Soyuz TMA-20

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Soyuz TMA-20
Insígnia da missão
Sinal de chamada Варяг (Varegues)
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 3
Lançamento 15 de dezembro de 2010
Cosmódromo de Baikonur
Aterrissagem 24 de maio de 2011
Dzhezkazgan, Casaquistão
Duração 159 d 7 h 17 min
Imagem da tripulação
Da esquerda para direita: Coleman, Kondratyev e Nespoli
Da esquerda para direita:
Coleman, Kondratyev e Nespoli
Navegação
Último
Soyuz TMA-01M Soyuz TMA-21
Soyuz TMA-21 Soyuz TMA-22
Próximo

Soyuz TMA-20 foi uma missão do programa russo Soyuz à Estação Espacial Internacional, e a 108ª missão tripulada do programa. Teve início em 15 de dezembro de 2010 com o lançamento do Cosmódromo de Baikonur e encerrou-se em 24 de maio de 2011 com a aterrisagem da cápsula nas proximidades de Dzhezkazgan, Casaquistão, após mais de seis meses acoplada à ISS, servindo de transporte e nave de escape de emergência.

A nave levou os últimos integrantes da Expedição 26, o cosmonauta russo Dmitry Kondratyev, a astronauta norte-americana Catherine Coleman e o astronauta italiano Paolo Nespoli.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Missão[editar | editar código-fonte]

Dano[editar | editar código-fonte]

A espaçonave sofreu danos durante seu transporte para Baikonur em outubro de 2010.[1] Os técnicos e engenheiros do programa descobriram os dnaos depois que a nave chegou a Baikonur, no Casaquistão, após ser transportada por trem desde a Rússia. Após uma inspeção inicial, os técnicos não deixaram claro se a espaçonave teria que ser toda enviada de volta à fábrica RKK Energyia para os reparos. O problema acabou resolvido com a troca do módulo de aterrissagem por outro transportado de avião.[2] Este módulo era originalmente destinado ao voo seguinte, a missão Soyuz TMA-21.

Lançamento e acoplagem[editar | editar código-fonte]

Em 12 de dezembro o módulo de carga da nave foi integrado ao foguete Soyuz FG e ao sistema de escape de emergência, permitindo à direção da agência espacial russa comunicar que a missão estava mantida e o conjunto foi transportado até a plataforma de lançamento na manhã do dia seguinte[3] . Em 15 de dezembro de 2010 a Soyuz TMA-20 foi lançada de Baikonur às 19:09 UTC (22:09 em Moscou) e atingiu a órbita terrestre sem problemas dez minutos depois.

A acoplagem com o módulo Rassvet foi realizada dois depois, às 20:12 UTC de 17 de dezembro, sobre a Àfrica Ocidental e a uma altitude de 224 milhas náuticas[4] . Após os procedimentos de segurança serem feitos, a tripulação da TMA-20, o comandante Kondratyev - em seu primeiro voo - Coleman e Nespoli, os três novos integrantes da Expedição 26, receberam as boas-vindas dos demais tripulantes da ISS e as transmissões por satélite para a Terra começaram em seguida.

Desacoplagem e aterrisagem[editar | editar código-fonte]

A tripulação logo após a aterrisagem, protegida do sol pelos óculos escuros: Kondratyev, Coleman e Nespoli.

Após 157 dias acoplada ao módulo Rassvet da ISS, a epaçonave, com o comandante Kondratyev nos controles, desligou-se da estação às 21:35 UTC de 23 de maio de 2011, quando voava sobre o leste da China.[5] . O comandante afastou a Soyuz cerce de 200 m da estação para que Nespoli pudesse fotografá-la e filmá-la em vídeo de alta-definição durante 25 minutos, com a nave Endeavour, da missão STS-134 da NASA, acoplada a ela, em sua última missão espacial.[6] Voando sobre o Oceano Atlântico, a nave ligou seus motores de reentrada por cerca de quatro minutos, o que a colocou em rota de descida, a uma altitude de cerca de 100 km, às 02:03 UTC.[5]

A Soyuz TMA-20 pousou com segurança nas estepes casaques próximas a Dzhezkazgan, às 02:27 UTC de 24 de maio,[7] sob um forte sol da manhã local, e foram recepcionados pelas equipes de resgate russas e médicos da NASA e da Agência Espacial Russa. O russo Dmitri Kondratyev e a norte-americana Cady Coleman foram dados como em boas condições físicas após a longa permanência em órbita, conversando com os membros do comitê de recepção e usando um telefone por satélite para falar com seus familiares em casa. O chefe da equipe médica, porém, depois comunicou à imprensa que Paolo Nespoli teve pequenos problemas em seu sistema vestibular após a descida.[8]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. "Источник: повреждения корабля "Союз ТМА-20" очень серьезны". INTERFAX. October 6, 2010. Consult. October 11, 2010. 
  2. Stephen Clark (2010-10-19). "Workers race to replace damaged Soyuz crew capsule". Spaceflight Now. Consult. 2010-10-24. 
  3. "Space station crew's ride rolls to launch pad". Spaceflight Now. December 13, 2010. Consult. December 28, 2010. 
  4. Justin Ray (2010-12-17). "Mission Status Center". Spaceflight Now. Consult. 2010-12-21. 
  5. a b William Harwood (23 May 2011). "Soyuz crew returns to Earth after shuttle photo op". Spaceflight Now. Consult. 25 May 2011. 
  6. http://www.nasaspaceflight.com/2011/05/soyuz-tma-20-historic-photographic-event-landing/ NASA Spaceflight.com, 23 May 2011
  7. Soyuz crew safely at home
  8. "Russian manned spacecraft lands in Kazakhstan". Xinhua News Agency. 23 May 2011. Consult. 25 May 2011. 

Ver também[editar | editar código-fonte]