Soyuz MS-21

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Soyuz MS-21
Insígnia da missão
Informações da missão
Sinal de chamada Don[1]
Operadora Roscosmos
Foguete Soyuz 2.1a
Espaçonave Soyuz MS 11F732 #750
Korolev[2][3]
Número de tripulantes 3
Base de lançamento Baikonur 31/6
Lançamento 18 de março de 2022, 15:55:19 UTC[1]
Baikonur, Casaquistão
Duração 193 dia(s) e 0 hora(s)
Imagem da tripulação
Artemyev, Matveev e Korsakov
Artemyev, Matveev e Korsakov
Navegação
Soyuz MS-20
Soyuz MS-22

Soyuz MS-21 (também conhecida como "Bauman Start"[4]) é uma missão da Soyuz para a Estação Espacial Internacional lançada em 18 de março de 2022. O lançamento já havia sido marcado para 30 de março, mas no manifesto de voo provisório a missão havia sido adiantada para o dia 18.[5] É a primeira missão da Soyuz para a ISS com uma tripulação totalmente composta por cosmonautas da Roscosmos.[6]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

A tripulação russa foi nomeada em maio de 2021.[7] Apesar da NASA não ter decidido se iriam ou não comprar outro assento, a astronauta Loral O'Hara estava se preparando para caso isto viesse a acontecer.[8] Posteriormente, a NASA decidiu não comprar um assento na Soyuz MS-21, passando o sistema de troca de assentos para a missão seguinte.[9] É a primeira missão da Soyuz para a ISS somente composta por tripulantes da Roscosmos.[4]

Posição Cosmonauta
Comandante Rússia Oleg Artemyev
Engenheiro de voo 1 Rússia Denis Matveev
Engenheiro de voo 2 Rússia Sergei Korsakov
Suplentes
Posição Cosmonauta
Comandante Rússia Sergey Prokopyev
Engenheira de voo 1 Rússia Anna Kikina
Engenheiro de voo 2 Rússia Dmitriy Petelin

Trajes ao chegarem[editar | editar código-fonte]

Os cosmonautas da MS-21 receberam atenção internacional devido ao traje amarelo com elementos azuis.[10] Comentaristas internacionais assumiram se tratar das cores da bandeira nacional da Ucrânia e interpretaram a escolha dos cosmonautas como um sinal de simpatia à Ucrânia devido a invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022, que afetou a cooperação espaciai, como o programa da ISS, após as sanções internacionais durante a invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022 [en].[11] Os cosmonautas declaram que os trajes amarelos precisavam serem usados e a Roscosmos declarou que as cores são da Universidade Técnica Estatal Bauman de Moscou, onde os três cosmonautas se formaram.[10]

Referências

  1. a b «Spaceflight mission report: Soyuz MS-21». 18 de março de 2022. Consultado em 18 de março de 2022 
  2. @roscosmos (25 de janeiro de 2022). «Roscosmos no Twitter» (Tweet). Consultado em 26 de janeiro de 2022 – via Twitter 
  3. «Soyuz MS-21 lifts off amid Russian invasion of Ukraine». 18 de março de 2022. Consultado em 18 de março de 2022 
  4. a b «Roscosmos to launch crewed spacecraft named after Korolev in March». 25 de janeiro de 2022. Consultado em 27 de janeiro de 2022 
  5. Zak, Anatoly (1 de dezembro de 2020). «Planned Russian space missions in 2022». RussianSpaceWeb.com. Consultado em 27 de dezembro de 2020 
  6. «Russia launches first all-Roscosmos cosmonaut mission to station». 18 de março de 2022. Consultado em 18 de março de 2022 
  7. «Источник: Кикина будет единственной женщиной в отряде космонавтов». 4 de maio de 2021 
  8. @katlinegrey (19 de junho de 2021). «Katlingrey on Twitter» (Tweet) – via Twitter 
  9. «Rogozin says Crew Dragon safe for Russian cosmonauts». SpaceNews. 26 de outubro de 2021. Consultado em 29 de outubro de 2021 
  10. a b «Russia denies cosmonauts board space station in Ukrainian colours». BBC News. 19 de março de 2022. Consultado em 19 de março de 2022 
  11. Witze, Alexandra (11 de março de 2022). «Russia's invasion of Ukraine is redrawing the geopolitics of space». Nature (em inglês). doi:10.1038/d41586-022-00727-x. Consultado em 13 de março de 2022 

Precedido por
Soyuz MS-20
Voos tripulados
Sucedido por
Ax-1
Precedido por
MS-20
Voos civis
Sucedido por
Ax-1