Soyuz MS-16

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Soyuz MS-16
Insígnia da missão
Informações da missão
Sinal de chamada Ион / Íon
Operadora Roscosmos
Foguete Soyuz-2.1a
Espaçonave Soyuz MS 11F747
Número de tripulantes 3
Base de lançamento Baikonur Pad 31/6
Lançamento 09 de abril de 2020[1][2]
Baikonur, Casaquistão
Navegação
Soyuz-MS-15-Mission-Patch.png Soyuz MS-15
Soyuz MS-17

Soyuz MS-16 é um voo Soyuz planejado para abril de 2020.[1] Transportará três membros da Expedição 62 para a Estação Espacial Internacional[3]. MS-16 será o 145º voo da Soyuz. A tripulação será de um Comandante Russo, um Engenheiro de voo Russo e um Engenheiro de voo dos EUA.[1]

Esse voo será o primeiro voo tripulado do foguete Soyuz 2.1a e a primeira missão tripulada a não ser lançada da Plataforma Gagarin desde a Soyuz MS-02 em 2016[4], que foi desativada após a Soyuz MS-15.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Suplentes[editar | editar código-fonte]

Notas da tripulação[editar | editar código-fonte]

Este voo seria o primeiro do novato Tikhonov, que foi removido de vários voos por causa de atrasos com o módulo russo Nauka, começando com a Soyuz MS-04. Os mesmos atrasos que adiaram o primeiro voo de Tikhonov também reduziram o número de tripulantes russos na ISS de três para dois cosmonautas. MS-16 será a primeira vez desde a Expedição 50 onde a tripulação russa volta a ser três. Este voo será o primeiro lançamento tripulado de um foguete Soyuz-2.

Em 19 de fevereiro de 2020, foi oficialmente anunciado que os membros russos da tripulação principal da nave "Soyuz MS-16" - os cosmonautas da Roscosmos Nikolai Tikhonov e Andrei Babkin - foram substituídos por seus suplentes por razões médicas. Anatoli Ivanishin e o engenheiro de voo Ivan Vagner foram nomeados como parte da tripulação principal da Soyuz MS-16. O astronauta da NASA Chris Cassidy continua a preparar-se para o voo, de acordo com o plano original.[5].[6]

Referências

Portal A Wikipédia tem o portal: