Eusebio Di Francesco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Di Francesco
Di Francesco
Informações pessoais
Nome completo Eusebio Luca Di Francesco
Data de nasc. 8 de setembro de 1969 (50 anos)
Local de nasc. Pescara, Itália
Altura 1,78 m
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador ex-Meio-campista
Clubes de juventude
1985–1987 Empoli
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1987–1991
1991–1995
1995–1997
1997–2001
2001–2003
2003–2004
2004–2005
Empoli
Lucchese
Piacenza
Roma
Piacenza
Ancona
Perugia
102 000(3)
139 00(12)
067 000(5)
158 00(14)
061 00(12)
010 000(0)
030 000(1)
Seleção nacional
1998–2000 Itália 012 000(1)
Times/Equipas que treinou
2008–2009
2010–2011
2011
2012–2014
2014–2017
2017–2019
Virtus Lanciano
Pescara
Lecce
Sassuolo
Sassuolo
Roma
0020
0061
0014
0067
0142
0087
Última atualização: 07 de março de 2019

Eusebio Luca Di Francesco (Pescara, 8 de setembro de 1969) é um ex-futebolista e treinador de futebol italiano. Atualmente está sem clube

Carreira[editar | editar código-fonte]

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Por clubes, Di Francesco, que disputou 577 partidas como meio-campista entre 1987 e 2005, iniciou sua carreira no Empoli. Após boas passagens por Lucchese e Piacenza, chamou a atenção da Roma, clube que o contratou em 1997 e onde o jogador conquistaria seu único título: a Série A de 2000-01, deixando os giallorossi ao final do campeonato, quando voltaria ao Piacenza.[1]

Passou ainda pelo Ancona entre 2003 e 2004, integrando o elenco que, embora composto por jogadores conhecidos como Magnus Hedman (goleiro da seleção sueca), os defensores Fábio Bilica e Roberto Maltagliati (ex-Napoli e Torino), os meias Luis Helguera (irmão de Iván Helguera), Daniel Andersson (também da seleção sueca), Dino Baggio (ex-seleção italiana) e Milan Rapaić (jogador da seleção croata), além dos atacantes Jardel (ídolo de Grêmio, Porto e Galatasaray), Goran Pandev e Maurizio Ganz (ex-jogador de Milan e Internazionale), amargou a lanterna com apenas 13 pontos ganhos. Pelo clube, foram apenas dez jogos e nenhum gol marcado.

Di Francesco encerrou sua carreira em 2005, após 30 jogos e um gol marcado enquanto defendia o Perugia.

Carreira de treinador[editar | editar código-fonte]

Pouco depois de encerrar a carreira, Di Francesco voltaria à Roma para trabalhar como team manager da equipe, permanecendo até julho de 2006.

Em agosto de 2007, foi escolhido como diretor-esportivo do Val di Sangro, [2] e no ano seguinte iniciaria a carreira de técnico no Virtus Lanciano, onde permaneceu por uma temporada.

Trabalhou ainda em Pescara e Lecce antes de assumir o comando técnico do Sassuolo pela primeira vez, em 2012. Demitido em janeiro de 2014 por causa dos maus resultados,[3] foi recontratado em março para o lugar do demissionário Alberto Malesani, e evitou o rebaixamento da equipe.[4] Por conta disto, seu contrato foi renovado até junho de 2016.[5]

Em 13 de junho de 2017, assinou com a Roma.[6]

Seleção Italiana[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Italiana, Di Francesco teve poucas chances: foram apenas 12 jogos, com um gol marcado. Estreou em setembro de 1998 (2 meses após a Copa de 1998), contra o País de Gales. O único gol marcado pelo meia pela Azzurra foi contra uma seleção de estrelas do futebol, em dezembro do mesmo ano.

A última partida de Di Francesco foi um amistoso entre Itália e Portugal, em abril de 2000, dois meses antes da Eurocopa de 2000, a qual não foi convocado.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Seu filho, Federico Di Francesco, nascido em 1994, decidiu seguir a carreira de jogador, iniciada em 2013 no Pescara, e desde o mesmo ano integra o elenco do Parma, que o emprestou para o Gubbio e novamente ao Pescara.

Referências

  1. «Lupatelli va al Chievo, Di Francesco a Piacenza». AS Roma (em italiano). 29 de junho de 2001. Consultado em 1 de abril de 2010. Cópia arquivada em 2 de junho de 2002 
  2. «Lo staff tecnico e la dirigenza» (em italiano). Polisportiva Val di Sangro. Consultado em 8 de outubro de 2007. Arquivado do original em 12 de outubro de 2007 
  3. «Sassuolo dispense with Di Francesco». UEFA.com. 28 de janeiro de 2014. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  4. «Communicato Ufficiale». SassuoloCalcio.it. 4 de março de 2014. Consultado em 5 de março de 2014 
  5. «Sassuolo, Di Francesco rinnova fino al 2016» (em Italian). Il Resto del Carlino. 3 de junho de 2014. Consultado em 5 de junho de 2014 
  6. «Eusebio Di Francesco è il nuovo allenatore della Roma» (em Italian). asroma.com. 13 de junho de 2017. Consultado em 13 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) treinador(a) de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.