Falange espiritual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Falange espiritual é um conceito presente em diversas religiões que descreve agrupamento de espíritos agindo sob um determinado objetivo. Podem ser benignas ou malignas.

Umbanda[editar | editar código-fonte]

Na Umbanda, descrevem nomes pelos quais são conhecidas diversas entidades de várias linhas de trabalho, por exemplo, o Exu das 7 Encruzilhadas.[1]

Um outro exemplo de falange são as diversas que utilizam o nome de Ogum, não devendo serem confundidas com o orixá.[2]

Ainda na Umbanda, falanges estão correlacionadas com espíritos que se apresentam sob um determinado arquétipo. Deste modo, por exemplo, um caboclo não necessariamente já foi encarnado como um indígena, mas é apenas uma aparência espiritual sob a qual o espírito escolhe se apresentar para transmitir seus ensinamentos, e realizar trabalhos.[3]

São falanges conhecidas o Zé Pelintra, entre os malandros; Caveira e Marabô, entre os exus; e Vovó Maria Conga, entre os pretos-velhos.[carece de fontes?]

Referências

  1. Marcos de Aguiar Villas-Bôas (23 de abril de 2018). «O mistério Exu: devo escutar mais a intuição ou a razão?». Consultado em 4 de novembro de 2018 
  2. Douglas Rainho (1 de janeiro de 2015). «Ogum na Umbanda – Suas Falanges.». Consultado em 3 de novembro de 2018 
  3. Umbanda eu Curto. «Preto-Velho». Consultado em 3 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]