Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.

A Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa (FMVUL) é uma Faculdade que faz parte da Universidade de Lisboa. Como instituição, no entanto, sua origem precede a esta última.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Faculdade de Medicina Veterinária foi a primeira instituição dedicada à preparação de médicos veterinários em Portugal, tendo sido criada pelo alvará-régio do rei D. Miguel I de Portugal, publicado a 7 de Abril de 1830[1] na "Gazeta de Lisboa". Designou-se inicialmente como a Real Escola de Veterinária.[1]

Em 1852 o ensino da medicina veterinária é integrado ao então Instituto Agrícola, que passou a denominar-se Instituto Geral de Agricultura em 1864 e Instituto de Agronomia e Veterinária em 1886.[1]

Em 1910 a escola teve seu nome alterado para Escola de Medicina Veterinária até 1918, quando se passa a designar Escola Superior de Medicina Veterinária.[2]

Em 1930 a ESMV foi uma das 4 escolas fundadoras da Universidade Técnica de Lisboa sendo a Faculdade Decana da mesma Universidade. A 1 de Agosto de 1989 adotou o atual nome: Faculdade de Medicina Veterinária.[2]

Em 2013 foi integrada à nova Universidade de Lisboa, resultante da fusão da anterior UL com a Universidade Técnica de Lisboa.[2]

Missão[editar | editar código-fonte]

A missão da FMV, de acordo com os seus Estatutos publicados em Diário da República, 2ªSérie, de 6 de Fevereiro de 2003, é referida como uma “intervenção em prol da qualidade e do desenvolvimento do País na área da Ciência Animal e em particular na área das Ciências Veterinárias”. Este documento define como Objectivos da FMV:

  • dar formação de nível superior aos seus estudantes;
  • contribuir para o progresso científico e o desenvolvimento tecnológico;
  • prestar serviços qualificados à comunidade;
  • disponibilizar acções de formação profissional;
  • atribuir graus académicos e títulos honoríficos;
  • cooperar com outras Instituições nacional e internacional em áreas científicas, técnicas e culturais; e
  • consolidar a formação humana e cultural dos seus membros.

Referências

  1. a b c d fmv.ulisboa.pt. «História». Consultado em 10 de maio de 2017. 
  2. a b c Luís Reis Torgal, Angelo Brigato Ésther (setembro de 2014). Que Universidade? Interrogações sobre os caminhos da Universidade em Portugal e no Brasil. [S.l.: s.n.] Consultado em 10 de maio de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]