NASA Astronaut Nick Hague, Crewmates Return Safely from International Space Station
  5. Gebhardt, Chris (14 de março de 2019). «Soyuz MS-12 docks with the Space Station – NASASpaceFlight.com». NASASpaceflight.com 
  6. Ryan, Patrick (27 de janeiro de 2019). «UAE's astronauts in training try out zero gravity». The National. Consultado em 23 de fevereiro de 2019 
  7. «Soyuz MS-12 mission patch». collectspace.com. Consultado em 15 abril 2019 
  8. «Soyuz MS-12 arrives at ISS». RussianSpaceWeb. Consultado em 16 abril 2019 
  9. «Soyuz MS-12». Spacefacts. Consultado em 15 outubro 2019